Expedito Pereira é vaiado durante inauguração do binário de Bayeux e causa constrangimento ao governador

Aconteceu o que muitas pessoas previam. Gerada por falta de gerência administrativa e medidas antipopulares, a rejeição do prefeito de Bayeux, Expedito Pereira (PSB), que está no seu quarto governo, é tão grande que motivou uma grande vaia na noite desta sexta-feira (27), durante solenidade de inauguração do binário.

Enquanto discursava, Expedito ouviu uma sonora vaia de manifestantes que protestavam contra medidas do governo consideradas de opressão. E tudo aconteceu na frente do governador Ricardo Coutinho (PSB) que deve não ter gostada nada da recepção proporcionada pelo prefeito.

Essa √© a segunda vez que o prefeito foi vaiado em um encontro. O √ļltimo foi no in√≠cio da semana durante uma ouvidoria itinerante no Jardim Aeroporto.

Com uma extensão de 9 km (percurso total ida e retorno), com largura média de 7 metros de pista mais calçadas laterais com largura variável, o trajeto no sentido João Pessoa/Santa Rita segue pela Avenida Liberdade. No sentido Santa Rita/João Pessoa, o tráfego de veículos será pela Avenida Liberdade, ruas Luiza Lila de Lima, Joaquim Fernandes, Pinheiro Machado, Elvira Marsicano e Santa Rita.

Bayeuxemfoco

Comentar

Ricardo Coutinho autoriza licitação do Hospital de Urgência e Emergência em Santa Rita

O Hospital Metropolitano de Urg√™ncia e Emerg√™ncia de Santa Rita, maior obra na √°rea da sa√ļde, vai ser constru√≠do e equipado com investimentos superiores a R$ 100 milh√Ķes, sendo R$ 63,5 milh√Ķes destinados √† constru√ß√£o e o restante na aquisi√ß√£o de modernos equipamentos e mobili√°rio. A autoriza√ß√£o do processo de licita√ß√£o da obra foi assinada na manh√£ desta segunda-feira (30), pelo governador Ricardo Coutinho, na Pra√ßa Jo√£o Pessoa, centro da cidade. A obra deve ser constru√≠da em 18 meses.

O governador Ricardo Coutinho ressaltou que, al√©m dos servi√ßos de urg√™ncia, emerg√™ncia, traumatologia, o Hospital Metropolitano de Santa Rita tamb√©m ter√° uma maternidade de alta complexidade. ‚ÄúEsse hospital vai desafogar o Hospital de Trauma de Jo√£o Pessoa e oferecer uma qualidade de atendimento extraordin√°rio porque vai complementar a rede estadual de sa√ļde de uma forma que n√≥s n√£o vamos ter mais nenhuma demanda reprimida nos hospitais de urg√™ncia e emerg√™ncia em toda essa regi√£o‚ÄĚ, enfatizou.

Ricardo destacou que o novo hospital ser√° maior do que o Hospital de Trauma da Capital: ‚ÄúSer√£o 215 leitos, dos quais 30 leitos de UTI. Ou seja, um grande hospital. Ser√° o maior hospital da Para√≠ba‚ÄĚ. O governador assegurou que os recursos, oriundos do Governo do Estado e do Governo federal, j√° est√£o alocados.

O governador citou ainda outras obras que o Governo do Estado j√° est√° executando em Santa Rita, a exemplo do saneamento b√°sico nas comunidades Odil√Ęndia e V√°rzea Nova e a barragem de capta√ß√£o da Cagepa no conjunto Tibiri, que vai ofertar √°gua tratada. Ele anunciou que vai licitar a escola estadual no conjunto Marcos Moura e assinar a ordem de servi√ßo para a pavimenta√ß√£o de estrada de Forte Velho. ‚ÄúEu quero que Santa Rita avance e o Governo do Estado est√° e estar√° junto com todos aqueles que queiram dar esse passo‚ÄĚ, complementou Ricardo.

