Dissidência de Frei Anastácio ameaça planos do PT de ser protagonista em 2014

Quando José Maranhão era governador e o PT um de seus principais aliados, o deputado Frei Anastácio sentia-se em casa. Tudo – ou quase tudo – que reivindicava, o governo atendia. Não porque o atual prefeito da Capital, Luciano Cartaxo , era o vice-governador e seu companheiro de partido, mas pela afinidade e prestígio que tinha Anastácio com o chefe do Executivo. A proximidade era tanta que chegou a causar “ciúmes” em alguns correligionários.

Não me espanta, portanto, Anastácio defender a retomada da aliança entre PT e PMDB, seguindo a composição celebrada em nível nacional, como divulgou o site PB Agora. Sabe o deputado que, mesmo com o afastamento entre os dois partidos nas eleições municipais em João Pessoa, sua relação com Maranhão permanece inabalada. Isso quer dizer que, se o ex-governador chegar ao poder, o parlamentar petista terá novamente a máquina pública estadual para amparar suas necessidades políticas. Independente de o PT indicar o vice na chapa. Se indicar, será um trunfo a mais para Anastácio.

Mas, o pensamento exposto por Frei Anastácio bate de frente com a estratégia do próprio PT. Todos sabem que a direção nacional deu aval para o partido lançar candidato próprio ao Governo do Estado. É público também que o PT “corteja” o ex-prefeito Luciano Agra, nome de peso para a disputa de 2014 em qualquer legenda. Sem contar com a ascensão de LUciano Cartaxo, uma liderança emergente que pode surpreender quando 2014 chegar.

Portanto, não será fácil Anastácio fazer prevalecer seu ponto de vista. Nem pampouco o PT abrir mão da cabeça de chapa, seja para o PMDB ou qualquer outro partido. Mesmo assim, o Frei faz o seu papel. Mesmo que com base em interesses próprios.

Comentar

Veneziano some do noticiário político e Tatiana é escalada para defender sua gestão

Não se sabe ainda se por decisão própria ou por sugestão do irmão, estrategista da família. Mas, Veneziano Vital do Rego sumiu do noticiário político nos últimos dias. Justamente num momento em que vinha sofrendo uma carga pesada de ataques dos adversários. Talvez preocupado com a repercussão negativa das denúncias sobre sua pré-candidatura a governador, o ex-prefeito tenha recolhido as armas para retornar mais tarde ao campo de batalha, quando a poeira baixar.

Veneziano parece ter sentido as denúncias dos adversários (imagem da internet)

Veneziano parece ter sentido as denúncias dos adversários (imagem da internet)


A verdade é que Venezino não conseguiu evitar o desgaste provocado pela situação em que entregou a Prefeitura de Campina Grande ao sucessor, Romero Rodrigues. Aliás, nem podia porque o atual prefeito provocou pelo menos trinta demandas judiciais contra a gestão anterior, acusando o Cabeludo de atos de improbidade administrativa. Até que se livre de todas elas, Veneziano continuará com dificuldades para convencer o eleitorado de que permanece “ficha limpa”. A presunção da inocência funciona muito bem no campo jurídico, mas nem sempre é seguida à risca no político.

Como se costuma rotular numa luta de boxe: Veneziano acusou o golpe. Não só ele, mas também o PMDB. Tanto que ninguém no partido fala mais na tal “caravana” que percorreria todo o Estado para massificar a candidatura do ex-prefeito campinense.

O fato de sair de cena não significa, entretanto, que Veneziano deu-se por vencido antes da disputa. Pelo contrário. Ele está apenas tentando se recuperar dos ataques que sofreu para voltar ao ringue. Até lá, o peemedebista parece ter escalado uma substituta: a médica Tatiana Medeiros, candidata derrotada por Romero Rodrigues. De olho na Assembleia Legislativa, Tatiana nem se incomoda de ser usada como “sparring” pelos adversários e, além de defender com unhas e dentes a gestão do seu tutor, não poupa adjetivos ao governo Ricardo Coutinho. É oposição lá e cá, enquanto Veneziano decide o que fazer da vida.

Comentar

Gervasio diz que Iraê Lucena perdeu identidade com o PMDB desde que votou em Ricardo

Apesar das queixas constantes, o deputado Gervasio Maia parece disposto a se recompor com a cúpual do PMDB. Na manhã de hoje, na Assembleia Legislativa, ele comentou a decisão da colega Iraê Lucena de deixar o partido. Disse que Iraê perdeu a identidade com o PMDB “desde que decidiu apoiar a candidatura de Ricardo Coutinho, no segundo turno das eleições de 2010”.

