NEM BLEFE, NEM PONTO FINAL: Pressão popular e apelo de aliados podem levar Ricardo a mudar de ideia e disputar 2018

Imagem da Internet

Adversários apostam em blefe. Aliados entendem como ponto final. Na verdade, a decisão do governador Ricardo Coutinho (PSB) de concluir o mandato e não disputar as eleições de 2018 está longe de ser uma coisa ou outra. Ricardo apenas colocou o “pé no freio” em algumas articulações que estariam extrapolando os limites de suas projeções e poderiam prejudicar o projeto socialista mais na frente.

Prudente, o governador fez questão de comunicar a decisão à vice-governadora, Lígia Feliciano, principal interessada no processo. Fez isso para evitar futuros litígios com ela e o marido, o deputado Damião Feliciano, que têm dado demonstrações claras de fidelidade e apoio ao atual governo.

Lígia é peça fundamental na sucessão estadual e Ricardo sabe disso. Sabe também que a vice tem pretensões de se candidatar no ano que vem, de preferência com seu apoio. Pretensão mais que justa, diga-se de passagem, pelo empenho e dedicação apresentados até agora.

Então, a permanência de Ricardo está descartada? Claro que não. O governador tem muitos motivos para concluir o mandato. Mas, também tem diversos outros para concorrer a uma vaga no Senado Federal. E, a preço de hoje, somente dois componentes podem resolver esse imbróglio: a pressão popular e o apelo dos aliados.

Ricardo tem dito que sua prioridade é garantir a continuidade do projeto socialista, em busca do desenvolvimento da Paraíba. Essa continuidade passa, é lógico, pela eleição do seu sucessor. Ou sucessora.

Sendo assim, nem tudo está perdido para a família Feliciano.

 

Comentar

Na presença do presidente do PSD, Cássio defende nome de Romero e deixa Cartaxo constrangido

Imagem da Internet

A mão que afaga, é (quase) a mesma que apedreja. Talvez tenha sido esse o sentimento experimentado pelo prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo, na manhã desta sexta-feira, durante evento na Estação Ciências. Anfitrião do evento, Cartaxo ouviu do ministro da Ciência e Tecnologia, Gilberto Kassab, o que queria: recebeu mais uma vez sinal verde para concorrer ao Governo do Estado pelo PSD, mesma garantia dada pelo presidente do partido na Paraíba, deputado federal Rômulo Gouveia.

Foi um alento, ante o turbilhão que Cartaxo vem enfrentando dentro do seu próprio partido, onde a maioria apoia o prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues, como candidato das oposições. E foi justamente um aliado de primeira hora de Romero e Rômulo que colocou “água no chope” do prefeito.

Presente à solenidade, o senador Cássio Cunha Lima soltou o verbo, defendendo a candidatura do primo tucano. Cássio disse, mais uma vez e com todas as letras, que Romero Rodrigues está credenciado para encabeçar a chapa das oposições em 2018 pelo trabalho que vem desenvolvendo em Campina Grande. Um claro aviso de que, mesmo com apoio de Kassab, Cartaxo não está sozinho no páreo.

A situação seria menos constrangedora para o prefeito da Capital, não fosse Cássio aliado histórico de Rômulo Gouveia,  que recusou disputar a reeleição como vice-governador em 2014 para apoiar a candidatura do tucano ao Governo do Estado, deixando o governador e então aliado Ricardo Coutinho (PSB) a ver navios. Por ironia do destino, o irmão de Cartaxo, Lucélio, foi candidato a senador na chapa de Ricardo.

Como diria o ex-deputado Manoel Gaudêncio, a política é dinâmica.

 

Comentar

Cartaxo recebe “injeção de ânimo” do PSD para afastar fantasma de possível traição nas eleições de 2018

Imagem da Internet

O amor repentino de Luciano Cartaxo pelo PMN parece ter chamado atenção do PSD. Tanto que o ministro da Ciência e Tecnologia, Gilberto Kassab, presidente de honra do partido, decidiu renovar o aval para que o prefeito de João Pessoa dispute o Governo do Estado nas eleições de 2018. O mimo serviu como antídoto para afastar o fantasma da traição que ronda o ex-petista, amparado nas amarras que ligam o deputado federal Rômulo Gouveia, dirigente do PSD na Paraíba, ao grupo comandado pelo senador Cássio Cunha Lima (PSDB).