SECOM

Comentar

Luiz Couto √© o √ļnico parlamentar paraibano relacionado p√°ra receber pr√™mio do Congresso em Foco

Trabalho de Luiz Couto foi destacado pelo Congresso em Foco (Imagem da Internet)

Trabalho de Luiz Couto foi destacado pelo Congresso em Foco (Imagem da Internet)

O deputado federal Luiz Couto (PT) foi o √ļnico paraibano a se destacar no Pr√™mio Congresso em Foco 2013, entregue na noite da quinta-feira (27/9). Ele ficou entre os cinco parlamentares que mais combatem o crime organizado no Brasil, numa vota√ß√£o feita pelos internautas.

Couto j√° havia sido o √ļnico do estado relacionado para o evento de entrega do Pr√™mio Congresso em Foco 2012, quando tamb√©m recebeu a indica√ß√£o dos internautas do pa√≠s na categoria de enfrentamento √†s organiza√ß√Ķes criminosas.

Luiz Couto disse que esse é um reconhecimento que não o envaidece, mas serve de estímulo para reforçar o seu compromisso com a população e a luta contra os que se organizam para destruir a vida.

Natural de Soledade (PB), Luiz Couto tem 68 anos. √Č Fil√≥sofo e te√≥logo. √Č padre identificado com a chamada teologia da liberta√ß√£o e professor licenciado da UFPB. Jurado de morte por grupos de exterm√≠nio, circula com prote√ß√£o especial da Pol√≠cia Federal. Selecionado para a categoria ‚ÄúCombate ao Crime Organizado‚ÄĚ.

O PRÊMIO

Criado em 2006, o Prêmio Congresso em Foco tem como objetivo estimular a sociedade a acompanhar de perto o desempenho dos congressistas e combater o mito de que todos os políticos são iguais, reconhecendo e valorizando aqueles que se destacam, de maneira positiva, no exercício do mandato.

E os parlamentares n√£o s√£o iguais mesmo. Nenhum dos premiados responde, por exemplo, a investiga√ß√Ķes criminais no Supremo Tribunal Federal (STF), nem est√° sob a mira dos conselhos de √©tica da C√Ęmara e do Senado. Nenhum deles tem tamb√©m hist√≥rico de viola√ß√Ķes aos direitos humanos. Ali√°s, todos os congressistas que se enquadravam em pelo menos uma dessas condi√ß√Ķes sequer puderam ser votados, conforme determina o regulamento.

Comentar

Governador Ricardo Coutinho participa da solenidade de posse do novo prefeito de Solidade

Ricardo Coutinho participou da posse do prefeito de Soledade (Imagem da Internet)

Ricardo Coutinho participou da posse do prefeito de Soledade (Imagem da Internet)

O governador Ricardo Coutinho participou na noite desse domingo (29) da posse do prefeito de Soledade, Fl√°vio Aureliano da Silva Neto, e do vice Carlos Alberto Garcia Falc√£o, no Clube Recreativo da cidade.

Ricardo Coutinho destacou que agora Flavinho é o prefeito de todos. Na sua fala, O governador disse ainda que o gestor precisa ter coragem para realizar as mudanças necessárias. Na solenidade, o governador reafirmou a parceria do Governo do Estado para com o município e disse que, em 1.000 dias, o governo já contabiliza 1.000 km de novas estradas e 748 km de novas adutoras.

O vice-governador R√īmulo Gouveia tamb√©m participou da solenidade e destacou que a popula√ß√£o apoiar√° as a√ß√Ķes do novo prefeito, que ter√° a miss√£o de governar com as atuais condi√ß√Ķes de adversidades que atravessam os munic√≠pios paraibanos. ‚ÄúO prefeito contar√° com a sensibilidade e o compromisso deste governo, que tem dado uma aten√ß√£o especial aos munic√≠pios paraibanos‚ÄĚ, destacou R√īmulo.

