Estela afirma que Cássio não seria eleito senador sem o apoio de Ricardo Coutinho

A secretária chefe de gabinete do Governo do Estado, Estela Bezerra, disse hoje que se não fosse Ricardo Coutinho,  Cássio Cunha Lima  não teria sido eleito senador em 2010.

Ela argumentou que  Cássio foi beneficiado com o prestígio e popularidade de Ricardo em João Pessoa, onde foi eleito e reeleito prefeito.

Segundo Estela, o tucano não teria alcançado os mais de um milhão de votos sem a ajuda do “Mago” na Capital,  que elegeu-se governador com 58% dos votos dos pessoenses.

Pelo jeito, os ricardistas querem dar um basta no discurso de que “Cássio foi quem elegeu o governador”.

Com informações da Rádio Arapuan FM

Comentar

Nadja confirma que PT vai procurar PMDB para discutir aliança já no primeiro turno

Nadja Palitot

Nadja Palitot

O “Blocão”, formado por PT, PP e PSC, se reúne hoje para discutir o andamento do processo sucessório estadual e deve fechar para definir o pré-candidato a governador da aliança, bem como nomes para o restante da chapa majoritária. O encontro foi confirmado pela advogada e ex-vereadora Nadja Palitot, que adiantou também que o PT vai procurar o PMDB para discutir a possibilidade de aliança já no primeiro turno.

“Teremos uma reunião amanhã, onde discutiremos questões ligadas à chapa majoritária e às alianças partidárias. Nós, do Blocão, já temos uma proposta de governo em andamento e queremos também, no mais breve espaço de tempo, apresentar nomes para disputar as eleições. Vamos também procurar o PMDB para tratar de uma possível composição”, sustentou Palitot.

Nadja explicou que o rompimento entre o senador Cássio Cunha Lima (PSDB) e o governador Ricardo Coutinho (PSB) provocou abalo significativo no grupo governista, fortalecendo por outro lado as forças de oposição. “É por isso que estamos trabalhando no sentido de unidade para aproveitarmos essa perda do governo”, sustentou.

Comentar

Padre Luiz Couto afirma que Cartaxo “peca” e está sendo “ingrato” com o ex-prefeito Luciano Agra

Couto criticou gestão de Luciano  Cartaxo

Couto criticou gestão de Luciano Cartaxo

Padre que se preza, entende de reza e pecado. Que o diga Luiz Couto, político por profissão e sacerdote por convicção. Ele quase prega a excomunhão do prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo, seu companheiro de partido, a quem chamou de ingrato

Couto acha que o prefeito não deveria tratar seu antecessor, Luciano Agra (PEN), com tanto “desprezo” e previu que essa ingratidão deve causar sérios prejuízos políticos e pessoais ao petista mais na frente. “Cartaxo está pecando e sendo ingrato com o ex-prefeito (Agra) que ajudou a elegê-lo. Mas, aqui a gente faz, aqui a gente paga”, filosofou o padre Couto.

O padre ainda menosprezou a pré-candidatura do PT, representada pela advogada Nadja Palitot, a quem considera com poucas chances de sucesso.

 

O deputado federal Luiz Couto (PT), que foi contra a candidatura própria do PT em João Pessoa e não tem se demonstrado a favor de uma candidatura petista ao governo, disse ao MaisPB que o prefeito da Capital, Luciano Cartaxo, está pecando contra o ex-prefeito Luciano Agra (PEN) e advertiu o gestor que ‘quem aqui faz, aqui paga’.

Insatisfeito com a indicação de Nadja Palitot para disputar o governo pelo PT, Couto argumentou que a participação de Agra nas eleições 2012 foi fundamental para vitória de Cartaxo, o que tornaria a candidatura petista deste ano diferente de Luciano no ano retrasado. Na visão do parlamentar, está faltando para Nadja ‘um avalista’ eleitoral com ‘o crédito’ de Luciano Agra.

Teólogo, o deputado classificou uma suposta ingratidão de Cartaxo ao apoio de Agra como pecado. “ A candidatura de Luciano foi muito mais Agra que colocou toda a sua força aqui e elegeu Cartaxo e que hoje eles não são gratos a isso que Luciano Agra fez para eleger Luciano Cartaxo em João Pessoa”, disse o deputado que classificou a ingratidão como “um grave pecado” na política.