Em visita à capital paraibana, nesta sexta-feira, Kassab voltou a garantir apoio à uma eventual candidatura de Cartaxo, embora mais uma vez tenha deixado o prefeito “à vontade” para decidir sobre seu futuro político. “O eleitor da Paraíba deve escolher políticos competentes e Cartaxo tem todas as condições de se eleger governador, como prefeito reeleito da Capital. Mas, cabe a ele decidir na hora certa se será candidato”, afirmou o ministro.

Kassab ainda topou comparecer ao Maior São João do Mundo, em Campina Grande, junto com Cartaxo e Rômulo, para prestigiar o prefeito Romero Rodrigues (PSDB), que também trabalha para concorrer ao Governo do Estado. A incursão do dirigente máximo do PSD não deixa de ser importante, num momento em que o prefeito pessoense demonstra clara inclinação pelo PMN, agora sob o comando de seus subordinados.

Talvez estimulado pelo apoio que Romero vem recebendo dentro do seu próprio partido. Do PSD, até agora Cartaxo só tem conquistado simpatia. Do vereador João Dantas ao deputado Manoel Ludgero, passando pelos poucos prefeitos que o partido dispõe, o tucano ganha de lavagem.

Comentar

Delator revela que entregou propina de R$ 2 milhões a Vital Filho no “Rei das Coxinhas”

Imagem da Internet

O empresário João Carlos Lyra, delator em uma operação conexa à Lava Jato no Nordeste, disse em depoimento que deu R$ 2 milhões de propina para o então senador Vital do Rêgo, atual ministro do Tribunal de Contas da União. Os pagamentos foram feitos em 2014, quando Rego foi candidato ao governo da Paraíba, derrotado por Ricardo Coutinho (PSB), segundo o site BuzzFeed BR.
Segundo o delator, o pagamento em dinheiro foi recebido por Alex Azevedo, secretário da Prefeitura de Campina Grande durante o mandato do irmão de Vital. Lyra serviu de caixa paralelo da OAS para viabilizar o caixa dois a Vital do Rêgo. Ele afirma que emitia notas fiscais com valores superfaturados para a empreiteira e, assim, fazia os saques em dinheiro. O dinheiro foi enrtegue por Carolina Vasconcellos, uma parceira de Lyra.
O pitoresco da história é o local onde os pagamentos foram feitos. Um restaurante da rede Rei das Coxinhas, na BR-101. Como a OAS tinha pressa no pagamento da propina, foi escolhido um local a meio caminho entre Goiana (PE) e João Pessoa (PB). “Percebi claramente que Roberto Cunha [OAS} estava muito angustiado, tendo dito que precisava conseguir R$ 2 milhões a serem repassados ao então senador Vital do Rêgo, que na época era relator da CPI da Petrobras. Que o pagamento destinava-se a obter favorecimentos ou facilidades para a OAS na CPI”, disse João Lyra, em depoimento prestado no Recife no início de 2017.
“Foi solicitado por João que se dirigisse a João Pessoa com urgência para entregar uma encomenda a uma pessoa de nome Alex Azevedo. Com a insistência de João Lyra, a colaboradora concordou em fazer a entrega da tal encomenda, desde que não precisasse se deslocar até João Pessoa, mas até o meio do caminho. Assim encontrou com a pessoa de Alex Azevedo em Goiana (PE) na lanchonete Rei das das Coxinhas, local em que entregou a encomenda em mãos da pessoa identificada como Alex Azevedo”, disse a delatora.
Em nota, Vital do Rêgo disse que “desconhece os fatos narrados pelo delator e repudia as falsas acusações”. “Ele está à disposição das autoridades para prestar mais esclarecimentos”, diz o ministro.
Com Brasil 247
Comentar

Oposição afirma que Bayeux tem “prefeito fantasma” e sugere ponto eletrônico para moralizar gestão

Imagem da Internet

A nova gestão municipal em Bayeux chegou aos seus seis meses à frente do comando administrativo e sem ter muito o que mostrar sacramenta sua marca não com obras, ações e políticas de governança, mas com uma identidade que já está na boca da população. “Prefeito fantasma”.

