Tatiana perde apoio dos Gaudêncio para Daniella em Campina Grande

A candidatura de médica Tatiana Medeiros sofreu mais um duro golpe. A família Gaudêncio, tendo a frente o ex-deputado Álvaro Neto, migrou para o palanque de Daniella Ribeiro. Numa eleição disputada como a de Campina Grande, uma perda desse quilate pode significar a derrota. Ainda mais estando na reta final da campanha. Tatiana já havia perdido o PT. Como a campanha estava apenas começando, o efeito negativo não foi tão sentido.Mas, restando uma semana para o pleito, a situação é diferente.

O candidato tucano, Romero Rodrigues, sente-se hoje numa situação confortável, amparado no resultado de todas as pesquisas até agora divulgadas. Em tese, e com base nas mesmas pesquisas, Tatiana e Daniella estariam disputando a outra vaga para um segundo turno cada vez mais evidente. Talvez por isso a adesão dos Gaudêncio tenha uma interpretação mais abrangente.

Pelo que diz a família, principalmente o ex-deputado Álvaro Neto, faltou mais atenção e reconhecimento ao que representa o clã, que já foi o principal mandatário do Cariri paraibano, com considerável influência em Campina Grande. O efeito final dessa adesão só o tempo dirá.

Comentar

Secretário de Saúde acusa PMJP de reter R$ 25 milhões de recursos do SUS destinados ao Governo do Estado

O secretário estadual de Saúde, Valdson Souza, acusou a Prefeitura de João Pessoa de reter algo em torno de R$ 25 milhões do Sistema Único de Saúde que deveria repassar ao Governo do Estado. Souza rebateu críticas da secretária municipal de Saúde, Roseana Meira, de que o Trauminha de Mangabeira estaria “sufocado” por receber pacientes rejeitados pelo Hospital de Emergência e Trauma, Senador Humberto Lucena.

“Não gosto de tratar desses assuntos publicamente, mas, se é para falar, vamos falar. Na verdade, faz um bom tempo que a Prefeitura de João Pessoa não repassa os recursos referentes a procedimentos efetuados nos hospitais públicos estaduais de João Pessoa”, afirmou o secretário estadual de Saúde, durante entrevista a Nilvan Ferreira, na Rádio Arapuan FM, acrescentando que o débito já chega a R$ 25 milhões.

Segundo Valdson Souza, os procedimentos efetuados nos hospitais públicos estaduais são encaminhados ao Ministério da Saúde, que libera os recursos à Prefeitura de João Pessoa. Caberia à Secretaria Municipal de Saúde repassá-los ao Governo do Estado, mas isso, de acordo com o secretário de Saúde, não vem ocorrendo. “O dinheiro está sendo retido e, ao invés de investirmos em outras coisas, somos obrigados a gastar com o custeio desses hospitais porque os recursos não chegam ao Estado”, sustentou.

Secretário denunciou atraso de repasses pela Prefeitura Municipal de João Pessoa

Comentar

Hervázio Bezerra acusa PMJP de reter R$ 25 milhões do SUS devidos ao Estado

O líder Hervázio Bezerra (PSDB) acusou a Prefeitura de João Pessoa de reter algo em torno de R$ 25 milhões do Sistema Único de Saúde que deveria ser repassado ao Governo do Estado. Bezerra rebateu críticas da secretária municipal de Saúde, Roseana Meira, de que o Trauminha de Mangabeira estaria “sufocado” por receber pacientes rejeitados pelo Hospital de Emergência e Trauma, Senador Humberto Lucena.

“Não gosto de tratar desses assuntos publicamente, mas, se é para falar, vamos falar. Na verdade, faz um bom tempo que a Prefeitura de João Pessoa não repassa os recursos referentes a procedimentos efetuados nos hospitais públicos estaduais de João Pessoa”, afirmou Bezerra, durante entrevista a Nilvan Ferreira, na Rádio Arapuan FM, acrescentando que o débito já chega a R$ 25 milhões.

Segundo Hervázio Bezerra, os procedimentos efetuados nos hospitais públicos estaduais são encaminhados ao Ministério da Saúde, que libera os recursos para a Prefeitura de João Pessoa. Caberia à Secretaria Municipal de Saúde repassá-los ao Governo do Estado, mas isso, de acordo com o líder do governo, não vem ocorrendo. “O dinheiro está sendo retido e, ao invés de investirmos em outras coisas, somos obrigados a gastar com o custeio desses hospitais porque os recursos não chegam ao Estado”, sustentou.

