Ruy prestigia entrega de USF em João Pessoa e defende mas investimentos na saúde pública

Com mandato reconhecido pela atuação em favor da saúde pública, e tendo liderado recentemente o debate em torno da criação programa Médicos pelo Brasil – que vai contratar 18 mil médicos de saúde da família e comunidade em todo o País -, o deputado federal Ruy Carneiro participou nesta segunda-feira (30) da entrega da Unidade de Saúde da Família (USF) Parque do Sol, inaugurada pela Prefeitura Municipal de João Pessoa.

A USF vai beneficiar mais de 8 mil moradores do Parque do Sol e região. Para o deputado, a entrega do equipamento representa um investimento que a capital paraibana faz na saúde de sua população.

“Cada inauguração, principalmente em se tratando da entrega de equipamento da saúde, é importante. Sem saúde ninguém consegue viver bem, trabalhar, cuidar dos filhos, investir no futuro. Na comissão do programa Médicos Pelo Brasil também defendi, e continuarei defendendo, a saúde para os que mais precisam. Vejo João Pessoa ganhando muito no investimento desta unidade para a população. Parabéns aos moradores do bairro e ao prefeito Luciano Cartaxo.”, disse.

A nova Unidade foi um pedido feito pela comunidade durante assembleia do Orçamento Participativo (OP). Totalizando, a gestão municipal já entregou 30 USF’s na Capital.

Com Assessoria

Comentar


COFRES CHEIOS: Municípios paraibanos recebem R$ 78 milhões nesta segunda-feira

Imagem da Internet

Um montante de R$ 78.753.199,59 estará na conta dos municípios paraibanos nesta segunda-feira (30).  O valor corresponde ao terceiro decêndio do mês de setembro do Fundo Participação dos Municípios, o (FPM).

Com R$15 milhões descontados do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação, R$11 milhões da Saúde e R$787 mil do Pasep, o valor repassado é de mais de R$50 milhões.

Neste mesmo período do ano passado, as cidades receberam R$80 milhões, valor um pouco acima do que foi distribuído este ano.

A Confederação Nacional dos Municípios alerta os gestores locais sobre a ‘inconstância’ na distribuição de transferências. De acordo com o órgão, no primeiro semestre estão os maiores repasses do FPM, concentrados em fevereiro e maio, mas de julho a outubro os repasses diminuem significativamente.

“É importante que os gestores municipais mantenham cautela ao gerir os recursos. A Confederação ressalta que é preciso planejamento e reestruturação dos compromissos financeiros das prefeituras para que seja possível o fechamento das contas”, explica a entidade.

Comentar


MANCHAS DE ÓLEO: Deputado defende apuração riglrosa e punição dos responsáveis

O deputado federal Ruy Carneiro (PSDB) entrou na briga para a resolução do problema de vazamento de óleo que vem atingindo as praias do Nordeste brasileiro.

Ruy defendeu ainda que os responsáveis pelo derramamento de petróleo cru no litoral nordestino sejam apurados e punidos.

“Os animais estão morrendo e nós vamos entrar nesse tema que também atinge João Pessoa. É um fato muito grave e nós vamos contribuir na tomada de providências” destacou o parlamentar.

Entenda

Um derramamento de petróleo cru no litoral nordestino já atingiu 50 municípios de oito estados da região, contaminando praias e a fauna local. Ibama, Marinha, Petrobras e o Corpo de Bombeiros do Distrito Federal estão investigando as causas e responsabilidades do despejo.

As manchas negras começaram a ser registradas em praias da Paraíba e de Pernambuco no início deste mês. João Pessoa, Recife e Olinda foram algumas das cidades atingidas. Posteriormente, o óleo se espalhou pelo litoral de Alagoas, Sergipe, Ceará, Maranhão, Piauí e Rio Grande do Norte, onde, de acordo com o Ibama, a situação é a pior. Vídeos e fotos dos locais e animais atingidos pelo petróleo cru em diversos estados já povoam a internet.