‚ÄúSoledade precisa do Governo do Estado para ajudar a realizar as mudan√ßas no nosso munic√≠pio‚ÄĚ , destacou Fl√°vio Aureliano.

Pacto Social – Ricardo Coutinho explicou que a cidade j√° recebeu recursos do Pacto pelo Desenvolvimento Social com a constru√ß√£o de uma nova sala de parto. O governador disse ainda que ir√° conceder ao munic√≠pio a oportunidade de participa√ß√£o no Pacto pelo Desenvolvimento 2013 mesmo com final do edital.‚ÄúA situa√ß√£o de Soledade √© at√≠pica, pois o munic√≠pio estava sob j√ļdice, por isso vamos reabrir o edital para que o prefeito apresente seus projetos‚ÄĚ. De acordo com o governador, o Estado ser√° parceiro de Soledade para equipar uma Policl√≠nica que ir√° atender a toda a popula√ß√£o.

SECOM

Comentar

Sem espaço na gestão de Cartaxo, Jeová Campos abandona PT, adere a Ricardo e se filia ao PSB

Aguardando uma lembrança que não veio na gestão do prefeito Luciano Cartaxo (PT), o ex-deputado estadual Jeová Campos decidiu abandonar os quadros do Partido dos Trabalhadores após quase 30 anos e ingressar no Partido Socialista Brasileiro, onde apoiará a reeleição do governador Ricardo Coutinho em 2014.

Informa√ß√Ķes de bastidores d√£o conta que a quebra de um acordo politico entre Jeov√° Campos e o presidente estadual do PT, Rodrigo Soares teria motivado o rompimento. O acordo previa uma dobradinha entre Rodrigo e Jeov√°, onde um seria candidato a deputado federal e o outro estadual respectivamente. Como Rodrigo Soares, se submeteu as exig√™ncias do prefeito Luciano Cartaxo, desistindo da candidatura a federal, passando a ser pr√©-candidato a estadual, Jeov√° Campos acabou sendo prejudicado e ‘chutou o pau da barraca’.

Em uma audi√™ncia realizada em Jo√£o Pessoa, entre o governador Ricardo Coutinho (PSB), a prefeita Denise Albuquerque (PSB) e o secret√°rio de interioriza√ß√£o Carlos Ant√īnio (DEM), ficou decidido que o ex-deputado se filiar√° ao PSB. A festa para receber o novo girassol est√° sendo preparada para quinta-feira, dia 3 de outubro.

O ex-parlamentar que obteve uma vota√ß√£o de mais de 60 mil votos n√£o conseguiu √™xito nas √ļltimas elei√ß√Ķes ficando na primeira supl√™ncia. Diante do seu insucesso no pleito passado, Jeov√° Campos demonstra m√°goas com algumas figuras da pol√≠tica paraibana, e sempre lamenta por n√£o ter conseguido ser efetivado como representante do povo do sert√£o do estado em Bras√≠lia.

O ‘Rei do Alho’, como √© carinhosamente conhecido, chega ao grupo do governador na inten√ß√£o de buscar o seu retorno √† Assembleia Legislativa, onde espera contar com o apoio da prefeita Denise Albuquerque e do secret√°rio Carlos Ant√īnio.

PBAgora

Comentar

Saída de Benjamin alivia tensão vivida pelo PMDB, mas pode provocar crise na família Maranhão

Benjamin anunciou saída do PMDB nesta segunda-feira (Imagem da Internet)

Benjamin anunciou saída do PMDB nesta segunda-feira (Imagem da Internet)

A sa√≠da de Benjamin Maranh√£o do PMDB, anunciada na manh√£ desta segunda-feira pelo pr√≥prio deputado, √© vista muito mais como um al√≠vio do que como uma perda para o partido e para o ex-governador Jos√© Maranh√£o. Reduzir a representa√ß√£o numa Casa como a C√Ęmara do Deputados nunca foi bom neg√≥cio para qualquer agremia√ß√£o com projetos imediatos e de longo prazo. Muito menos para um expoente como o PMDB. Mas, Benjamin era visto muito mais como sobrinho do ex-governador do que como um pol√≠tico partid√°rio, um parlamentar de atua√ß√£o destacada.

