Raíssa confirma discriminação na bancada e desabafa: “Melhor ser a calda do que a cabeça do camarão”

Imagem da Internet

A vereadora Raíssa Lacerda confirmou, nesta quarta-feira, que integrantes da bancada governista foram discriminados nas eleições de 2016 pelo prefeito Luciano Cartaxo. Segundo ela, havia interesse de Cartaxo em reeleger alguns vereadores, entre eles Benilton Lucena, Marco Antonio e Bira Pereira. Foi quando surgiu a chamada “bancada da calda”, formada por ela, Marmuth Cavalcanti e Professor Gabriel, entregue à própria sorte durante a campanha eleitoral. Dos três, todos do PSD de Cartaxo, apenas Raíssa se reelegeu.

Professor Gabriel reassumiu o mandato com a morte de Pedro Alberto Coutinho e Marmuth teve que aguardar a convocação de Hélton Renê, do PC do B, para o Procom para retornar à Câmara Municipal. “Melhor ser a calda do que a cabeça do camarão, onde só tem coisa que não presta”, comparou a vereadora.

Raíssa afirmou ainda que, por enquanto, não pretende deixar o PSD, mesmo tendo passado por momentos difíceis para renovar o mandato. “Estou no PSD”, resumiu, sem projetar o futuro.

Ela explicou também que não afirmou, em momento algum, que votaria em Raimundo Lira ou José Maranhão, ambos do PMDB, em 2018. “Os dois são amigos e merecedores dos elogios que fiz. Só isso, até o momento”, sustentou.

Até o momento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

O blog não se responsabiliza pelo conteúdo exposto neste espaço. O material é de inteira responsabilidade do seu autor