 

Comentar


Senado aprova projeto de lei que libera maconha para uso medicinal

Imagem Reprodução

A liberação da maconha para uso medicinal deu um pequeno, mas importante passo na última semana no Senado. Em meio a muita polêmica, a Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH) acatou, na quinta-feira (26), uma sugestão legislativa (SUG 6/2016) sobre uso da cannabis medicinal e do cânhamo industrial – variante da cannabis com menor concentração de tetraidrocanabinol e sem ação psicoativa relevante. A proposta vai tramitar como projeto de lei na Casa.

Uma espécie de marco regulatório para o uso medicinal dessas substâncias foi sugerido pela Rede Brasileira de Redução de Danos e Direitos Humanos (Reduc). O documento enviado pela entidade ao Senado detalhava, em 133 artigos, normas procedimentais e regulamentares sobre métodos de pesquisa, produção, registro, rotulagem, padronização, certificação, licenciamento, comercialização, circulação, tributação, publicidade, inspeção, controle e fiscalização da maconha medicinal e do cânhamo.

Apesar do voto favorável à sugestão, o relator, senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE), apresentou uma nova redação à proposta, muito mais sucinta. Segundo Vieira, o texto mais enxuto tornará mais fácil contornar problemas de inconstitucionalidade e injuridicidade da redação original, principalmente sobre competências e atribuições de órgãos do Poder Executivo, que não devem ser definidas pelo Congresso.

Com a nova redação, o projeto passa a ter apenas seis artigos que tratam dos produtos, dos processos e dos serviços relacionados à maconha medicinal e ao cânhamo industrial. Um deles submete a produção, a distribuição, o transporte e a comercialização da cannabis medicinal à vigilância sanitária, com monitoramento da cadeia produtiva e do mercado.

O texto prevê ainda que normas relacionadas ao plantio, à cultura e colheita do cânhamo industrial sejam de responsabilidade de uma autoridade agrícola do estado. Também devem ser fomentados pelo Poder Público o desenvolvimento científico e tecnológico sobre medicamentos derivados da cannabis e sobre a produção do cânhamo industrial. Segundo Vieira, a proposta não libera o plantio caseiro a famílias com pacientes de doenças nas quais está provada a ação terapêutica da cannabis.

A Mesa do Senado ainda vai numerar a proposta e definir por quais comissões o texto vai passar. Se avançar no Senado, ele terá de ser enviado à Câmara dos Deputados. Se, por um lado, a sugestão com uma proposta sobre uso medicinal avançou, outra sobre uso recreativo, apreciada há duas semanas pela comissão, foi arquivada pelos senadores.

Outro lado

Autor de um projeto de lei (PL 5.158/19) que prevê a distribuição do canabidiol (CBD) pelo Sistema Único de Saúde (SUS), mas que não contempla outras substâncias medicinais produzidas a partir da maconha, o senador Eduardo Girão (Podemos-CE) defendeu que o assunto não pode ser tratado apenas com emoção, mas com responsabilidade. Girão destacou que a ciência tem demonstrado que, para algumas pessoas, a maconha medicinal causa a piora da saúde. O senador também apontou vícios de inconstitucionalidade e problemas de juridicidade para votar contra a SUG 6/2016, que, de acordo com ele, já está contemplada no ordenamento jurídico brasileiro.

Apoiada por vários senadores, a senadora Mara Gabrilli (PSDB-SP), usuária de um medicamento a base de cannabis, fez um apelo emocionado para que o senador não impedisse a votação da sugestão. Segundo ela, rejeitar a proposta seria virar as costas para as famílias que precisam da maconha medicinal e estão sofrendo. A parlamentar falou da própria situação.