Gervasio entende que, para ser candidata novamente, a deputada tem mesmo que mudar de partido porque comunga de uma posição contrária ao PMDB. “O PMDB é oposição e Iraê defende o governo. Não há como ela ser candidata numa conjuntura assim”, avaliou.

Pelo tom do discurso, o ex-líder parece ter superado as divergências que o distanciaram do PMDB. Fala até em presidir o diretório de João Pessoa, a exemplo do seu pai, um sonho antigo que alimenta. Sendo assim, afasta de vez a hipótese de seguir o ex-senador Wilson Santiago, que está deixando o partido. Menos mal para o PMDB, que tem acumulado perdas nos últimos meses.

Gervasio lamentou a perda de Iraê Lucena (imagem da internet)

Gervasio lamentou a perda de Iraê Lucena (imagem da internet)

Comentar

Deputado João Gonçalves está de malas prontas para deixar o PEN e se filiar a um novo partido

O Partido Ecológico Nacional, que tem como presidente estadual na Paraíba o deputado Ricardo Marcelo pode registrar sua primeira baixa e perder um de seus filiados ilustres para mais uma nova sigla que está começando a ser criada no âmbito nacional.

Trata-se do PLB – Partido Liberal do Brasil e quem pode deixar o PEN para se incorporar a nova legenda é o deputado João Gonçalves (ex-PSDB), que já assinou a ficha de apoiamento para a criação e instalação do novo partido.

Apesar de desconversar sobre uma possível filiação à nova legenda, Gonçalves já está sendo cotado, se criada, para assumir a direção estadual da sigla na Paraíba.

“É público e notório que o PLB já coleta assinaturas para a criação dessa nova legenda e eu assinei a ficha de apoiamento, ou seja, apoiando a criação e instalação do novo partido e não me filiando a ele, até porque não é partido ainda”.

A expectativa é que o PLB colha no mínimo 10 mil assinaturas só na Paraíba para respaldar a criação do partido.

Quando indagado sobre a adesão a nova sigla, Gonçalves desconversou, mas deixou claro que assinou o abaixo assinado referente ao apoiamento da criação de mais um partido no país.

Informações de pessoas ligadas ao parlamentar, no entanto, apontam que são fortes as especulações para que o deputado assuma o comando da nova sigla, se concretizada a criação.

Ainda conforme informações obtidas com exclusividade pela reportagem do PB Agora, o assessor parlamentar do deputado João Gonçalves, Rodrigo Leite é quem deverá assumir o comando provisório do partido no Estado e só depois, repassá-lo para o parlamentar.

Em âmbito nacional, quem comandará a nova sigla é do deputado estadual Brazão, do Rio de Janeiro.

PBagora

Henrique Lima/ Márcia Dias

Comentar

Manoel Jr. pede a ministro liberação de R$ 3 milhões para construção de Centro Tecnológico no Conde

O deputado Manoel Junior (PMDB-PB) se reuniu ontem com o ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Marco Antonio Raupp para tratar da liberação de R$ 3 milhões de suas emendas individuais ao Orçamento Geral da União de 2012, que serão destinados para a construção de um Centro Vocacional Tecnológico Metal Mecânico no município do Conde. O advogado Aluisio Lundgren Corrêa Régis também participou do encontro.

De acordo com o deputado, este projeto visa a criação de uma unidade de capacitação de mão de obra voltada para a Fábrica da Fiat, que será instalada até 2014 no município de Goiana (PE).

Durante o encontro, que aconteceu no gabinete do ministro, em Brasília, Manoel Junior relatou que em recente conversa com o governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), obteve a informação que mais de 60 indústrias secundárias, serão instaladas na região para atender as demandas da multinacional. “Precisamos urgentemente implantar esse Centro Metal Mecânico, para capacitar não somente os moradores do Conde, como também, capacitar a população da Região Metropolitana e da Paraíba, como um todo”, justificou o peemedebista.

O setor automotivo e sua cadeia produtiva respondem por mais de 5% do PIB total do Brasil e por 23% do PIB Industrial. A previsão de investimentos para o setor no período de 2012 a 2015 é de R$ 22 bilhões, conforme dados do Ministério da Fazenda. Segundo informou o parlamentar, o investimento para erguer a fábrica da Fiat em Pernambuco vai girar em torno de R$ 4 bilhões, com capacidade para produzir 200 veículos por ano, a partir de 2014.

