Ricardo Coutinho toma posse para segundo mandato e reafirma compromissos assumidos em campanha

Imagem da Internet

Imagem da Internet

O governador Ricardo Coutinho (PSB) foi empossado na tarde desta quinta-feira, em solenidade no Espao Cultural Jos Lins do Rego, para o segundo mandato conquistado nas eleies do ano passado. Em seu discurso, Ricardo agradeceu aos eleitores e aos partidos aliados pela reeleio, prometendo cumprir todos os compromissos assumidos durante a campanha.

Ricardo lembrou citou conquistas de seu governo em vrias reas nos ltimos quatro anos e reafirmou compromissos como passe livre, aumento em 56% o abono natalino aos 504 mil beneficirios do bolsa famlia, e em reas como a sade, educao, esporte, segurana e recursos hdricos.

Coutinho destacou ainda que sua vitria, j em 2010, representou o retorno do povo ao Poder, pois conseguiu quebrar prticas seculares, que engessava a administrao pblica. H exato quatro anos o povo estava chegando ao poder. Eu era a Paraba masculina, feminina e todas as suas opes. Eu era todos e todas, afirmou.

Neste quatro anos acabamos prticas nefastas, implodimos prticas corrosivas. Implantamos o oramento participativo, com o povo dizendo suas prioridades na gesto, o Pacto Social. Tirei 54 cidades do isolamento rodovirio, 10 hospitais abertos, criamos mais de mil leitos, trs UPAs, seis escolas tcnicas, 730 quilmetros de adutoras. Foram quatro anos de ntidos avanos em todas as reas e setores. Isso vale mais do que qualquer tapinha nas costas, afirmou.

Ricardo tambm criticou a suposta judicializao das eleies, uma vez que existem aes no na Justia eleitoral questionando o seu mandato.

Pedimos para o povo votar e povo votou. Estou aqui de novo por que o povo assim o quis. Ganhamos por que tivemos mais votos. Tivemos mais votos por que a populao reconheceu a melhor prtica poltica e administrativa. bom que aqueles que perderam tenham a grandeza pblica de que neste mesmo o povo quer ser respeitado na sua escolha e artifcios ou manobras no vo afetar o desejo da maioria do povo paraibano, afirmou.

Confira a integra do discurso do governador abaixo:

DISCURSO DE POSSE RICARDO COUTINHO 2015

Paraibanas e paraibanos, Companheiras e companheiros, Senhoras e senhores,

H exatos quatro anos, neste mesmo local hoje totalmente recuperado e pulsante a populao da Paraba tomava pra si as rdeas do seu destino e inaugurava uma nova etapa em sua histria. O povo chegava ao poder.

Ao tomar posse como governador naquela ocasio, incorporava, simblica e efetivamente, o papel de arauto das mudanas sociais e avanos econmicos; do aprimoramento institucional e da disseminao dos princpios republicanos. Eu era todos e todas estavam em mim.

O palet que usava naquele momento era a vestimenta solene, mas por baixo dele estavam o macaco, a farda, a bata, o avental, o jaleco, a manta, o jeans, o calo, a camiseta, a bermuda e a saia de chita rendada de cho. Eu era a Paraba feminina, masculina e diversificada em suas opes, atitudes e perspectivas. Eu era a criana que engatinhava e o idoso que se aconchegava. Eu era o homem desempregado e a mulher violentada. Eu era o estudante que trabalhava e o campons que plantava sonhos em lugar de sementes.

Eu era todos e todas, inclusive ningum. Eu era aquele que ningum via, a voz que silencia e o rosto que desaparecia na multido dos excludos. Eu era um ente social, mas tambm um objeto. Era um graveto de angico, uma caneta, uma enxada, uma cadeira de rodas, uma pipa, uma seringa, um bisturi… Eu era o matutino que anuncia e o dirio oficial que ratifica. Eu era os erros cometidos pela histria e os acertos esquecidos com o tempo. Eu era o rio e era a ponte.

Portanto, paraibanas e paraibanos, quando digo eu, estou dizendo ns. E do alto das convices arraigadas e aes efetivadas que afirmo aqui desta tribuna, em alto e bom som, com o timbre das massas em unssono: o povo voltou ao poder!