A partir de agora, √© cada um para o seu lado. Como em pol√≠tica tudo √© poss√≠vel, o rumo tomado pelo jovem deputado pode provocar novos “ru√≠dos” na fam√≠lia Maranh√£o, mais tarde. Mas, nada insol√ļvel, que os coloque (Sobrinho e tio) em campos opostos na rela√ß√£o pessoal. Na rela√ß√£o pol√≠tica, entretanto, o afastamento √© bem mais prov√°vel e pode ser at√© definitivo.

Quem sabe no Solidariedade, novo partido de Benjamin, o deputado apresente um melhor desempenho.

Quanto ao PMDB e Maranh√£o, ambos t√™m coisas bem mais importantes e urgentes para se preocupar do que com a ¬īsa√≠da de um parlamentar causador de problemas.

Maranh√£o segurou o quanto pode o sobrinho no PMDB (Imagem da Internet)

Maranh√£o segurou o quanto pode o sobrinho no PMDB (Imagem da Internet)

Comentar

Na festa de filia√ß√Ķes do PSL, Ricardo faz quest√£o de destacar lealdade de Ney Suassuna

Ricardo coutinho 3

Num momento em que o PSDB pressiona o senador C√°ssio Cunha Lima para romper a alian√ßa com o PSB e disputar as elei√ß√Ķes do ano que vem, o governador Ricardo Coutinho (PSB) fez quest√£o de destacar a “lealdade” de Ney Suassuna, durante a filia√ß√£o do ex-senador ao PSL, na tarde de ontem. Ricardo disse que foi essa virtude, exposta por Ney a partir da campanha eleitoral de 2006, que o cativou e aproximou ainda mais os dois.

“Estarei ao seu lado onde voce estiver”, garantiu Ricardo, referindo-se ao novo integrante do PSL, sob aplausos da plat√©ia.

Pura coincid√™ncia ou recado aos “navegantes”? Perguntamos ao pr√≥prio governador que, ao ser abordado, respondeu com uma sonora gargalhada.

Precisa dizer mais?

Comentar

Cássio diz que unidade da bancada paraibana foi fundamental na decisão sobre representação no Parlamento

C√°ssio Cunha Lima destacou unidade da bancada paraibana(Foto Jaciara Alves)

C√°ssio Cunha Lima destacou unidade da bancada paraibana(Foto: Jaciara Aires)

União da bancada impediu que a Paraíba perdesse dois deputados federais e seis estaduais. A votação, realizada na CCJ do Senado nesta quarta-feira (25/09), teve placar apertado: 12 x 10. Logo, não fosse o voto dos três senadores paraibanos, a matéria seria derrubada. Pior: se os senadores Cássio Cunha Lima, Cícero Lucena e Vital do Rêgo não tivessem votado, juntos, pela aprovação do PDS 85/2013, de autoria do senador Eduardo Lopes (PRB-RJ), a Paraíba perderia oito deputados, sendo dois federais e 6 estaduais

DEFESA – O PDS 85/2013 √© um projeto de decreto legislativo que susta os efeitos de resolu√ß√£o do Tribunal Superior Eleitoral, que modifica o n√ļmero de deputados federais para oito estados. O relat√≥rio do senador Pedro Taques (PDT-MT), que era contr√°rio √† aprova√ß√£o da proposta, foi rejeitado por 12 a 10.

Ao defender a proposta e contrariar a resolu√ß√£o do TSE, C√°ssio justificou: ‚ÄúN√≥s, os tr√™s senadores da Para√≠ba, n√£o faremos nada al√©m do que preservar as nossas atribui√ß√Ķes e as compet√™ncias de um Congresso Nacional t√£o enfraquecido exatamente por abdicar do seu poder de legislar, de definir e transferir para outros Poderes aquilo que √© da nossa compet√™ncia, tornando este Congresso cada vez menor‚ÄĚ.

