Professora Margareth Diniz comemora vitória nas urnas e vai comandar UFPB até 2020

Imagem da Internet

Imagem da Internet

A atual reitora da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), professora Margareth Diniz, foi reeleita para gerir a instituição pelo quadriênio 2016-2020. O resultado foi concretizado por volta das 23h30 desta quarta-feira (26), mas a festa dos apoiadores de Margareth já tinha começado desde às 21h, após o encerramento da votação e início da apuração com as primeiras urnas apontando a vitória da candidata da cor azul.

O segundo turno do processo de escolha para o novo reitorado foi disputado entre os candidatos da Chapa 1, Luiz de Sousa Júnior (Reitor) e Terezinha Domiciano Dantas Martins (vice-reitora); e da Chapa 2, Margareth de Fátima Melo Diniz (Reitora reeleita) e Bernardina Maria Juvenal Freire de Oliveira (vice-reitora).

De acordo com último boletim divulgado pela Comissão Eleitoral, a atual reitora obteve 53,79% dos votos proporcionais, enquanto que Júnior registrou 46,21% dos sufrágios.

Após o resultado final, as professoras Margareth Diniz e Bernardina Oliveira comemoraram junto com apoiadores da Chapa 2, no interior do Campus I, em João Pessoa.

Comentar

Presidente do PSB diz que Cartaxo abandonou Dilma e traiu aliados. “Deve muitas explicações à população”

Imagem da Internet

Imagem da Internet

O presidente do diretório do PSB em João Pessoa, Ronaldo Barbosa, disse nesta quarta-feira que o prefeito Luciano Cartaxo (PSD) terá que explicar aos eleitores por que abandonou a presidente Dilma Roussef, que enfrenta processo de impeachment, e traiu aliados importantes que o ajudaram a chegar ao poder. Segundo ele, na hora de pedir voto para seu projeto de reeleição Cartaxo será cobrado nesse sentido. “Todo mundo sabe que Cartaxo foi eleito com a ajuda de Luciano Agra, Roseana Meira e Nonato Bandeira. Mas, a máscara vai cair. (Cartaxo) Deve muitas explicações à população pessoense para justificar sua reeleição”, sustentou.

Barbosa lembrou ainda a rumorosa operação de retirada das 200 mil toneladas de lixo das obras da Lagoa, do Parque Solon de Lucena, até agora não detalhada pelo atual prefeito e seus auxiliares. Relatório da CGU aponta desvio de mais de R$ 9 milhões nas obras da Lagoa e uma CPI continua à espera de instalação na Câmara Municipal de João Pessoa para apurar o suposto “rombo” e o destino do lixo que não sabe onde foi parar.

“A população está acompanhando tudo e na hora certa vai cobrar respostas, vai querer saber do prefeito o que realmente foi feito com o dinheiro público”, previu o dirigente socialista, entrevistado pelo Sistema Arapuan de Comunicação.

Comentar

TCE manda prefeito de Gado Bravo devolver R$ 1,3 milhão por despesas irregulares com locação de veículos

Imagem da Internet

Imagem da Internet

O Tribunal de Contas da Paraíba, reunido nesta quarta-feira (27), emitiu parecer contrário à aprovação das contas de 2014 encaminhadas pelo prefeito de Gado Bravo, Austerliano Evaldo Araújo, a quem impôs o débito de R$ 1.353.576,00 por despesas irregulares com locação de veículos (a maior parte delas) e prestadores de serviço. A decisão, da qual ainda cabe recurso, deu-se, à unanimidade, conforme entendimento do conselheiro substituto Antonio Gomes Vieira Filho.

Houve aprovação às contas de 2013 dos prefeitos de São José de Princesa (Luis Ferreira de Morais) e Araruna (Wilma Targino Maranhão), conforme votos, respectivamente, dos relatores Oscar Mamede Santiago Melo e Nominando Diniz.

Em grau de recurso, tiveram suas contas aprovadas o prefeito de Olho d’Água (Francisco de Assis Carvalho, exercício de 2012) e o ex-prefeito de Caraúbas (Severino Virgínio da Silva, 2011).

O TCE aprovou, ainda, as contas da Secretaria de Estado dos Recursos Hídricos, do Meio Ambiente e da Ciência e Tecnologia (2013), do Fundo de Apoio ao Desenvolvimento Industrial da Paraíba (2011) e da Secretaria de Infra-Estrutura do Município de João Pessoa (2004, neste caso, após o julgamento de recurso interposto pelo ex-gestor Evandro de Almeida Fernandes).

