Candidatos j podem receber doaes para suas campanhas eleitorais atravs de cartes de crdito

Imagem da Internet

Imagem da Internet

Portaria assinada pelo presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Gilmar Mendes, nessa quinta-feira (1), regulamenta a doao por meio de carto de crdito a candidatos e a partidos polticos nas eleies deste ano.

O assunto foi discutido durante a sesso plenria de ontem e, em seguida, foi objeto da Portaria TSE n 930, que contm as orientaes sobre os procedimentos a serem observados na arrecadao eleitoral de recursos por meio de carto de crdito, a partir de sugestes da Assessoria de Exame de Contas Eleitorais e Partidrias do TSE, seguindo o previsto na Resoluo TSE n 23.463/2015.

De acordo com a portaria, que entra em vigor na data de sua publicao, a emisso do recibo eleitoral e a verificao da origem e da licitude dos recursos doados bem como o limite de doao permitido so de exclusiva responsabilidade do candidato (ou do administrador financeiro por ele designado), do presidente e tesoureiro do partido poltico, que tambm so responsveis por verificar a correlao entre o doador e o titular do carto. As doaes realizadas por pessoas fsicas so limitadas a 10% dos rendimentos brutos do doador no ano-calendrio anterior eleio.
Somente o titular do carto poder fazer a doao. Os bancos devero encaminhar s empresas responsveis por habilitar candidatos e partidos a receberem a doao nome e CPF do titular do carto, data, horrio e valor da doao, que sero repassadas aos candidatos e aos partidos. A portaria prev ainda que eventuais estornos ou desistncias da despesa do carto de crdito sero informados pela instituio de pagamento emissora do carto de crdito ao TSE e ao candidato ou partido poltico.

As instituies de pagamento credenciadoras ou emissoras de carto de crdito, conforme o caso, devero apresentar relatrio individual das doaes recebidas a requerimento de candidato, partido poltico ou por diligncia da Justia Eleitoral.

Tratativas
A portaria resultante de tratativas do TSE junto s instituies administradoras de carto de crdito, ao Banco Central do Brasil (Bacen) e ao Ministrio da Fazenda para dar efetividade Resoluo n 23.463/2015, que prev a possibilidade de doao por esta modalidade, e atende a reivindicaes de partidos polticos para regulamentar o recebimento de doaes nesta modalidade.

O presidente do TSE destacou a importncia da medida, principalmente no primeiro pleito sem financiamento de campanhas por parte de empresas. Temos agora um modelo peculiar de financiamento, e qualquer dificuldade nessa seara, claro, desestimula as doaes e dificulta o sistema completo de financiamento, afirmou o ministro Gilmar Mendes.
O artigo 20 da Resoluo n 23.463 do TSE estabelece que, para arrecadar recursos pela internet, o partido e o candidato devero tornar disponvel mecanismo em pgina eletrnica, devendo ser observados os seguintes requisitos: identificao do doador pelo nome e pelo CPF; emisso de recibo eleitoral para cada doao realizada, dispensada a assinatura do doador; e utilizao de terminal de captura de transaes para as doaes por meio de carto de crdito e de carto de dbito.

Com TSE

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

O blog não se responsabiliza pelo conteúdo exposto neste espaço. O material é de inteira responsabilidade do seu autor