Foram necessrios quatro anos para constatarmos que as palavras ditas naqueles instantes iniciais de 2011, no eram apenas retrica de um discurso de posse… Era o roteiro dos movimentos determinadas pela populao. Era a essncia dos desejos materializada numa faixa cerimonial. Era a liturgia dos ritos legais em meio alegria da festa. Era a fora do trabalho que impulsionaria os dias seguintes, at hoje.

Nesses ltimos quatro anos, senhoras e senhores, no apenas construmos um futuro slido, mas implodimos prticas antigas, corrosivas, que no cabiam mais na conduo da gesto pblica. Empoderamos a populao, atravs do exerccio pedaggico do Oramento Democrtico, fazendo do povo um sujeito ativo desse processo, numa ao permanente, que nunca haver de se esgotar. Dessa simbiose, com a participao de mais de 140 mil pessoas, em dezenas de audincias regionais, surgiriam investimentos da ordem de R$ 5 bilhes, aplicadas nas cerca de 700 obras e aes demandadas. Foi o povo administrando seus prprios recursos e dizendo quais as prioridades.

Para o Governo, a prioridade sempre foi e ser ouvir a populao em seus anseios e jbilos.

Tambm partilhamos o poder institucionalizado, atravs do Pacto Pelo Desenvolvimento, uma experincia sem similar no pas, convocando as prefeituras a dividirem conosco a elevao dos indicadores sociais de suas regies. Pela primeira vez no foi considerado o nome da pessoa ou o partido que ela representava frente de sua edilidade, mas sim a populao que essas autoridades incorporavam. Aonde conseguimos firmar parcerias, a vida melhorou a olhos vistos. Monitoramos esses avanos e, em breve, teremos um perfil tcnico e social consistente, para reforar o que j existe e alcanar os municpios que ainda no entenderam a lgica desenvolvimentista e republicana do programa. Precisamos olhar para todas as Parabas dentro da Paraba. Dessa nova concepo de gesto surgiriam mais de 174 milhes de reais em obras e aes nas reas de sade, educao, saneamento bsico, recursos hdricos e infraestrutura.

Em nenhum outro momento anterior foram verificadas tantas obras, em um mesmo momento, em tantos municpios. Samos do virtual e instalamos a verdadeira rede social.

Foram quatro anos de ntidos avanos, em todas as reas e em todos os nmeros, incluindo alguns nada positivos, como os ataques sofridos pelo Governo nesse perodo, sem comparao a qualquer outro antes, vindo de cima, de baixo e dos lados. Ao buscar suprimir carncias histricas, quebrar paradigmas seculares e romper com prticas que engessavam a mquina administrativa e o crescimento econmico da Paraba, em detrimento de grupos e grupelhos, fomos alvos de bombardeios e bravatas, confundindo a opinio pblica e levando, algumas vezes, a incompreenses, distores e erros de julgamento. A tudo enfrentamos com cabea erguida, a espinha ereta e o corao tranquilo, pois em meio balbrdia das elites descontentes, conseguamos escutar os sussurros das massas desvalidas. Foi a elas que demos ouvidos, foi nelas que nos inspiramos. Desse dilogo, surgiria a nova face da Paraba.

Meus queridos paraibanos, pediram para o povo votar… E o povo votou.

Estamos aqui de novo porque o povo quis assim. Ganhamos porque tivemos mais votos, mas tivemos mais votos porque a populao reconheceu a melhor prtica poltica e administrativa. Ela percebeu para onde estvamos caminhando e at onde poderamos chegar. Ela entendeu que retirar 54 cidades do isolamento rodovirio (como ocorrer at junho prximo) falava mais alto que o tapinha nas costas. Ela assimilou e tomou para si os 2.356 quilmetros de estradas, os 10 hospitais abertos, a implantao de mais 1.000 leitos hospitalares, as 3 UPAs, as 885 novas salas de aula, as 352 escolas reformadas ou ampliadas, os 450 laboratrios de matemtica e informtica, os 585 nibus escolares, as 6 escolas tcnicas, os 730 km de adutoras, o canal Acau-Araagi (que levar gua para 590 mil paraibanos), a Translitornea, as barragens, as pontes e tudo o mais que presenciaram, experimentaram e aferiram nesse perodo de construes fsicas, conceituais e emocionais.

