Deputado defende fim do Fundo Partidário e do horário eleitoral gratuito para “enxugar” gastos com sistema político

Imagem da Internet

O vice-presidente da Assembleia Legislativa da Paraíba, Bosco Carneiro Júnior (PSL), defendeu nesta terça-feira a extinção do Fundo Partidário e do horário eleitoral gratuito para “enxugar” gastos e fortalecer o sistema político brasileiro. Segundo ele, a medida seria um passo importante para reduzir as despesas e democratizar o processo eleitoral. “Se fala tanto em redução de gastos de campanhas eleitorais, mas se esquece do alo custo do Fundo Partidário e do horário gratuito. Bem que os cortes poderiam começar por ai”, sugeriu Júnior.

De acordo com Bosco Carneiro, somente o Fundo Partidário deve custar aos cofres públicos pouco mais de R$ 800 milhões em 2017, dinheiro que poderia ser aplicado, por exemplo, numa restruturação da Justiça Eleitoral para evitar a extinção de Zonas Eleitorais, determinada pelo TSE. “A desativação de várias zonas eleitorais no País inteiro vai prejudicar a população”, reclamou.

No horário eleitoral gratuito, segundo o deputado do PSL, são investidos cerca de R$ 500 milhões por ano, recursos que também poderiam ser revertidos para fortalecimento das finanças da Justiça Eleitoral. “Esse dinheiro vem da isenção no pagamento de impostos das empresas que patrocinam o horário eleitoral, mas isso não seria impedimento para ser utilizado em outras ações que visem fortalecer a Justiça Eleitoral”, prevê.

Bosco tem toda razão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

O blog não se responsabiliza pelo conteúdo exposto neste espaço. O material é de inteira responsabilidade do seu autor