FESTA DO BODE REI: Quer misturar cultura, com boa culinária e muito forró, então vem pra Cabaceiras

Quer comer uma carne de bode deliciosa e outros derivados da culinária caprina? Vem pra Cabaceiras. Quer conhecer um ambiente místico e ao mesmo tempo belo, vem pra Cabaceiras. Quer se sentir dentro de um cenário cinematográfico, vem pra Cabaceiras.

São tantos os atrativos que talvez um dia inteiro seja insificiente para relacioná-los. Mas, os interessados podem se dar ao luxo de constatar um pouco de tudo isso na “Festa do Bode Rei”, promovida pela Prefeitura Municipal de Cabaceiras.

Em sua 21ª edição, o evento começa nesta sexta-feira (31) e vai até domingo (02). Este ano, com uma homenagem especial a Jackson do Pandeiro, atrativo a mais para quem curte a música e a cultura popular nordestina, repreaentada também por artesanatos expostos á venda na praça central da cidade, local dos festejos.

Barracas com comidas típicas, bebidas e demais derivados da caprinocultura também estarão esperando pelos visitantes. Para quem quiser dançar até “o suor dar na canela”, trios  de forró pé-de-serra estarão animando a festa gratuitamente.

Imagem da Internet

Como bem disse o vice-prefeito Ricardo Ayres, os turistas poderão ainda desfrutar do “ar cinematográfico” que circula em Cabaceiras. Conhecida como  “Roliúde Nordestina”, a cidade ganhou fama também por ter sido palco de mais de trinta filmes, entre eles o premiado “Alto da Compadecida”,  e duas séries televisivas.

E o Lajedo de Pai Mateus? Bom, esse é um capítudo à parte que somente o eremita de nome Mateus, que segundo moradores locais habitava uma das dezenas de pedras em forma de caverna existentes no local, poderia contar.

Imagem da Internet

Pai Mateus era uma espécie de curandeiro. Ele rezava nos doentes que o procuravam em busca de cura  e deu nome a essa exuberante e misteriosa obra da natureza e suas inscrições rupestres.

Ah, tem ainda o processo de industrialização do couro e do leite caprinos. E quem quiser se hospedar para os três dias, tem dezenas de pousadas e até casas de aluguel aguardando os viajantes.

Vem pra Cabaceiras, vem! Vem pra maior festa da caprinocultura do Brasil. O “Bode Rei” te espera para compartilhar esse reinado de festa e alegria.

 

 

 

 

 

 

Maior Festival de Caprinos e Ovinos do Brasil, a Festa do Bode Rei, realizada na cidade de Cabaceiras, no Cariri Paraibano, já tem data marcada para a sua 21ª edição e fará sua festa de lançamento em João Pessoa, dentro do 29º Salão de Artesanato da Paraíba, realizado no Espaço Cultural José Lins do Rego, dia 12 de janeiro, às 18h. Durante o lançamento, serão apresentadas as novidades do evento a serem realizados no dia 31 de maio, 1 e 2 de junho de 2019.

Um pedacinho da Festa do Bode Rei na capital, esse é o gostinho que esse lançamento vai ter, regado a música boa e degustação de iguarias puramente cabaceirenses. Com o objetivo de promover a cadeia produtiva da caprinovinocultura e estimular o turismo rural, cultural e ecológico,  o festival conta  com exposições e feiras de animais, mostras de artesanato, gastronomia “bodística”, apresentação de danças folclóricas, competições, palestras, cursos e muito forró.

O prefeito de Cabaceiras, Tiago Castro, afirmou o compromisso com o Bode Rei, em busca de mais uma edição de sucesso, exaltando e dando o espaço merecido à atividade da caprinocultura, que é tão importante para nosso município. E ainda solta uma deixa para um dos atrativos da festa de lançamento: “Será assinado, no dia do lançamento, o decreto do Dia Mundial da Carne de Bode”.

Centenário de Jackson do Pandeiro

A Festa do Bode Rei também homenageará o centenário do Rei do Ritmo, Jackson do Pandeiro, paraibano ilustre que levou o nome da Paraíba além das fronteiras. No Reino Encantado do Bode Rei, terá um espaço especial para homenagear Jackson e sua história.

Assessoria de Imprensa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

O blog não se responsabiliza pelo conteúdo exposto neste espaço. O material é de inteira responsabilidade do seu autor