Essa é avaliação feita em entrevista à imprensa nesta quinta-feira (29) pelo ex-candidato a prefeito de Bayeux, Léo Micena, voz da oposição ao governo Berg Lima. Para Micena, quando se pensa em governo Berg logo se vem à cabeça ´fantasma´, segundo ele, motivado pelas dezenas de denúncias que tem acometido a gestão dando conta de um número excessivo de supostos funcionários fantasmas, contratos fantasmas, aluguéis fantasmas e até veículos fantasmas.

“Nós mesmos protocolamos em maio a primeira denúncia contra o governo municipal no Ministério Público para que a promotoria do patrimônio público possa apurar o inchaço na folha de pagamento e supostos funcionários fantasmas na gestão Berg Lima”, afirmou Léo Micena que acrescentou:

“Em 6 meses o sentimento que toma conta do bayeuxense é o de decepção. Literalmente não há uma obra de vergonha de autoria desse governo para mostrar ao povo. O que temos é marajás, supersalários, a batalha do presídio vencida pelo povo, uma enxurrada de parentes do prefeito no governo, licitações milionárias. A maior marca do Berg é o ´prefeito fantasma´.

Moralizada

Léo disse ainda que essa gestão precisa ser moralizada porque está sem controle e sem rumo administrativo. Uma das formas defendidas por ele é a implantação de ponto eletrônico para evitar essas denúncias de fantasmas, o que já tem sido recomendado pelo Ministério Público para algumas categorias.

Comentar

Gervasio e Manoel Júnior “quebram o gelo” e voltam a se falar após dois anos da briga no PMDB

Imagem da Internet

O presidente da Assembleia Legislativa, Gervasio Maia (PSB), e o vice-prefeito de João Pessoa, Manoel Júnior (PMDB), voltaram a se falar após dois anos da briga no PMDB, que obrigou o primeiro a trocar de partido. Os dois conversaram por telefone no início da semana sobre uma liderança política do interior do Estado, ligada a Manoel, que estaria propensa a votar em Gervasio para deputado federal nas eleições de 2018.

Não houve ainda um encontro pessoal, mas o telefonema acabou “quebrando o gelo” que cercava a relação entre os dois desde a disputa pelo diretório municipal do PMDB em 2015, quando Gervasio deixou o partido denunciando o descumprimento de suposto acordo que previa o revezamento na presidência do partido. Manoel acabou reeleito para o cargo que ocupou até o ano passado, quando se elegeu vice-prefeito de João Pessoa.

Na época, o grupo comandado pelo senador José Maranhão, presidente do PMDB na Paraíba, e o próprio Manoel Júnior, desconfiava que Gervasio queria assumir o comando municipal para entregar o partido ao governador Ricardo Coutinho. O deputado negava e dizia que desejava disputar a sucessão municipal pela legenda peemedebista.

O final da história todos já conhecem. Gervasio acabou se filiando ao PSB, à convite de Ricardo, se afastando dos antigos correligionários.

A reaproximação entre as duas lideranças tende se consolidar durante até a campanha eleitoral do ano que vem.

Comentar

Deputado Branco Mendes prestigia eventos juninos e é recepcionado por lideranças políticas

O deputado estadual Branco Mendes (PEN) percorreu três cidades nesta quarta-feira (28), para participar das tradicionais festas de São Pedro e atender aos convites feitos pelos prefeitos, numa verdadeira maratona para cumprir os compromissos firmados com os gestores em participar dos eventos e abraçar os populares que o aguardavam.

A primeira parada de Branco Mendes aconteceu na cidade de São Miguel de Taipu, onde foi recepcionado pelo prefeito Clodoaldo Beltrão, correligionários e lideranças.

Na sequência, o deputado esteve no município de Caaporã, especificamente no Distrito de Cupissura, onde foi realizada uma grande festa de São Pedro. Na ocasião, Branco foi recepcionado pelo prefeito Kiko Monteiro, vereadores e amigos.