“Só a fábrica da Fiat vai gerar 4,5 mil empregos diretos e mais 5,3 mil empregos indiretos no raio de 40 km de Goiana”, explicou Manoel Junior. “Se por um lado, a expectativa de vagas de trabalho é ampla, por outro lado, a realidade da qualificação profissional da região, não atende as atuais demandas da multinacional que precisará de mão de obra qualificada em montagem de veículos”, explica Manoel Junior.

O Centro vai capacitar jovens e adultos para atuar na linha de produção da Fiat e indústrias secundárias e capacitará uma média de 400 estudantes até 2014, quando está previsto o início da operação da Fábrica.

O Centro vai ofertar cursos de funileiro e tapeceiro automotivo; operador de linha de montagem de equipamentos eletrônicos e elétricos, bem como, programador de sistemas automatizados de soldagem.

Deputado se reuniu com o ministro Marco Antonio Raupp (imagem da internet)

Deputado se reuniu com o ministro Marco Antonio Raupp (imagem da internet)

Assessoria

Comentar

Deputada Iraê Lucena decide deixar PMDB e pode acompanhar Santiago na filiação ao PTB

Iraê admitiu até se filiar ao PTB para disputar reeleição (imagem da internet)

Iraê admitiu até se filiar ao PTB para disputar reeleição (imagem da internet)

Quanto mais se declara indecisa, mais ela parece já ter tomado a decisão. Iraê Lucena, talvez pelo tamanho da mágoa que guarda do seu próprio partido, adiantou que deve deixar o PMDB. Mas, não será agora. Ela disse, na manhã de hoje, que ainda avalia a melhor opção para uma nova filiação. Não descarta seguir o ex-senador Wilson Santiago rumo ao PTB, mas prefere aguardar pelo menos até janeiro para efetivar a operação.

Iraê novamente queixou-se da falta de espaço – e de respeito – dentro do PMDB. Não citou nomes, mas disse que lhe tiraram vários municípios para entregá-los a adversários, prova maior de que o partido não tem qualquer interesse em sua permanência. A atenção que não teve no PMDB, a deputada encontrou do outro lado: no PSB do governador Ricardo Coutinho, também alternativa de futura filiação.

Encerrada a eleição, Iraê ficou na suplência e foi nomeada secretária estadual pelo governador. Não foi só isso. Ricardo Coutinho, que já foi parlamentar, sabe das dificuldades para um deputado se reeleger longe do mandato, ainda mais na condição de suplente. Por isso, deu a Iraê a oportunidade de assumir vaga na Assembleia Legislativa.

A deputada tem, portanto, motivos de sobra para defender o atual governo. E se o preço para manter-se correta e fiel a quem lhe deu a mão for deixar o único partido em que militou até hoje, ela está disposta a pagar. Quem conhece Iraê, sabe o que é uma mulher de palavra.

Comentar

Deputado defende melhorias salariais para policiais e lamenta situação da segurança na Paraíba

O deputado Manoel Junior (PMDB-PB), lamentou o fato da Paraíba ter o 20º pior salário pago aos policiais militares e civis do País e se mostrou constrangido com o fato de João Pessoa liderar os homicídios contra negros no Brasil. O peemedebista voltou a discursar no plenário da Câmara nesta quinta-feira, 21, sobre os altos índices de violência divulgados recentemente pelo Ministério da Justiça.

“A Paraíba, infelizmente, está em quinto lugar no ranking do mapa da violência 2013, mesmo sendo um Estado pequeno [com 3 milhões e 600 mil habitantes], hoje exibe aproximadamente 4,3 mortes por dia por causa da violência urbana e da violência rural, que se alastra por todo o Estado”, lamentou o peemedebista.

Em seu discurso, o paraibano destacou ainda, que João Pessoa sempre foi uma capital tranquila, mas que hoje, ostenta o vergonhoso título de ‘Oitava cidade mais violenta do mundo’.

“Eu estive fazendo um retrospecto recente e pude verificar que nesses primeiros meses do ano, houve 32 ocorrências de explosões de caixas eletrônicos e assaltos a agências bancárias em todo o Estado. E vem o Governador, juntamente com o Secretário de Segurança Pública, maquiar os números que são efetivamente exibidos pela imprensa corajosa da Paraíba, por aqueles que têm responsabilidade, a exemplo do jornalista Rubens Nóbrega”, declarou Manoel Junior.