Ganhamos tambm porque tivemos os melhores quadros ao nosso lado, ao longo do Governo e durante a campanha. A populao entendeu o que estava acontecendo e os partidos tambm. Foi essa a compreenso do PSB, do PT, do PDT, do DEM, do PRTB, do PRP, do PV, do PSL, do PCdoB, do PHS e do PPL, no primeiro turno, com o reforo do PTC e do PMDB no segundo turno, todos decisivos, valorosos e parceiros nessa configurao. Aproveito para agradecer aos seus dirigentes, integrantes e militantes, pelo empenho e pela atitude cidad, abraando essa causa no pela vantagem circunstancial, mas pelo dever cvico, pela solidariedade humana, pela sensibilidade vida… Gente como os jovens Thiago Soares e Ranieri Barbosa; gente omo o coronel Fernando Chaves e o governador Eduardo Campos, sinnimos de determinao, garra e energia, tragicamente arrancados do nosso convvio, servindo de estmulo para a continuidade da luta, cuja saudade reverto agora em homenagem, dedicando nossa bonita vitria aos exemplos deixados em vida… Eles esto entre ns!

A vida segue, senhoras e senhores…

por isso que estamos todos aqui, concluindo um ciclo e iniciando outro. Superando obstculos, corrigindo rumos e acertando o passo. Reafirmando o compromisso assumido nas urnas em trabalhar, incansavelmente, em benefcio da populao, sempre em busca de uma vida melhor para todos e todas. Superando os prprios limites para atingir as metas traadas. Se olhando no espelho e encarando outros olhos. Nossa comparao ser com ns mesmos. Teremos que ter melhores resultados, errando menos, ajustando setores, substituindo peas, promovendo mudanas e sendo implacveis com a corrupo. Governando vinte e quatro horas por dia, sete dias por semana, durante quarenta e oito meses… Em planto permanente e alerta mximo, tratando a coisa pblica com o zelo que a lei exige, o compromisso que a tica recomenda e o carinho que vem do bero ancestral.

A lgica governamental se mantm na mesma pisada, mas as estratgias gerenciais e ferramentas pblicas, em busca desse aperfeioamento, ganham novos contornos. Potencializar a mquina administrativa, azeitando suas engrenagens, fundindo secretarias, extinguindo cargos, entrelaando competncias e ajustando posturas. Essa uma prtica que j se encontram em andamento e que permear os prximos quatro anos. Temos pressa nesses objetivos.

A busca constante por maior eficincia no servio pblico passa, tambm, pela valorizao dos profissionais que integram seus quadros. Isso j ficou patente nesse primeiro mandato, com a implantao da data base, reajustes anuais, salrios extras, concursos e premiaes para diversas categorias; contratao de quase 11 mil servidores concursados e a qualificao de 143 mil profissionais, em mais de 3 mil cursos. Para justificar as reas meios, os fins, a ponta do Governo tem que estar preparada e motivada para prestar um servio altura do que deseja e exige a populao. Esse um processo continuado, irreversvel. Ns, servidores pblicos e o prprio servio publico, existimos enquanto meio e em funo de um fim, o atendimento s necessidades e interesses da populao, em geral.

Tambm crescente, contnuo e visvel o desenvolvimento econmico do Estado, traduzido em nmeros que impressionam pelo volume e rapidez com que foram sendo acumulados: maior crescimento proporcional do ICMS do pas; segundo maior gerador de empregos formais do Nordeste (foram quase 100 mil novos postos de trabalho at novembro ltimo, cujo saldo, aferido pelo Ministrio do Trabalho, a diferena entre admisses e desligamentos, tanto no setor privado, como na esfera pblica); o dobro da taxa de crescimento econmico do Brasil, na base de 5,7%, segundo o IBGE; 191 novas indstrias instaladas ou em instalao, canalizando investimentos privados da ordem de R$ 6,5 bilhes; consolidao do polo cimenteiro; movimentao recorde do Porto de Cabedelo; reformas dos distritos industriais e construo do Parque Industrial de Caapor, alavancando, definitivamente, o desenvolvimento da regio sul do Estado.

