Presidente do PPS avalia resultado de pesquisa em João Pessoa e não vê motivos para euforia de aliados de Cartaxo

Imagem da Internet

O presidente estadual do PPS, Nonato Bandeira, estranhou a euforia de aliados do prefeito Luciano Cartaxo (PSD) com o resultado de uma pesquisa em João Pessoa sobre a sucessão estadual de 2018. Nonato não vê motivos para comemoração e entende que os números apontam para uma queda do prefeito em seu principal reduto, que vem a se somar com a previsão de derrota fragorosa no interior do Estado demonstrada em outras consultas.

Abaixo, a avaliação do dirigente na íntegra:

Em 2004, Recife fez uma grande festa para comemorar os 350 anos da expulsão dos holandeses do Nordeste brasileiro. O embaixador da terra de Mauricio de Nassau, que tanto marcou a história pernambucana, foi o convidado de honra da solenidade.

Em meio aos discursos das autoridades presentes, o embaixador holandês teria cochichado no ouvido do prefeito recifense:
– Vem cá, depois que vocês expulsaram os holandeses aqui do Recife, e do restante do nordeste brasileiro, eles foram pra onde mesmo?
– Ah, eles foram pra América do Norte e fundaram Nova Iorque.
– E vocês estão comemorando o quê mesmo? – indagou o perplexo embaixador.

Recordei de imediato desse suposto diálogo ao me espantar, neste final de ano, com os partidários do prefeito Luciano Cartaxo comemorando os números de uma certa pesquisa em que ele aparece com 40% das intenções de voto. Realizada apenas em João Pessoa. Embora o pleito que ele poderá disputar seja estadual. Lembrando apenas que há pouco mais de um ano, o mesmo Cartaxo foi reeleito logo no primeiro turno para o cargo de prefeito com 60% dos votos.

Um ano depois, com toda a mídia e a exposição diária de seu nome como virtual candidato ao Governo, Cartaxo tem, na cidade em que administra, menos 20 pontos do que tinha quando foi reeleito. E tal qual as autoridades recifenses, seus partidários comemoram.

Se em Campina e a Borborema ele tem dificuldades e precisa ser amparado, no interior a coisa é muito pior. Nas diversas regiões do Estado, Cartaxo perde em praticamente todas as cidades para João Azevedo e José Maranhão. Assim vem ocorrendo no Vale do Mamanguape, Vale do Paraíba, Curimataú, no Brejo, Seridó, Agreste, Cariri, Médio Piranhas, Alto Sertão e região de Princesa Isabel.

Diante deste quadro restou ao prefeito comemorar pesquisa na cidade em que ele mesmo governa para mostrar, aos aliados, que é competitivo. Esqueceu, apenas, de que a sua Nova Iorque ocorreu no passado e não no futuro. Precisamente, em outubro de 2016.

*
Nonato Bandeira
Jornalista
Atualmente é Chefe de Gabinete do Governo e presidente do PPS/PB.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

O blog não se responsabiliza pelo conteúdo exposto neste espaço. O material é de inteira responsabilidade do seu autor