PERDAS E GANHOS – A resolu√ß√£o administrativa do TSE, que redefine o n√ļmero de deputados federais por unidade da Federa√ß√£o, faria com que Par√°, Minas Gerais, Cear√°, Santa Catarina e Amazonas ganhassem deputados. E, por outro lado, Para√≠ba, Piau√≠, Pernambuco, Paran√°, Rio de Janeiro, Esp√≠rito Santo, Alagoas e Rio Grande do Sul perderiam deputados.

No caso espec√≠fico da Para√≠ba, prevaleceu a uni√£o da bancada, demonstrando que a coes√£o √© a senha da atual representa√ß√£o do Estado no Congresso Nacional. Coordenador da bancada no Senado, C√°ssio Cunha Linha advoga que essa uni√£o, al√©m de fortalecer as a√ß√Ķes em prol do Estado, sinaliza salutar maturidade pol√≠tica.

— A palavra de ordem √© multiplicar esfor√ßos. Fomos eleitos para defender a Para√≠ba e os paraibanos. N√£o tem sentido subtrair a√ß√Ķes. √Č preciso somar. J√° disse ‚Äď e repito ‚Äď que todas as prefeituras dos 223 munic√≠pios do Estado contam com o meu apoio, em car√°ter suprapartid√°rio. √Č este o meu dever e obriga√ß√£o como senador da Para√≠ba – explica o senador, com didatismo.

SUPRAPARTID√ĀRIO – Para ele, essa vis√£o suprapartid√°ria no encaminhamento dos pleitos da Para√≠ba est√° imprimindo um novo tempo √†s rela√ß√Ķes dos atores pol√≠ticos com a Uni√£o. ‚ÄúA divis√£o apenas nos enfraqueceria‚ÄĚ ‚Äď diz C√°ssio, para quem as diferen√ßas locais devem ser tratadas como tais. De fato, quem acompanha a Agenda Para√≠ba em Bras√≠lia sabe que h√° menos personalismo nos gestos dos parlamentares. Dificilmente h√° pedido de audi√™ncia individual com um ministro de Dilma Rousseff, por exemplo.

C√°ssio define: ‚ÄúSe h√° um gargalo, um pleito ou um problema a ser resolvido em favor do nosso Estado, vamos todos: tucanos, petistas, peemedebistas… Ali√°s, nesses momentos n√£o somos partido x ou y. Nesses momentos, nosso partido √© a Para√≠ba‚ÄĚ.

UNI√ÉO – Para ilustrar a tese de que a uni√£o faz a for√ßa, C√°ssio lembra as a√ß√Ķes em conjunto da bancada em temas cruciais para a sobreviv√™ncia do Estado, tais como o Or√ßamento (no que diz respeito √†s emendas de bancada), a preocupa√ß√£o com o A√ßude Boqueir√£o, as a√ß√Ķes contra o fechamento de armaz√©ns da Conab, o perd√£o da d√≠vida para agricultores (encalacrados com a pior seca dos √ļltimos 50 anos) e a cobran√ßa persistente √† transposi√ß√£o do S√£o Francisco.

Agora, com a aprova√ß√£o do projeto que impede a subtra√ß√£o de representantes do povo, que s√≥ foi poss√≠vel gra√ßas aos votos de C√°ssio, C√≠cero e Vital, a Para√≠ba mostra, definitivamente, que a uni√£o da bancada em prol do Estado n√£o √© mera figura de ret√≥rica. √Č fato. E fato digno de registro e que, por isto mesmo, vai entrar para a hist√≥ria. Afinal, se √© para o bem dos paraibanos e felicidade geral da Para√≠ba, os nossos parlamentares demonstram que agem, lutam e votam por n√≥s, a despeito da ideologia partid√°ria de cada um.

