PMDB não resiste à repercussão negativa de acordo com Ricardo e deve manter candidatura de Vital

Imagem da Internet

Imagem da Internet

O vai e vem no PMDB continua. Após constatar a extensão dos danos à sua imagem com o acordo feito com o governador Ricardo Coutinho (PSB), o PMDB recuou e deve manter a candidatura do senador Vital do Rego Filho a governador. Dividido em pelo menos três correntes, o partido corre o risco de se tornar o “patinho feio” do processo eleitoral na Paraíba. “O PMDB é um grande partido. Não pode perder sua dignidade. Tem que preservar essa imagem”, lembrou o deputado Raniery Paulino, líder do partido na Assembleia Legislativa e um dos principais opositores da aliança com o governador.

Além de Paulino, se posicionaram contra a composição os deputados federais Hugo Motta e Manoel Júnior e os estaduais Trócolli Júnior e Gervasio Maia.

O “acordão”, como foi chamado pelos opositores, teve a chancela do presidente do PMDB, José Maranhão, do senador Vital Filho e de seu irmão, o ex-candidato a governador Veneziano Vital, e previa a indicação da vice na chapa de Ricardo. O nome seria da deputada Nilda Gondim, matriarca da família Vital.

O PMDB realiza convenção hoje para homologar candidatos e coligações, no Clube Cabo Branco, em João Pessoa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

O blog não se responsabiliza pelo conteúdo exposto neste espaço. O material é de inteira responsabilidade do seu autor