“Se a gente aprovar um projeto permitindo só o canabidiol, o medicamento que eu tomo vai ser proibido. Isso vai fazer com que eu perca a minha força laboral. E, poxa, alguém aqui já me viu alucinando em algum canto do Congresso? Alguém aqui já me viu falando besteira? Alguém aqui tem algum senão quanto à minha dedicação, à minha seriedade no meu trabalho?”, questionou Mara.

Com Assessoria

Comentar


Daniella Ribeiro, o sorvete às custas do contribuinte e a defesa do pai “coruja”

Imagem da Internet

Muito natural Enivaldo Ribeiro defender a filha das críticas de adversários e de setores da Imprensa paraibana,  no gélido episódio do sorvete.

O que não entendi foi a justificativa do vice-prefeito de.Campina Grande para “tomar as dores” da senadora. Primeiro, Enivaldo disse que a filha faz “um belo trabalho no Senado, onde é líder do seu partido, trazendo inclusive a Caixa Econômica para Campina Grande”. Como se isso fosse uma iniciativa do outro mundo, capaz de justificar o mandato outorgado pelos paraibanos.

Em seguida, o “pai coruja” cometeu outro grave erro, ao tentar minimizar a gravidade da atitude que a própria filha reconheceu como errada e recuou no.pedido de ressarcimento. Usar dinheiro publico em benefício próprio não é bobagem, muito menos partindo de uma senadora da Republica. Independente do valor e do benefício alcançado.

Por analogia: se um parlamentar pede ressarcimento de R$ 17,00 da compra de um sorvete, certamente não abre mão de cobrar devolução de um valor maior empregado em outra coisa “mais saborosa”.

Pelo que andou dizendo, Enivaldo teria ficado furioso mais pelo valor que pelo erro da filha. Em áudio publicado no portal paraibaja, o homem “soltou os cachorros” em cima dos que ousaram se opor à iniciativa da filha em nome da moralidade pública. Mandou “se danar” e reconheceu que só não usou termos mais pesados porque o cenário não permitia.

Tudo em nome da filha.

Será que o cacique do PP teria a mesma reação se o episódio envolvesse José Maranhão ou Veneziano Vital do Rego?

Perguntar não ofende.

 

Comentar


ELEIÇÕES 2020: Sales Lima fecha acordo com Zé Filho, Cacai Brasilino e Guilherme Montenegro em Piancó

Sales, Zé Filho e Cacai se unem na Oposição ao prefeito Daniel Galdino em Piancó

O ex-prefeito Sales Lima fechou apoios importantes neste sábado (28) para seu projeto de voltar a comandar a cidade de Piancó, a “capital” do Vale do Piancó. O ex-vereador Zé Filho e o empresário Cacai Brasilino declararam voto em Sales. Cacai deve se filiar ao DEM, de Sales, e disputar vaga na Câmara Municipal com apoio do cunhado, ex-vereador Guilherme Montenegro, e toda família Montenegro.

Guilherme foi vereador por cinco.mandatos e seu avô, Antonio Montenegro, prefeito por seis mandatos.

O acordo foi fechado no restaurante “Rei da Fava”, no Jardim Luna, em João Pessoa.

Sales foi prefeito de Piancó por quatro anos e deve disputar a eleição contra o atual prefeito, Daniel Galdino, candidato à reeleição.

 

 

Comentar


Deputados debatem política de desenvolvimento do setor têxtil com empresários do Sertão

A Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB), através da Frente Parlamentar pelo Desenvolvimento do Semiárido e da Frente Parlamentar de Empreendedorismo e Desenvolvimento Econômico, realizou, nesta sexta-feira (27), reunião com representantes do setor têxtil do Sertão do estado para discutir ações em prol do crescimento da região. O evento ocorreu no Polo da Universidade Aberta do Brasil (UAB) Cícero Dias de Oliveira, na cidade de São Bento, e reuniu empresários, prefeitos, autoridades locais e representantes da sociedade civil organizada.