Hervázio lamentou a postura da secretária de Saúde de João Pessoa, Roseana Meira

Comentar

Depois das tuitadas, Urquiza “se toca” e pede demissão da Secretaria de Transparência

Alexandre Urquiza distribuiu nota explicando porque pediu demissão do cargo

Demorou, mas aconteceu. Alexandre Urquiza pediu demissão da Secretaria Municipal da Transparência Pública de João Pessoa, através de nota distriibuida com a imprensa. Foi preciso o prefeito Luciano Agra ou quem quer que seja humilhá-lo publicamente para que o ex-socialista (nem sei se o homem já se desfiliou) acordasse e visse que “sobrou na curva”.

Mesmo porque, por humilhação maior passaram milhares de famílias paraibanas e brasileiras que tentaram sem sucesso receber o auxílio do governo federal denominado Bolsa Família. A filha do “pobre” e agora ex-secretário conseguiu, certamente com “méritos próprios”, ser inscrita no programa.

Mas, não foi só isso. O então secretário ainda conseguiu uma ajudinha para a família, empregando a esposa na Prefeitura de João Pessoa. Nepotismo? Não para Alexandre Urquiza, considerado até então uma espécie de primeiro ministro do prefeito Agra.

Aliás, para se livrar do auxiliar o prefeito teve que se valer de “falsas tuitadas”. Até porque, desde o início, ficou solidário com Urquiza, o “pobre secretário” alvo de maldades de ex-aliados.

Qualquer outro prefeito nessas circunstâncias teria exonerado imediatamente seu auxiliar, mas, Agra fez questão de ser bonzinho com o amigo. Talvez com medo de algum ato de rebeldia que trouxesse à tona fatos desagradáveis testemunhados por Urquiza. Abaixo, a nota de Urquiza explicando o pedido de demissão:

 

NOTA

PEÇO EXONERAÇĀO DO CARGO QUE OCUPO NA PMJP

Venho a público, por meio desta esta Nota, pedir minha exoneraçāo do cargo de secretário que ora ocupo na PMJP. Fui escolhido como alvo nesta reta final de campanha com o único objetivo de atingir a admiistraçāo do prefeito Luciano Agra.

Nāo importam as declarações e explicações que eu tentei prestar sobre todos esses fatos. As forças poderosas a serviço do Palácio da Redençāo já me condenaram com o único objetivo de atingir o prefeito, devido a sua opçāo política nestas eleições. Caso eu, Agra e outros companheiros tivéssemos apoiado a candidata oficial, nada disso estaria ocorrendo.
Agradeço a Deus pela força infinita, pela confiança do prefeito Luciano Agra e a todos que se solidarizaram comigo e minha família diante das armações e do desrespeito dos que fazem de tudo para se manter no poder.
Joāo Pessoa, 27 de setembro de 2012

 

Comentar

Vani renuncia, anuncia apoio ao sobrinho e família Braga retoma favoritismo na sucessão municipal de Conceição

Reviravolta no processo eleitoral em Conceição, no Vale do Piancó. Após ter o registro de candidata a reeleição cassado por decisão da juíza da 41ª Zona Eleitora, Andréa Arcoverde, por abuso de poder político, a prefeita Vani Braga renunciou à disputa e passou a apoiar o sobrinho, ex-prefeito Alexandre Braga.

A decisão permitiu a reunificação e retomada do favoritismo da família Braga, que mantém a hegemonia política na região há mais de trinta anos e agora parte para enfrentar o ex-prefeito Nilson Lacerda (DEM), candidato de oposição.

Como a cassação de seu registro ocorreu em primeira instância, a prefeita Vani Braga poderia ainda recorrer ao TRE e, em último caso, ao TSE. Mas,  preferiu abrir mão dos recursos em nome da reunificação familiar. Na próxima semana, o deputado e ex-governador Wilson Braga (PSD) deve desembarcar em Conceição, onde já participa de comício e outras atividades de campanha do sobrinho. A visita foi confirmada por Kleber Braga, outro sobrinho de Wilson e Vani.