Luiz Couto ainda fez uma advertência ao prefeito da Capital. “As pessoas precisam aprender a serem gratos, porque se eles forem ingratos um dia vão receber ingratidão por parte de outras pessoas”.

Comentar

Gustavo Nogueira entrega cargo e Ricardo diz que só ficará quem realmente “vestir a camisa” do governo socialista

Imagem da Internet

Imagem da Internet

O secretário estadual de Planejamento Gustavo Nogueira pediu exoneração do cargo, seguindo orientação do PSDB aprovada durante reunião da executiva estadual, na manhã de ontem. A decisão, em caráter irrevogável, foi comunicada ao governador Ricardo Coutinho (PSB) através de carta.

Coincidência ou não, Nogueira entregou o cargo horas depois de Ricardo Coutinho ter afirmado, durante inaugurações pelo interior do Estado, que só ficaria no governo quem realmente vestisse a camisa de sua gestão. O governador alegou que, os que ficarem, estarão assumindo integralmente a bandeira da atual administração.

Quando foi entregar o pedido de exoneração, Nogueira deu entrevista ao jornalista Janildo Silva, editor do portal Clickpb, alegando que, por ser filiado ao PSDB, seguiria todas as decisões do partido. Uma delas foi a saída imediata dos tucanos da gestão socialista.

Comentar

Rompimento entre Ricardo e Cássio leva PT a defender união das oposições no primeiro turno

Imagem da Internet

Imagem da Internet

O rompimento político entre o governador Ricardo Coutinho e o senador Cássio Cunha Lima não afetou apenas o futuro do PSB e do PSDB na Paraíba. Atingiu em cheio as pretensões de partidos de oposição. O PT, por exemplo, que antes batia o pé em defesa do chamado “Blocão”, agora já admite se unir ao PMDB no primeiro turno.

Ou seja, se a pré-candidatura do ex-prefeito de Campina Grande, Veneziano Vital do Rego impedia qualquer tipo de composição com os petistas, hoje a história é diferente. Que o diga o deputado Anísio Maia, um dos principais porta-vozes do PT. “Essa divisão fortalece as oposições que saem fortalecidas e devem se unir em torno de um único nome para disputar as eleições já no primeiro turno”, afirmou Maia.

A estratégia do PT, antes do rompimento, era escolher um nome dentro do “Blocão”. Nesse caso, o candidato sairia do PT, PP ou do PSC, partidos que formam a aliança. E o PT apostava na advogada Nadja Palitot como alternativa para convencer os aliados. Agora, o caminho terá que ser refeito.

Em nível nacional, já existe uma pressão dos dois partidos para que caminhem juntos na Paraíba no primeiro turno.

 

 

Comentar

Vereador revela que Cartaxo ofereceu apenas 5,9% de aumento aos professores, mas sequer formalizou proposta

Imagem da Internet

Imagem da Internet

O vereador Raoni Mendes (PDT) revelou hoje que o prefeito Luciano Cartaxo (PT) ofereceu apenas 5,9% de aumento aos professores da rede municipal de ensino, mas não teve sequer coragem de formalizar a proposta na mesa de negociações, diante da diferença em relação aos 15% solicitados pelo sindicato da categoria.

Raoni considerou o índice “vergonhoso” para alguém que prometeu, no palanque de campanha, priorizar a educação e valorizar o magistério. “É assim que o prefeito trata os professores, mas não era assim que ele agia quando buscava os votos da categoria enquanto candidato em campanha”, comparou.

Além das críticas à política salarial, o vereador denunciou em plenário o sucateamento de escolas, apresentando em vídeo a situação de uma dessas unidades educacionais com janelas quebradas, problemas hidráulicos e sem ventilação. “As carteiras escolares só chegaram agora, mas as aulas começaram desde o dia 5”, acrescentou.

Comentar

Durval diz que Cássio “fez muito mais” que Ricardo pela Paraíba e tem todo direito de ser candidato

Imagem da Internet

Imagem da Internet

O PP, do ministro Aguinaldo Ribeiro, dá claros sinais de que se aproxima do PSDB, do senador Cássio Cunha Lima. Agora a pouco, na Câmara Municipal, o presidente Durval Ferreira disse que Cássio fez muito mais pela Paraíba que o governador Ricardo Coutinho (PSB) e defendeu a candidatura do tucano ao Governo do Estado em outubro.