Atualmente, a indústria têxtil de São Bento emprega aproximadamente 15 mil pessoas, entre empregos diretos e indiretos. O município, conhecido como a Capital Mundial das Redes, exporta seus produtos para mais de sete países. A deputada Pollyanna Dutra (PSB), presidente da Frente Parlamentar pelo Desenvolvimento do Semiárido e vice-presidente da Frente de Empreendedorismo, afirmou que o encontro com o empresariado têxtil debateu pontos importantes para o setor, que vão se concretizar em um documento destinado ao Poder Executivo.

“São Bento é uma região muito produtiva, de povo empreendedor, onde o sertanejo acorda de madrugada para produzir sua rede e fazer circular o que é produzido aqui no Brasil inteiro e até no exterior. Então, o Poder público tem que chegar junto e fomentar esse desenvolvimento, seja na infraestrutura de estradas, no incentivo na tributação ou no retorno da Coletoria. Aqui é uma região que gera muito imposto, muito emprego e renda, e a gente que faz a política, que está lá na Assembleia Legislativa e representa o povo da  Paraíba, tem que chegar aqui e entender realmente qual é a demanda desse povo”, destacou a parlamentar.

O deputado Cabo Gilberto Silva (PSL) ressaltou a importância da duplicação das rodovias que dão acesso ao município. “Mais uma vez, a Assembleia Legislativa está de parabéns por sair da capital e acompanhar os problemas de todas as cidades da Paraíba. Estamos aqui, em São Bento, para saber e ouvir as demandas da população. Estive aqui ano passado e infelizmente o problema da estrada ainda persiste. Então, faço um apelo às autoridades para que resolvam os problemas dessa estrada, porque São Bento não pode ficar sem o seu principal acesso, onde escoa os produtos e chega a importação”, enfatizou.

Para o empresário Armando Dantas, o encontro superou as expectativas dos participantes e gerou confiança para o crescimento da indústria têxtil local. “Eu tenho certeza que todos saíram muito satisfeitos. A redução de impostos, por exemplo, é muito importante porque está provado que quando os tributos são reduzidos a arrecadação e os empregos aumentam. Então, eu acredito que isso é uma solicitação necessária para as nossas empresas e indústrias continuarem crescendo”, declarou.

O representante da Companhia de Desenvolvimento da Paraíba (Cinep), Henrique Candeia, afirmou que as principais necessidades discutidas na reunião serão levadas ao Governo do Estado. “Viemos ouvir as demandas do empresariado do ramo têxtil, acompanhando a Frente Parlamentar de Empreendedorismo. O nosso papel, como agência de fomento, é desenvolver estudos e ver como o Estado pode atuar para incentivar esse arranjo produtivo local”, concluiu.

Com ALPB

Comentar


Vereador quer obrigar transportes coletivos da Capital a usarem cinto de segurança e desfribilizador

Imagem da Internet

Um projeto de lei que tramita nas comissões da Câmara Municipal de João Pessoa já começou a fazer barulho, antes mesmo de ser liberado para votação em plenário. A matéria, protocolada no último dia 18, prevê a obrigatoriedade de adoção de medidas de segurança aos passageiros em todos os ônibus que integram o sistema de transporte coletivo da Capital.

Autor da proposta, o vereador Ronivon Mangueira (MDB) quer, por exemplo, que os passageiros tenham garantia de assentos com cintos.de. segurança. E os que viajarem em pé, terão direito à redução no de 50% no.valor da passagem.

O projeto obriga ainda o uso de desfribilizador (aparelho de reanimação cardíaca) e do quite de primeiros socorros nos veículos. “Muitas vezes o usuário passa mal na viagem e tem que esperar pelo Samu. Temos que pensar primeiro na vida e depois no.lucro”, justificou Mangueira.

Apesar de a proposta ainda estar  em tramitação, a pergunta que se faz é: Quem vai pagar por isso?