A Corte também entendeu pela regularidade das contas das Câmaras Municipais de Araruna (2013, com ressalvas e em grau de recurso), Mari (2014), Cacimbas (2013), São José do Sabugi (2013) e Barra de Santa Rosa (2013, com ressalvas),

Participaram da sessão plenária conduzida pelo decano Arnóbio Viana, os conselheiros Nominando Diniz, Fábio Nogueira, Fernando Catão e Marcos Costa. Também, os conselheiros substitutos Antonio Cláudio Silva Santos, Antonio Gomes Vieira Filho, Oscar Mamede e Renato Sérgio Santiago Melo. O Ministério Público de Contas esteve representado pela procuradora geral Sheyla Barreto Braga de Queiroz.

Com Ascom

Comentar

Nome de Cida Ramos cresce “na bolsa de apostas” e vereador do DEM defende sua indicação para disputar eleição na Capital

Imagem da Internet

Imagem da Internet

A presença da professora Aparecida Ramos, titular da Secretária Estadual de Desenvolvimento Social, ao lado do governador Ricardo Coutinho durante solenidade nesta terça-feira, aumentou as especulações sobre sua possível escolha para substituir João Azevedo, que desistiu de disputar a Prefeitura de João Pessoa pelo PSB. Nesta quarta-feira, Cida ganhou importante aliado fora de seu partido: o vereador Raoni Mendes (DEM) defendeu a secretária como alternativa para concorrer à sucessão do prefeito Luciano Cartaxo (PSD).

Cida Ramos vem desenvolvendo um bom trabalho a frente da SEDES e, diferente de outros auxiliares, não provoca problemas para o governador Ricardo Coutinho. Além do mais, tem trânsito livre junto a professores, estudantes e as camadas mais carentes da população, alvo central de sua pasta. “Vou levar minha sugestão ao DEM e se puder opinar junto ao PSB defenderei a indicação de Cida”, garantiu Raoni Mendes.

Comentar

Oposição afirma que Cartaxo “deu um tiro no pé” com relatório da CEF e cobra CPI da Lagoa

A bancada de Oposição avalia que o prefeito Luciano Cartaxo (PSD) “deu um tiro no pé” com a apresentação do relatório da Caixa Econômica Federal em audiência pública na última segunda-feira, na Câmara Municipal. O documento e as críticas ao relatório da Controladoria Geral da União levou o dirigente do órgão, Gabriel Aragão Wright, a se pronunciar, reafirmando o teor do documento com as irregularidades apontadas, incluindo o suposto desvio de quantia superior a R$ 9 milhões das obras da Lagoa.

O vereador Raoni Mendes (DEM) disse que a instalação da CPI da Lagoa, para investigar as denúncias contidas no relatório da CGU, tornou-se imprescindível. “Mais do que nunca ficou claro que as irregularidades existem. Como bem colocou o seu dirigente, a CGU só elabora relatórios técnicos e não políticos. Daí a certeza dos dados coletados e inseridos no documento. Enquanto isso tudo não for esclarecido, permanece a suspeita. Queremos saber onde foram parar os R$ 9 milhões desviados e ainda as 200 mil toneladas de lixo que a Prefeitura de João Pessoa afirma ter retirado das obras da Lagoa”, disparou.

Mendes disse ainda que, quanto mais o prefeito Luciano Cartaxo trabalha trabalha para retardar a instalação da CPI, mais aumentam as suspeitas de irregularidades que pairam sobre essas obras. “A população está de olho nas manobras na Câmara Municipal e, a essa altura do campeonato, já deve ter juízo de valor sobre o caso. Esse lixo da Lagoa ainda vai feder muito”, ´prevê.

E como vai!

Comentar

Chefe da CGU na Paraíba reafirma relatório que aponta suposto desvio de R$ 9 milhões nas obras da Lagoa

O chefe da Controladoria Geral da União na Paraíba, Gabriel Aragão Wright, reafirmou todo conteúdo do relatório elaborado por técnicos daquele órgão de fiscalização que aponta o suposto desvio de uma soma superior a R$ 9 milhões das obras de reforma da Lagoa, do Parque Solon de Lucena. Gabriel lembrou que os relatórios da CGU são técnicos e não políticos, baseados em informações e provas coletadas pelos auditores.

O dirigente deixou claro que não retira uma só palavra do documento, encaminhado inclusive ao prefeito Luciano Cartaxo (PSD) logo que concluído. Gabriel Araujo disse ainda que os vereadores têm “obrigação” de investigar denúncias envolvendo recursos públicos no âmbito do município de João Pessoa.