Alexandre Braga considerou a decisão de Vani “fundamental para garantia da reunificação familiar e da vitória do grupo comandado pelo ex-governador Wilson Braga”. Restando menos de duas semanas para a eleição, a mudança do quadro tornou ainda mais imprevisível o resultado eleitoral na cidade, embora todos reconheçam que, unida, a família Braga sempre foi considerada imbatível.

Alexandre Braga recebeu apoio de Vani, atual prefeita, que desistiu de candidatura em nome da reunificação familiar

Comentar

Estela recebe adesão de quatro candidatos a vereador nesta quarta-feira

Quatro candidatos a vereador do Partido da República (PR), que está coligado com o candidato a prefeito Luciano Cartaxo (PT), anunciam na tarde desta quarta-feira (26) seu apoio a candidata a prefeita Estela Bezerra (PSB). O anuncio terá a presença de Estela, e acontece às 14h, na sede municipal do PSB, no Parque Sólon de Lucena (Lagoa).

Ascom

Comentar

Governo do Estado tem recurso acatado pelo TRE contra coligação de Cícero Lucena

A propaganda institucional divulgada pelo Governo do Estado em homenagem aos 427 anos da cidade de João Pessoa é legal e não possui caráter eleitoral. Essa foi a decisão do Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba (TRE-PB), na tarde de ontem, ao dar provimento a recurso eleitoral interposto pela Procuradoria Geral do Estado (PGE-PB), contra representação eleitoral movida pela coligação “Por Amor a João Pessoa Sempre” para retirada dos outdoors divulgados em homenagem ao aniversário da Capital paraibana, alegando que eles caracterizavam propaganda eleitoral subliminar em favor da candidata do PSB, Estela Bezerra.

A Corte Eleitoral acatou os argumentos apresentados pelo procurador-geral adjunto, Wladimir Romanuiuc Neto, que fez a sustentação oral em defesa do Estado durante o julgamento do recurso, de que todo o material publicitário divulgado pelo Governo do Estado tem caráter institucional e não tem cunho eleitoral.

O juiz Tércio Chaves de Moura, que atuou como relator do processo, entendeu que a propaganda questionada não poderia ser caracterizada como sendo de cunho eleitoral ou como mensagem subliminar em favor de candidato do PSB pelo simples fato da cor colocada no número 4 ser laranja. Ele ressaltou que os outros números tinham outras cores: o 2 era vermelho e o 7 era verde, de forma que, se fosse assim, estariam beneficiando outros candidatos.

Os demais integrantes da Corte, com exceção do juiz João Bosco Medeiros, acompanharam o voto do relator, que deu provimento ao recurso eleitoral interposto pela PGE e atestou a legalidade da publicidade institucional realizada pelo Estado em alusão ao aniversário de 427 anos de João Pessoa.

O procurador geral do Estado, Gilberto Carneiro, destacou a importância da decisão da Corte Eleitoral, a qual reafirma o trabalho que vem sendo realizado pela PGE para representação do Estado na esfera judicial e para o devido cumprimento da legislação e dos princípios que norteiam a administração pública.

Assessoria

Comentar

PSB convoca reunião para decidir sobre expulsão do vereador Bira Pereira

Foi o próprio Bira quem anunciou. Hoje à noite, o PSB de João Pessoa se reúne para decidir sobre o processo de sua expulsão. Aliás, na linguagem do vereador: a Comissão de Ética deve se reunir para expulsá-lo do partido. Na verdade, essa expectativa é compactuada por todos os filiados, incluindo aqueles que defendem a permanência do parlamentar.

Bira foi escolhido como “boi de piranha” pelo grupo do governador Ricardo Coutinho para mostrar quem manda no PSB e o que acontece com quem não obedece aos mandatários. Está sendo punido por ter optado pela candidatura do prefeito Luciano Agra, derrotada em convenção partidária onde a maioria dos socialistas preferiu marchar com Estela Bezerra.

Embora tenha se prontificado a abraçar a campanha de Estela, Bira foi eleito “persona non grata” pelo PSB. O vereador garante que não lhe cabe a pecha de traidor e infiel, apontada pelo partido. Mas, teve que recorrer à Justiça para manter seu registro de candidato a reeleição. Provavelmente, terá que fazer o mesmo após a reunião da Comissão de Ética.

Independente da situação em que se encontra, Bira certamente é considerado um dos vereadores mais atuantes da atual legislatura. Por conta disso, é visto com amplas possibilidades de reeleição e até de estar entre os mais votados. Se for expulso, será uma grande perda para o PSB. Se não voltar à Câmara, será também uma grande perda para o parlamento.