“Pelo tempo que tiveram no governo, acredito que Cássio fez muito mais do que Ricardo pela Paraíba. E não vejo problema em ele (Cássio) ser candidato. Rompimento acontece em todo canto, até com parentes”, afirmou Ferreira.

O vereador admitiu ainda que o ministro Aguinaldo Ribeiro poderá figurar na chapa de Cássio como candidato a senador, mas isso dependeria ainda das negociações entre PSDB e PP que estão em curso.

Comentar

Vereador do PSB afirma que “faltou coragem” a Cássio para revelar os seus reais interesses

Imagem da Internet

Imagem da Internet

O vereador Renato Martins, do PSB, insinuou hoje na Câmara Municipal de João Pessoa que o senador Cássio Cunha Lima (PSDB) vinha trabalhando há muito tempo para ser candidato a governador e não teve coragem de assumir essa postulação até agora. “Faltou coragem a Cássio para revelar seus reais interesses”, disparou.

Segundo ele, o rompimento de Cássio não muda o projeto de reeleição do governador Ricardo Coutinho (PSB) que “continuará trabalhando e executando obras de interesse da sociedade paraibana”.

Renato Martins disse ainda que a atração de lideranças e partidos políticos não será decisiva para vencer as eleições de outubro. “O que importa é o povo”, sustentou, esquecendo que o governador Ricardo Coutinho contabiliza o apoio de 140 dos 223 prefeitos e busca montar um palanque com maior número possível de partidos para obter mais tempo de televisão, outro fator fundamental numa campanha.

Comentar

Diretórios regionais decidem sobre alianças estaduais e PEN deve fechar com Cássio na Paraíba

 

imagem da internet

imagem da internet

O Conselho Nacional Deliberativo do Partido Ecológico Nacional (PEN-51) se reuniu na tarde desta segunda-feira (24) na sede da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (ALESP). Durante o encontro ficou definido que os diretórios e comissões terão autonomia para decidir apoios para as eleições de outubro próximo. O diretório nacional também definirá o posicionamento em relação a disputa pela presidência da República.

O deputado estadual da Paraíba, Ricardo Marcelo, presidente do conselho, informou que cada estado tem uma realidade diferenciada, ficando mais fácil para os dirigentes partidários e filiados definir o melhor projeto político a abraçar. “Este é um partido de diálogo e não admitimos imposição. Tudo é construído ouvindo os nossos militantes”, destacou.

Além da Paraíba, que tem a Presidência, o Conselho conta com integrantes do PEN de Minas Gerais, São Paulo, Rio de Janeiro, Acre, Maranhão, Tocantins, Pará, Mato Grosso, Paraná, Espírito Santo e Distrito Federal. Todas as decisões nacionais que serão tomadas pela legenda passam pela entidade.

Ricardo Marcelo, que também preside a Assembleia Legislativa da Paraíba, disse que o PEN vem desenvolvendo um trabalho sério e consistente junto à população. De acordo com ele, a legenda tem um projeto pautado no desenvolvimento e na sustentabilidade para o país. “Vamos ser testados pela primeira vez nas urnas e tenho certeza que teremos um bom resultado. Foi de fundamental importância dar autonomia para que os diretórios e comissões definam a sua participação no pleito, pois não podemos intervir em uma realidade que não conhecemos a fundo” avaliou.

Com Assessoria

Comentar

Vereador do PT apoia paralisação de professores municipais e cobra de Cartaxo melhorias salariais

benilton lucena

O vereador Benilton Lucena (PT) disse hoje que apoia integralmente a paralisação das atividades pelos professores da rede pública municipal de ensino de João Pessoa, que cobram melhorias salariais. Benilton alegou que o salário pago aos docentes está defasado e não pode ser comparado com o dos professores do Estado, que está bem abaixo dos patamares reclamados.

“Para se ter ideia, um professor com mestrado da rede estadual ganha igual a um licenciado do município. Então, não podemos ter esse salário como parâmetro. Temos que usar como parâmetro o salário dos professores do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina, para manter os professores de João Pessoa com a quarta melhor remuneração do país e a primeira do Nordeste”, sustentou Benilton.

Ex-presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Município, Benilton acredita que o prefeito Luciano Cartaxo e seus secretários encontrarão uma saída para evitar a mobilização dos docentes. Caso contrário, já deixou bem claro de lado ficará nessa peleja.

Comentar