O deputado reafirmou que a bancada se reunirá em breve com o ministro da Justiça, José Eduardo Cardoso para tratar do que ele chama de “inércia e omissão das autoridades responsáveis pela segurança pública, cegas em face da situação miserável em que se encontram os órgãos de segurança pública no Estado”.

De acordo com o peemedebista, nas delegacias de polícia espalhadas pelo Estado, a infraestrutura é precária, com prédios sem condições de funcionamento, viaturas quebradas, falta de agentes e de motoristas.

Dados divulgados pelo Ministério da Justiça por meio da pesquisa ‘Perfil das Instituições de Segurança Pública’, se constatou que para um efetivo de aproximadamente nove mil homens, existem somente 850 algemas, 2.252 coletes à prova de balas, 2 escudos, 185 capacetes, 4.471 revólveres. “Isso significa, que na Paraíba, são onze policiais para cada par de algemas, quatro para cada colete à prova de balas, 4.849 para cada escudo, 52 para cada capacete e o mais assustador, um revolver, para dois policiais”.

O parlamentar alertou que “Proporcionalmente, mata-se mais na Paraíba do que na Guerra do Iraque, com o índice de aproximadamente 80 mortes violentas para cada 100 mil habitantes; o que coloca nosso o Estado, conforme os parâmetros adotados pela Organização Mundial da Saúde, em um quadro de epidemia”, lamenta Manoel Junior.

O peemedebista também chamou a atenção para as inspeções realizadas pelo Ministério Público Estadual em dez delegacias de oito municípios paraibanos que constataram irregularidades na instauração de inquéritos, na lentidão dos inquéritos, na falta do registro de ocorrências, assim como, nos processos de roubo, violência e furto que não tinham sido instaurados. E lamentou indignado que enquanto os órgãos de segurança pública estaduais jazem inertes, a população paraibana, vítima da leniência e da omissão dos responsáveis sofre com os desmandos de um governo irresponsável.

Denúncia de enriquecimento ilícito de policiais

Recentemente a ouvidora da Polícia na Paraíba, Valdênia Lanfranch, afirmou na Rádio CBN que o governador da Paraíba, Ricardo Coutinho (PSB), foi informado pelo órgão de denúncias que apontam o enriquecimento ilícito de policiais no estado e que o Ministério Público está investigando o caso. Ao ser questionado sobre o fato destas denúncias não serem encaminhadas à Corregedoria, a ouvidora botou ainda mais “lenha na fogueira” e insinuou que membros da corregedoria podem estar entre os denunciados.

Jornal da Paraíba denunciou que na PB tem mais de 1.100 inquéritos irregulares em apenas dez delegacias

Em inspeções realizadas pelo Ministério Público da Paraíba (MPPB) através do projeto ‘Impunidade Zero’ em dez delegacias de oito cidades paraibanas, foram constatadas irregularidades na instauração de inquéritos. A fiscalização resultou em uma requisição do MP para que fossem instaurados 1.159 inquéritos policiais, com base em livros de ocorrências.

“A lentidão da conclusão de inquéritos e até a ausência de registro de ocorrências é uma situação que efetivamente existe, até pela falta de estrutura de algumas delegacias, o que é levado em consideração pelo Ministério Público. Nesta inspeção ficou constatado que existiam processos de roubo, violência e furto que não foram instaurados. Fazer o controle dos prazos dos processos instaurados é mais fácil porque nós possuímos uma numeração para controle, porém os casos de processos não instaurados crescem a cada dia, por isso é necessário que sejam feitas constantes vistorias nas delegacias”, disse o promotor Francisco Seráphico da Nóbrega.

Jornal “O Globo” denuncia tortura em presídios paraibanos

Matéria publicada no Jornal “O Globo” alerta para os problemas mais graves do sistema prisional brasileiro e além da superlotação no Sudeste, a reportagem focou casos de tortura em presídios da Paraíba.

Ministério Público investiga Secretaria de Segurança e Delegacia da Mulher sobre cumprimento da Lei Maria da Penha

Um Inquérito Civil no âmbito do Ministério Público da Paraíba está investigando se a Secretaria de Segurança e da Defesa Social do Estado está obedecendo as normas técnicas de padronização da Delegacia Especializada de Atendimento às Mulheres de Campina Grande, como prevê a lei 11.340/2006, a conhecida Lei Maria da Penha.