Bira Pereira pode ser expulso do PSB por ter apoiado a candidatura de Agra

Comentar

Preso em operação da PF, candidato a vereador é liberado por decisão do TRE da Paraíba

O Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba (TRE-PB) decidiu nesta terça-feira (25), por unanimidade, mandar soltar o candidato a vereador de João Pessoa, Ironaldo Leal de Oliveira (PP), e o filho dele, Túllio Levyk Dias Leal de Oliveira, presos durante uma operação na sexta-feira (21). De acordo com as investigações da PF, o candidato a vereador é suspeito de comandar o esquema.

De acordo com a assessoria de imprensa do TRE, o relator do Habeas Corpus, Tércio Chaves de Moura, entendeu que o caso não era de complexidade e não havia motivos para mantê-lo detido, por isso pediu que o alvará de soltura seja expedido imediatamente.

Os dois foram presos porque as investigações da PF teriam apontado a montagem de uma estrutura criminosa para oferecimento de casas em troca de votos para o candidato a vereador durante as eleições municipais deste ano na capital paraibana. Segundo a PF, os eleitores eram cadastrados em cooperativa, onde informavam seus dados pessoais, inclusive, número de título e seção eleitoral, na promessa de receberem casas se o candidato fosse eleito.

A Polícia Federal informou ter reunido documentação que comprova a fraude. Seis mil pessoas estariam cadastradas na cooperativa. Estão sendo cumpridos quatro mandados expedidos pelo Juiz da 76ª Zona Eleitoral de João Pessoa, sendo dois de prisão preventiva e dois de busca e apreensão. Toda a documentação e material de informática apreendidos na Operação Vivenda serão examinados e periciados, podendo resultar na identificação de outras pessoas que tenham participado das fraudes. Entrevista coletiva será dada na sede da Superintendência Regional da PF em Cabedelo às 12h30.

G1

Comentar

Juiz proíbe Prefeitura de João Pessoa de contratar servidores até o final das eleições: Agra vai recorrer ao TRE

A Justiça Eleitoral proibiu a Prefeitura de João Pessoa de fazer novas contratações de servidores até o término das eleições municipais. A decisão foi do juiz da 77ª Zona Eleitoral, Eslu Eloy Filho, que concedeu liminar em uma ação movida pela coligação ‘Pra Seguir em Frente’, da candidata Estelizabel Bezerra (PSB). A ação foi impetrada após a divulgação de um vídeo na internet em que o prefeito Luciano Agra (sem partido) aparece com o candidato Luciano Cartaxo (PT) em reunião com agentes municipais de saúde.

A liminar de Eslu Eloy Filho foi deferida no último dia 22 de setembro e publicada nesta terça-feira (24). O procurador geral da Prefeitura de João Pessoa, Vandalberto de Carvalho, disse que ainda não tinha conhecimento da decisão, mas, garantiu que vai recorrer junto ao pleno do Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba para derrubá-la.

O juiz deixa claro que o veto é até o dia das eleições e ressalta que vale para contratação de servidores de qualquer natureza. Eslu Elouy determina ainda que a proibição se estenda até o segundo turno do pleito, caso Luciano Cartaxo passe para essa etapa. O magistrado também deferiu uma diligência para que a Prefeitura de João Pessoa apresente cópia da Ação Civil Pública referente à regularização do vínculo funcional dos agentes comunitários de saúde.

O procurador geral Vandalberto de Carvalho afirmou que a lei já impede que haja novas contratações de servidores nos três meses que antecedem as eleições , exceto em caráter excepcional, e que a prefeitura já vem cumprindo isso. “Se a decisão for ampla, ela vai de encontro a lei”, disse. “Não podemos deixar a população prejudicada por conta de uma decisão judicial. N´so vamos recorrer ao tribunal e vamos derrubar essa liminar”, acrescentou.

O vídeo onde Luciano Agra, Luciano Cartaxo e outros secretários da prefeitura aparecem com os agentes de saúde resultou em outras duas ações, movidas pelas coligações de Cícero Lucena (PSDB) e José Maranhão (PMDB). O argumento é de que situação se configura em crime eleitoral, visto que o candidato e o prefeito supostamente coagem os servidores públicos e prometem benefícios.

G1

Comentar