Assessoria do senador C√°ssio Cunha Lima (PSDB-PB)
Foto: Jaciara Aires

Comentar

TCE rejeita contas e manda ex-prefeito de Catingueira devolver R$ 471 milh√Ķes aos cofres p√ļblicos

F√°bio Nogueira preside o Tribunal de Contas do Estado (Imagem da Internet)

F√°bio Nogueira preside o Tribunal de Contas do Estado (Imagem da Internet)

O Tribunal de Contas da Para√≠ba, reunido nesta quarta-feira (25), emitiu parecer contr√°rio √† aprova√ß√£o das contas de 2011 apresentadas pelo ex-prefeito de Catingueira, Jos√© Erivan F√©lix, a quem imp√īs d√©bito superior a R$ 471 mil por gastos de naturezas diversas sem comprova√ß√£o documental, como prop√īs o relator do processo, o auditor Marcos Antonio da Costa. O ex-prefeito, que tamb√©m respondeu por aplica√ß√Ķes insuficientes em educa√ß√£o e sa√ļde, ainda pode recorrer dessa decis√£o.

Despesas ao licitadas em valores acima de R$ 1 milh√£o, al√©m do n√£o recolhimento de contribui√ß√Ķes previdenci√°rias, resultaram na reprova√ß√£o das contas de 2011 do prefeito de Mogeiro Antonio Jos√© Ferreira, segundo entendimento do relator Renato S√©rgio Santiago Melo, do qual tamb√©m cabe recurso.

As contas de 2011 da C√Ęmara de Vereadores de Caapor√£ sofreram a desaprova√ß√£o do TCE em raz√£o de despesas n√£o comprovadas com a folha de pessoal, pelo que foi imposto ao ent√£o presidente Aremilson Alexandre Chaves o d√©bito de R$ 30.953,00, como entendeu o relator Fernando Cat√£o.

Remunera√ß√£o recebida em excesso levou √† desaprova√ß√£o, ainda, das contas de 2011 da C√Ęmara Municipal de Nova Olinda com imputa√ß√£o do d√©bito conjunto de R$ 12.756,00 aos vereadores.

A C√Ęmara de Cruz do Esp√≠rito Santo teve desaprovadas as contas de 2010 e 2011 por irregularidades que inclu√≠ram saldo a descoberto no caixa da Tesouraria e despesas sem comprova√ß√£o documental. O gestor Rivaldo Cabral Junior deve devolver R$ 23,3 mil aos cofres p√ļblicos. Remunera√ß√£o indevidamente recebida, no exerc√≠cio de 2010, a t√≠tulo de participa√ß√£o em sess√£o extraordin√°ria tamb√©m resultou no d√©bito individual de R$ 300,00 para cada vereador.

A reprova√ß√£o √†s contas de 2011 da mesma C√Ęmara decorreram do n√£o recolhimento de contribui√ß√Ķes previdenci√°rias e, ainda, de gastos excessivos com a folha de pessoal, conforme voto do relator Arn√≥bio Viana. Cabe recursos de ambas as decis√Ķes.

Tamb√©m foram desaprovadas as contas de 2010 e 2011 da C√Ęmara Municipal de Aroeiras, no primeiro caso, com imposi√ß√£o de d√©bito ao ent√£o presidente superior a R$ 16 mil em vista de despesas n√£o comprovadas, em sua maior parte, com servi√ßo de contabilidade. No segundo caso, houve imputa√ß√£o de d√©bito superior a R$ 84 mil ao ex-gestor Jailson Bezerra de Andrade por saldo n√£o comprovado (mais de R$ 60 mil) e despesas tamb√©m sem comprova√ß√£o documental com o INSS. Foi relator de ambos os processos o auditor Antonio Cl√°udio Silva Santos. Cabem recursos.