Abaixo, vídeo com entrevista do chefe da CGU ao portal Paraibaja:

Comentar

PSB retira candidatura de João Azevedo e Estela Bezerra é a mais cotada para assumir disputa municipal

Imagem da Internet

Imagem da Internet

Em nota distribuída à Imprensa, o Partido Socialista Brasileiro decidiu retirar o nome do secretário estadual da Infraestrutura, João Azevedo, da disputa municipal, consolidando rumores que circulavam desde a semana passada. A permanência de Azevedo foi assegurada pelo governador Ricardo Coutinho (PSB) no início da semana, durante inaugurações no Conde, mas acabou sucumbindo diante da estagnação da pré-candidatura socialista nas pesquisas de opinião pública.

A deputada Estela Bezerra, que disputou a eleição municipal de 2012, é a mais cotada para substituir Azevedo, mas o deputado Gervasio Maia, ex-PMDB, também está no páreo. Mesmo sem revelar publicamente, o líder do governo na Assembleia Legislativa, Hervázio Bezerra (PSB), torce pela indicvação de Estela. “Vamos discutir internamente qual a melhor alternativa”, resumiu.

Imagem da Internet

Imagem da Internet

Abaixo, a Nota do PSB na íntegra:

NOTA

João Pessoa, 26 de abril de 2016

O presidente do Diretório Municipal do Partido Socialista Brasileiro, Ronaldo Barbosa, e o companheiro João Azevedo, atual secretário estadual de Infra-Estrutura, Recursos Hídricos, Meio Ambiente, Ciência e Tecnologia, em comum acordo, após reunião e deliberação conjunta,

1 – Considerando o atual cenário político nacional, que mudou inesperada e radicalmente a conjuntura, levando o Brasil a incertezas das mais diversas no campo econômico, administrativo e social, exigindo ainda mais atenção e capacidade de seus gestores;

2 – Considerando, em razão disso, a necessidade de dar continuidade, sem riscos de comprometimento do ritmo adotado, a um modelo administrativo que vem transformando a Paraíba, apesar dos obstáculos impostos pela atual crise política e econômica pela qual enfrenta o país;

3 – Considerando a importância da secretaria de Infra-Estrutura, Recursos Hídricos, Meio Ambiente, Ciência e Tecnologia, que responde pela quase totalidade das principais ações adotadas pelo governo do Estado, incluindo, entre outras, a construção de estradas, hospitais e infra-estrutura hídrica, exigindo o acompanhamento rigoroso da execução das obras em curso, tendo o companheiro João Azevedo como seu principal responsável ao lado do governador Ricardo Coutinho, desde o planejamento do projeto até o trabalho de captação de recursos junto ao governo federal e outras instituições financeiras;

4 – Considerando o caráter imprescindível do companheiro João Azevedo e sua disposição em se manter como secretário da pasta mais estratégica da atual gestão estadual, contribuindo com o projeto administrativo em curso diante de um cenário de extrema fragilidade econômica e institucional, adiando sua participação num processo eleitoral;

5 – Considerando ainda que toda essa alteração da conjuntura nacional supõe a avaliação de outros perfis igualmente capazes de discutir, elaborar e defender junto à militância e, especialmente, à população de João Pessoa os caminhos que devolvam a nossa cidade, capital de todos os paraibanos, a esperança de voltar a crescer de verdade, sem maquiagens ou demagogia política, resgatando os pilares da efetiva participação popular, igualdade social e desenvolvimento de João Pessoa;

Resolvem:

Abrir discussão interna sobre a substituição do companheiro João Azevedo Lins Filho na disputa eleitoral que se aproxima pela prefeitura municipal de João Pessoa por um novo nome a ser colocado pelo partido à disposição da população pessoense nas eleições deste ano.

Ronaldo Barbosa
Presidente do PSB de João Pessoa

João Azevedo Lins Filho
Secretário de Infra-Estrutura, Recursos Hídricos, Meio Ambiente, Ciência e Tecnologia

Comentar

Bancada de Cartaxo rejeita convocação da CGU e Oposição vê tentativa de “abafar” denúncia de desvio de recursos da Lagoa

Imagem da Internet

Imagem da Internet

A Câmara Municipal de João Pessoa acaba de rejeitar, por maioria, requerimento do vereador Lucas de Brito (PSL) propondo a convocação de técnicos da Controladoria Geral da União para esclarecer denúncia de desvio de R$ 9 milhões das obras de reforma da Lagoa, do Parque Solon de Lucena. A bancada de Oposição acusa o prefeito Luciano Cartaxo (PSD) e seus aliados de tentarem “abafar” a acusação, apontada em relatório da própria CGU.

“Está claro que o desejo do prefeito é abafar essa denúncia. Por isso trouxeram esse relatório da Caixa Econômica Federal que, além das contradições, não se contrapõe em nada ao da CGU. Queremos saber sobre os R$ 10 milhões que foram desviados das obras da Lagoa. Isso é o que interessa à população pessoense e até agora o prefeito e seus aliados não conseguiram explicar”, afirmou Zezinho Botafogo (PSB).