Finalizando a noite, o parlamentar participou do São Pedro de Pitimbu ao lado do prefeito Leonardo Barbalho, lideranças locais e regionais.

“A força de eventos como estes para a economia do município, causa um impacto positivo. Comércio movimentado, população se divertindo nessa que é uma das mais tradicionais festas do Nordeste. Agradeço aos amigos prefeitos pelos convites e principalmente minha gratidão ao carinho da população dessas cidades, que me recepcionaram com tanto afeto, numa forma de reconhecimento do nosso trabalho nessas cidades”, agradeceu Branco Mendes.

Com Portal do Litoral

Comentar

TCE cobra explicações de 32 Prefeituras paraibanas sobre irregularidades em gastos com Saúde e Educação

 

Prefeitura de Vista Serrana também foi notificada (Imagem da Internet)

O Tribunal de Contas do Estado (TCE-PB) emitiu, nesta quarta-feira (28), 32 alertas para prefeituras paraibanas. Dentre as principais inconsistências verificadas pela Corte estão o descumprimento da aplicação dos percentuais mínimos em Educação e Saúde, além de despesas sem comprovação. O Tribunal também identificou ausência de pagamento integral das contribuições previdenciárias devidas ao Regime Geral de Previdência Social em algumas prefeituras.

Na Prefeitura de Guarabira, por exemplo, o conselheiro Marcos Costa constatou inconsistências na prestação de contas, a exemplo do descumprimento da aplicação dos percentuais mínimos em Educação.

De acordo com ele, outra falha encontrada é o fato de o município ter ultrapassado o limite de despesa com pessoal estabelecido pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF).

Além de Guarabira, o Tribunal de Contas também emitiu alertas para as prefeituras de Araçagi, Caaporã, Cachoeira dos Índios, Catingueira, Condado, Emas, Junco do Seridó, Mãe d’Água, Malta, Maturéia, Pilões, Rio Tinto, Salgadinho, Santa Luzia, São João do Rio do Peixe, São José de Espinharas, São José de Piranhas, São José do Bonfim, São José do Sabugi, São Mamede, Serra da Raiz, Tenório, Uiraúna, Várzea, Vista Serrana, Soledade, Picuí, Caiçara, Baraúnas e Jacaraú.

Prefeituras notificadas têm prazo para explicações e correções.

Comentar

QUEBRA DE SIGILOS: Vereador afirma que dinheiro de corrupção não transita em contas bancárias

Imagem da Internet

O vereador Bruno Farias (PPS), líder da bancada de Oposição na Câmara Municipal de João Pessoa, encarou com naturalidade a decisão do secretário de Infraestrutura da Prefeitura de João Pessoa, Cássio Andrade, e sua esposa, Isabela Maroja, de abrirem mão dos sigilos bancário e fiscal. Mas, explicou que o fato não muda em nada o direcionamento das investigações do Ministério Público e da Polícia Federal, que apontaram desvio superior a R$ 6 milhões nas obras de revitalização da Lagoa do parque Solon de Lucena.

“Dinheiro de superfaturamento, de propina e de corrupção não deixa recibo, nem transita pelas contas bancárias”, lembrou Farias.

Bruno deixou claro que jamais desconfiou que o casal, embora tenha participação no processo de tramitação burocrática das obras, tenha recebido dinheiro resultante do superfaturamento da obras da Lagoa, apontado pela PF e pela CGU. Para o vereador, Cássio Andrade foi apenas “um cumpridor de ordens” do prefeito Luciano Cartaxo.

“Sinceramente, apesar de ser o responsável técnico pela obra e ter parentes em postos-chaves na PMJP, na Gigov-JP (setor da Caixa Econômica que viabilizou a liberação de recursos para a obra da Lagoa) e da empresa Compecc, eu nunca acreditei que os R$ 6 milhões foram parar no bolso do secretário Cássio Andrade”, afirmou o líder oposicionista.