Veja abaixo o requerimento:

..

 

Comentar


EXCLUSIVO: Aguinaldo Ribeiro avalizou adesão de Dra. Paula e Zé Aldemir; PP caminha para os braços de João Azevedo

 

Imagem da Internet

 

O blog teve acesso à informação de que, antes do anúncio de apoio ao governador João Azevedo, a deputada Dra. Paula e seu marido, prefeito de Cajazeiras José Aldemir, se reuniram com o deputado federal Aguinaldo Ribeiro. Os dois consultaram o comandante maior do PP na Paraíba sobre a decisão que tornariam pública logo em seguida, durante a inauguração de obras do Governo do Estado na terra do Padre Rolim.

Paula e Aldemir não precisaram de muitos argumentos para convencer Aguinaldo de que aquele seria o melhor caminho. O principal deles: apoio ao governador poderia ter como contrapartida recursos estaduais para “turbinar” a gestão de Cajazeiras e outros redutos eleitorais do casal.

De pronto, Aguinaldo avalizou a decisão. E não foi só isso. Além de “abrir a porta” para a caminhada dos aliados, o filho de Enivaldo teria sinalizado que o PP seguirá, em breve, o mesmo rumo. Tudo dependeria do tratamento dispensado ao partido pelo Palácio da Redenção, a partir de agora, e de uma conversa com o governador para acertar “os detalhes” da parceria.

Outra exigência do PP: a garantia de que João Azevedo se manterá distante do ex-governador Ricardo Coutinho, aliado político do ex-prefeito de Cajazeiras, Carlos Antonio de Oliveira, principal adversário do casal pepista na região.

Imagem da Internet

A senadora Daniella Ribeiro e o patriarca da família, Enivaldo Ribeiro, já estariam devidamente “afinados” com a provável mudança de rumo do PP.

Quem duvidar, aguarde os próximos capítulos dessa novela.

 

 

Comentar


Ruy Carneiro defende consumidores no caso das bagagens

Imagem da Internet

 

 

 

 

 

 

 

Convicto de que a melhor maneira de garantir a redução nas tarifas das companhias aéreas é a abertura do mercado a empresas estrangeiras, o deputado federal paraibano Ruy Carneiro fez questão de votar a favor dos consumidores, derrubando o veto que retirava o direito de levar, gratuitamente, uma bagagem ao aviar de avião dentro do território nacional.

“As aéreas tinham esse discurso de que passariam a cobrar pelas bagagens e com isso haveria uma redução de preços nas passagens, mas ocorreu exatamente o contrário”, afirma Ruy. “Por isso, não nos restava outra possibilidade a não ser a de votar contra o veto, ou seja, de votar em favor do direito dos consumidores de terem o mínimo de bagagem, já que pagamos tão caro para andar no Brasil”, ressaltou. “É nosso dever proteger os cidadãos e cidadãs contra a exploração”.

Na opinião de Ruy Carneiro, é fundamental garantir uma efetiva abertura do mercado de aviação civil à competição estrangeira. “Isso é fundamental sobretudo neste momento em que os principais aeroportos do país estão sendo transferidos para a iniciativa privada”, ressalta. “Precisamos garantir maior concorrência entre as companhias aéreas, abrindo o mercado às companhias estrangeiras, para que o consumidor, que vem sendo fortemente prejudicado, volte a ser estimulado a viajar”, diz.

Abrir o mercado de aviação civil a uma maior concorrência, segundo Ruy, poderá ter inclusive efeitos significativos não apenas no atendimento das demandas atuais dos consumidores, com oferta maior de voos, inclusive consolidando a aviação regional com a inauguração de novas rotas para ampliar o fluxo entre as cidades de médio porte no interior do país. “O Brasil está reestruturando completamente o seu mercado interno sem dar as respostas devidas aos graves problemas que enfrenta. Isso é inaceitável”, salienta. Continuar lendo

Comentar