O procedimento foi instaurado pelo promotor de Justiça de Defesa dos Direitos da Mulher, Sócrates da Costa Agra, após levantamento feito naquela especializada pelos técnicos do Ministério Público. Na ocasião, a inspeção concluiu que alguns melhoramentos devem ser implementados na Delegacia da Mulher de Campina Grande, de modo a garantir às vítimas da violência doméstica e familiar os serviços preconizados pela Lei Maria da Penha.

Comentar

Cássio afirma que Caixa Econômica deve continuar patrocinando “Maior São João do Mundo”

O senador Cássio Cunha Lima participou de uma audiência com o Diretor Executivo de Marketing e Comunicação da Caixa Econômica Federal, Clauir Luiz Santos. Em pauta, a solicitação de recursos do Banco para a realização do São João de Campina Grande. A reunião aconteceu na manhã desta terça-feira, 26, na sede da Caixa Econômica, em Brasília. Clauir disse que faz parte da política da Caixa apoiar grandes festas populares como o Maior São João do Mundo, que em 2013 completa 30 anos.

“A Caixa mantém parcerias históricas com a Paraíba tanto em obras de infraestrutura como em eventos culturais de destaque”, disse o senador durante a reunião. De acordo com Elan Ferreira, superintendente da instituição financeira na Paraíba, a parceira entre o estado e a Caixa durante as festas juninas de Campina Grande existe desde 2008. Em no máximo 20 dias, o executivo Clauir assumiu o compromisso de responder sobre qual cota de patrocínio atende melhor às pretensões do Banco.

No encontro, Cássio esteve acompanhado do prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues, do vice-governador da Paraíba Rômulo Gouveia e do Secretário Executivo do Escritório de Representação Institucional do Estado da Paraíba, Professor Moacir Carneiro.

Assessoria do senador Cássio Cunha Lima (PSDB-PB)
Foto: Jaciara Aires

Comentar

Dunga “faz as pazes” com Ricardo e reforça bancada governista na Assembleia Legislativa

Dunga garante que fará parte da bancada governista (imagem da internet)

Dunga garante que fará parte da bancada governista (imagem da internet)

O deputado Carlos Dunga acertou os ponteiros com o governador Ricardo Coutinho e, a partir de hoje, passa a reforçar a bancada governista na Assembleia Legislativa. Após audiência com o governador, Dunga obteve a garantia de ações e obras em municípios onde atua politicamente, condição imposta para atuar em defesa da atual administração. “Não levei um só papel para ninguém dizer que fui em busca de empregos”, adiantou Dunga.

Ricardo teria assegurado a pavimentação de estradas beneficiando os municípios de Boqueirão, Cabaceiras e Alcantil, além de ações em Juazeirinho. O governador também se comprometeu em estudar a possibilidade de redução das alíquotas de imposto sobre a carne bovina e o ferro velho, que beneficiaria agropecuaristas e donos de sucatas, outra reivindicação apresentada pelo parlamentar do PTB.

“Acredito na palavra do governador. Se os meus municípios forem beneficiados, estarei disposto a defender o governo a partir de hoje na Assembleia Legislativa”, afirmou Dunga.

Sobre o possível apoio à reeleição de Ricardo em 2014, Carlos Dunga disse apenas que esse assunto não foi tratado no encontro. Mas, nada impede de entrar em pauta a partir de agora, desde que as partes cumpram o que prometeram.

Comentar

Estela afirma que ações do governo nas bases provocaram mudanças na Assembleia Legislativa

A secretária de Comunicação do Estado, Estela Bezerra, disse hoje que o trabalho desenvolvido pelo governo do Estado em todos os municípios, sem distinção partidária, foi a causa das mudanças recentes na composição da Assembleia Legislativa, onde deputados que até o ano passado faziam parte da oposição, agora retornaram à bancada governista.

“Os deputados começaram a perceber o quanto esse governo é operoso e merece respeito, pela capacidade de realização que tem”, avaliou Estela, acrescentando que alguns parlamentares concluíram que não há sentido em contestar uma administração conceituada perante a opinião pública.

Estela citou o caso do empréstimo da Cagepa, aprovado por unanimidade, como exemplo da mudança de percepção dos deputados que passaram a priorizar o interesse público em relação às questões políticas.

Estela disse que deputados reconhecem trabalho (imagem da internet)

Estela disse que deputados reconhecem trabalho (imagem da internet)

Comentar