Fim da aliança entre PSD, PMDB e PSDB emperra candidatura de Romero e pode forçar PP a reavaliar cenário político

Imagem da Internet

O Partido Progressista é um dos mais preocupados com o provável fim da aliança entre PSD, PMDB e PSDB para as eleições de 2018 na Paraíba. O “racha” na aliança, definido com a decisão do PMDB de negociar com o PSB do governador Ricardo Coutinho, deve emperrar a pré-candidatura ao Governo do Estado do prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues, abrindo espaço para o senador Cássio Cunha Lima, seu primo e também tucano, que já administrou o Estado por duas vezes. A mudança prejudica os planos do PP e pode levar o partido a reavaliar o novo cenário político.

O PP integra o bloco de oposição, mas está de olho na Prefeitura de Campina Grande. Os pepistas torcem para que Romero renuncie ao mandato para disputar a sucessão estadual, garantindo espaço para o ex-deputado e atual vice-prefeito Enivaldo, patriarca da família Ribeiro e presidente do partido, comandar os destinos da cidade. A permanência de Romero frustra tais pretensões.

Enivaldo e os filhos, Aguinaldo e Daniella, tem evitado falar sobre o assunto, mas nos bastidores já se comenta a inquietação do grupo com a possibilidade de mudança de rota das oposições. Não é de hoje, também, que se especula sobre uma possível candidatura à vice-governadora de Daniella, para compensar a perda em Campina.

A essa altura do campeonato, não se sabe, entretanto, se seria na chapa oposicionista ou na governista.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

O blog não se responsabiliza pelo conteúdo exposto neste espaço. O material é de inteira responsabilidade do seu autor