APROVA√á√ēES – Tiveram as contas de 2011 aprovadas os prefeitos de Araruna (Wilma Targino Maranh√£o) e Areia de Bara√ļnas (Vanderlita Guedes Pereira). Tamb√©m, os ex-prefeitos de Po√ßo Dantas (Itamar Moreira Fernandes) e Cacimba de Dentro (Edmilson Gomes de Souza).

O TCE aprovou, ainda, as contas de 2011 das C√Ęmaras Municipais de Areia, (por maioria), Desterro, Tapero√° e Concei√ß√£o, exerc√≠cio de 2012, neste √ļltimo caso, o que valeu refer√™ncia do conselheiro Fernando Cat√£o. ‚ÄúJ√° estamos em 2012 a examinar contas do ano passado‚ÄĚ, observou ele.

A Companhia Paraibana de G√°s teve aprovadas as contas de 2011, o mesmo ocorrendo com as contas de 2010 da Secretaria de Estado do Planejamento e Gest√£o, neste caso, com ressalvas.

Os processos constantes da pauta de julgamentos do TCE representaram movimenta√ß√£o de recursos da ordem de R$ 904.090.279,26. Participaram da sess√£o plen√°ria, conduzida pelo presidente F√°bio Nogueira, os conselheiros Umberto Porto, Arn√≥bio Viana, Nominando Diniz, Fernando Cat√£o, Arthur Cunha Lima e Andr√© Carlo Torres Pontes. Tamb√©m, os auditores Antonio Gomes Vieira Filho, Antonio Cl√°udio Silva Santos, Marcos Costa, Oscar Mamede e Renato S√©rgio Santiago Melo. O Minist√©rio p√ļblico esteve representado pela procuradora geral Isabella Barbosa Marinho Falc√£o.

Ascom do TCE

Comentar

Suassuna descarta disputar mandato de deputado federal e deflagra luta por indica√ß√£o ao Senado : “Ou Senado ou nada”

Na presen√ßa do governador Ricardo Coutinho (PSL) , do vice, R√īmulo Gouveia (PSD), e do l√≠der do governo, deputado Herv√°zio Bezerra (PSDB), o ex-senador Ney Suassuna assinou na tarde desta quarta-feira, ficha de filia√ß√£o ao Partido Social Liberal. Ney disse que escolheu o PSL por aten√ß√£o √† Aracilba Rocha, secret√°ria estadual de Finan√ßas, e do deputado Ti√£o Gomes, presidente do partido.

Al√©m de anunciar que far√° todo esfor√ßo para eleger Aracilba, Ney disse que estar√° no partido disposto a ajudar no projeto de reelei√ß√£o de Ricardo Coutinho que, segundo ele, ‚Äú√© o melhor governador que a Para√≠ba j√° teve‚ÄĚ.

O ex-senador tamb√©m descartou disputar vaga na C√Ęmara Federal, como se especulava, e deixou claro que s√≥ disputar√° elei√ß√£o para o Senado Federal. Mesmo assim, caso a conjuntura seja favor√°vel. ‚ÄúOu o Senado ou nada. Se n√£o for candidato, estarei trabalhando para ajudar o partido e o governador‚ÄĚ, avisou.

O deputado Ti√£o Gomes disse que ser√° ‚Äúum soldado de Ney‚ÄĚ e colocou o PSL √† disposi√ß√£o do ex-senador para lutar ao seu lado em qualquer tipo de disputa. ‚ÄúO PSL estar√° ao seu lado para disputar qualquer cargo‚ÄĚ, garantiu.

Al√©m de Suassuna e Aracilba, o PSL filiou mais de uma dezena de lideran√ßas pol√≠ticas, todas pr√©-candidatas √† Assembleia Legislativa nas elei√ß√Ķes de 2014, a exemplo do ex-deputado Jo√£o Bosco Carneiro J√ļnior e do vereador campinense Cassiano Pascoal Filho.

Assessoria

Comentar