Farias disse ainda que a população de João Pessoa está bem próxima de conhecer os verdadeiros responsáveis pelo desvio dos recursos públicos que deveriam ser empregados em benefícios para a sociedade. “A conclusão do inquérito da Polícia Federal trará essa resposta”, sustentou.

O fim está próximo.

Comentar

MUITO ESTRANHO: João Pessoa deve R$ 6,8 milhões em precatórios, mas não consta da lista dos municípios que fizeram acordo com TJPB

Imagem da Internet

Apesar de aparecer com um débito que chega a quase R$ 7 milhões, de acordo com dados divulgados no Portal da Transparência da gestão municipal, a prefeitura de João Pessoa sequer aparece na lista, divulgada no último dia 12 de junho, dos municípios que fizeram acordo junto ao Tribunal de Justiça para parcelamento das dívidas justamente para evitar futuros sequestros de recursos.

Como determinou o sequestro de bens do Governo do Estado para realizar o pagamento de precatórios e, na justiça, em tese, todos são iguais perante a lei em deveres, direitos e obrigações, a gestão Cartaxo pode virar o próximo alvo da Corte. Isso porque de janeiro a junho de 2017, a prefeitura empenhou R$ 11,382 milhões e pagou R$ 4,569 milhões. Em 2016, foram empenhados R$ 20 milhões, mas só foram pagos, até agora, R$ 13,5 mi.

Ontem, logo após a decisão do Tribunal de Justiça, o procurador Geral do Estado, Gilberto Carneiro se manifestou, afirmando que o Estado estava recorrendo da decisão, visto que o aporte mensal efetuado pelo Estado chega a, aproximadamente, de R$ 12 milhões.

“Estamos efetuando mensalmente o aporte de quase 12 milhões ao TJ. De 2011 até o presente repassamos ao TJ mais de 600 milhões de reais para pagamento de precatórios, dez vezes mais do que foi pago em uma década, de 2000 a 2010, que repassou apenas 55 milhões de reais.

O Estado, através dos acordos diretos, já injetou na economia paraibana quase 30 milhões, estamos pagando o exercício de 2011 e vamos pagar até o próximo mais 20 milhões desses acordos diretos”, explicou, adiantando que o Estado está sendo vítima de uma injustiça praticada pela própria justiça.

De um total de 113 municípios intimados para as audiências, 97 realizaram acordos.

Confira os municípios que realizaram o acordo

Alagoa Grande

Aparecida

Araçagi

Arara

Araruna

Areia

Aroeiras

Assunção

Bananeiras

Barra de Santa Rosa

Barra de Santana

Belém

Boa Ventura

Bom Jesus

Bonito de Santa Fé

Boqueirão

Borborema

Brejo do Cruz

Cabaceiras

Cabedelo

Cachoeira dos Índios

Cacimba de Dentro

Caldas Brandão

Campina Grande

Campo de Santana

Carrapateira

Conceição

Coremas

Cruz do Espírito Santo

Emas

Esperança

Frei Martinho

Gado Bravo

Gurinhém

Gurjão

Ibiara

Igaracy

Itabaiana

Itapororoca

Jacaraú

Juazeirinho

Junco do Seridó

Juru

Lagoa de Dentro

Lagoa Seca

Lastro

Malta

Mamanguape

Marizópolis

Massaranduba

Monte Horebe

Mulungu

Nazarezinho

Nova Floresta

Nova Olinda

Nova Palmeira

Olho D’água

Ouro Velho

Passagem

Patos

Piancó

Pilar

Pilões

Pilõezinhos

Pocinhos

Poço de José de Moura

Prata

Princesa Isabel

Queimadas

Remígio

Riacho dos Cavalos

Salgadinho

Salgado de São Félix

Santa Cruz

Santa Helena

Santa Luzia

Santa Rita

São João do Rio do Peixe

São João do Tigre

São José de Lagoa Tapada

São José de Caiana

São José de Piranhas

São José de Sabugi

São Mamede

São Vicente do Seridó

Sapé

Serra da Raiz

Serra Grande

Serra Redonda

Serraria

Solânea

Soledade

Taperoá

Teixeira

Triunfo

Uiraúna

Umbuzeiro

Com PB Agora

Comentar