Botafogo disse ainda que o relatório da CEF não pode servir de parâmetro para combater o da CGU por conta das ligações do secretário municipal de Planejamento, Cássio Andrade, tem com o banco estatal. “Esse relatório foi feito pela esposa de Cássio, que é funcionária da Caixa”, afirmou Botafogo.

O vereador Raoni Mendes (DEM) disse que a bancada do prefeito tem medo da presença dos técnicos da CGU porque sabem da importância e da veracidade do relatório que aponta o desvio milionário nas obras da Lagoa. “O relatório da Caixa Econômica foi lido e discutido em plenário. Por que tanto medo do relatório da CGU também ser avaliado? Até agora o documento sequer foi lido”, sustentou.

Comentar

MPF vai ouvir donos de empreiteiras no processo que apura denúncia de desvio de recursos das obras da Lagoa

Imagem da Internet

Imagem da Internet

O procurador federal Yordan Moreira Delgado vai ouvir os empresários proprietários das empreiteiras e os engenheiros responsáveis pelas obras da Lagoa, na qual foram apontados indícios de superfaturamento e outras irregularidades, após fiscalização da Controladoria Geral da União (CGU). O MPF já notificou as empreiteiras, para a fase de oitivas, que vai acontecer no mês de maio.

Os vereadores da bancada de apoio ao prefeito Luciano Cartaxo (PSD) armaram uma cortina de fumaça na Câmara Municipal de João Pessoa. O líder do prefeito, vereador Marco Antônio, sem observar regimento e nem prazo prévio de convocação, reuniu a Comissão de Políticas Públicas da Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP) para dar palanque aos secretários da Prefeitura de João Pessoa e apresentar um relatório da Caixa Econômica Federal que supostamente daria respaldo técnico e legal à edilidade. O relatório da Caixa Econômica Federal, no entanto, não suplanta as irregularidades apontadas pela CGU em relatório que serviu como base para a abertura de apurações em vários órgãos, como MPF, TCU e até o próprio Ministério das Cidades.

Além disso, dorme na Câmara Municipal um pedido de CPI para apurar as irregularidades da obra. O pedido permanece aguardando parecer jurídico para ser instalada ou não. Uma manobra procrastinatória.

As obras de revitalização do Parque Sólon de Lucena, localizado no centro de João Pessoa, foram fiscalizadas no período de 17/08/2015 a 14/09/2015. A CGU constatou pagamentos em montante superior ao valor dos serviços efetivamente executados, referentes à Remoção de Solo Mole, inclusive o transporte destes materiais para o Aterro Sanitário Metropolitano, causando prejuízo no montante de R$ 5.971.568,90; e superfaturamento, no valor de R$ 3.607.795,80, na construção de um túnel para regularização do nível do espelho d’água da Lagoa.

O Contrato de Repasse total da obra, com o Ministério das Cidades, soma R$ 41.206.875,00, dos quais cabe a União Federal a transferência de recursos no valor de R$ 39.558.600,00 e o restante, no valor de R$ 1.648.275,00, como contrapartida da Prefeitura Municipal de João Pessoa.

Com Clickpb

Comentar

Ex-secretário municipal acusa Luciano Cartaxo de abandonar cidade: “Prefeito só pensa em eleição e votos”

Imagem da Internet

Imagem da Internet

O ex-secretário municipal de Comunicação, Marcus Alves, acusou o prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo (PSD), de “deformar” o Orçamento Participativo e transformá-lo num mero instrumento eleitoral para conquista de votos. Segundo Alves, o OP deixou de ser um projeto de governo, objeto de sua criação, servindo apenas para enganar a população pessoense com promessa de obras que muitas vezes não saem do papel.

“Essa constatação do Ministério Público, de que Cartaxo estaria enganando a população, já havia sido observada por mim e outros auxiliares do prefeito. Muita gente avisou que Cartaxo estaria esquecendo os projetos de governo e pensando apenas nas possíveis conquistas eleitorais. Foi assim no processo em que tentou eleger o irmão senador à todo custo e vimos o resultado final. Cartaxo abandonou a cidade. Só pensa em eleição e votos”, afirmou Alves.

Segundo Marcus Alves, falta poder de decisão da gestão municipal para execução de obras prometidas em campanha e que a população cobra desde o início do mandato de Cartaxo. O resultado dessa apatia administrativa, de acordo com o ex-secretário, é o início do processo de judicialização da gestão. “Cartaxo vai passar a administrar de acordo com as determinações da Justiça. Isso é ruim porque dá a impressão de uma gestão sem comando, uma cidade sem prefeito”, explicou.

Se é assim, a coisa tá feia.

Comentar