Nessa equao, articulando a macroeconomia e seus os grandes investimentos com a base da economia, ampliando o poder de consumo e estimulando o desenvolvimento de baixo para cima, foi extremamente importante a atuao do programa Empreender PB, injetando nos segmentos mais populares R$ 78 milhes, beneficiando diretamente quase 35 mil pessoas, que hoje no dependem mais de favores de quem quer seja. Esse programa um dos orgulhos da nossa Nova Paraba, alvo de ataques de muitos que no conseguem compreender a importncia e a dimenso de um programa republicano e que busca valorizar o talento e o suor de pessoas que ganham uma nova chance na vida para viver do seu prprio trabalho, com um financiamento pblico. S seremos plenamente felizes se todos crescerem juntos, de forma solidria e sustentvel. Essa a orientao, esse o mantra.

Renda e moradia. Foram cerca de R$ 800 milhes investidos em novas unidades habitacionais por toda a Paraba. So mais de 14 mil famlias beneficiadas no perodo, morando com dignidade e conforto; em construo, so 9.253, com entrega prevista para breve; projetos prontos somam mais de 10 mil… Nos prximos quatro anos, iremos nos empenhar ainda mais para ampliar essa diminuio do nosso dficit habitacional.

Na agricultura, o cenrio no foi diferente. O Governo priorizou aes de assistncia a agricultores, pecuaristas e populao em geral para enfrentamento da estiagem imediata e projees para o futuro. Foram perfurados 1.180 poos, 177 municpios abastecidos com carros-pipa, distribuio de quase 50 mil toneladas de rao animal, alm de 557 mil raquetes e mudas de palma forrageira resistentes s pragas da cochonilha do carmim; aquisio de quatro perfuratrizes; importao de embries de caprinos e ovinos de alto padro gentico, da frica do Sul; mais 160 mil famlias atendidas com aes educativas sobre tecnologia e informao para captao e uso adequado da gua, na construo ou reforma de barragens subterrneas, poos, pequenos audes, barreiros e cisternas… Apenas atravs do Projeto Cooperar, numa parceria com o Banco Mundial, foram destinados 50 milhes de reais, voltados para o desenvolvimento sustentvel de pequenas comunidades, com foco na reduo da pobreza, favorecendo mais de 27 mil famlias. No nosso Governo, a agricultura tem sido vista e tratada como rea estratgica, merecendo, inclusive, a criao da Secretaria de Estado da Agricultura Familiar e Desenvolvimento do Semirido. Isso tudo porque sabemos que o campo a base de tudo.

Mas essa evoluo econmica s seria possvel, senhoras e senhores, porque introduzimos a lgica da educao fiscal e equilibramos as contas pblicas, fechando o ano de 2014 cumprindo rigorosamente os limites estabelecidos pela Lei de Responsabilidade Fiscal, atingindo 49% da receita corrente lquida, bem diferente dos 56,92%, ao chegarmos ao Governo. Quero, aqui, compartilhar a preocupao diante a perspectiva de um cenrio difcil, sombrio, na economia, para o ano de 2015. A Paraba no uma ilha. Sofremos os efeitos de uma retrao da atividade econmica nacional que reduz o Fundo de Participao do Estado e dificulta novos investimentos. Devemos ter, tal qual os demais Estados brasileiros, todo o cuidado para que no venhamos a abalar qualquer descontrole no crescimento dos trs principais itens das despesas, que so o custeio, a folha de pessoal e a previdncia. Manter a capacidade de pagamento das despesas do Estado a nossa maior conquista.

No entanto, senhoras e senhores, embora os indicadores sejam positivos, no podemos descansar e nem dispensar um minuto na busca pelo tempo perdido. O desenvolvimento efetivo chegou, mas precisamos acelerar e ampliar seus resultados. Precisamos garantir avanos plenos que sejam imunes a retrocessos. Temos que assegurar que os investimentos em infraestrutura espalhados por todo o Estado que continuaro na casa dos bilhes de reais tenham como nico propsito o melhor usufruto da populao, desde o incio, desde as intenes, os projetos, as licitaes, os repasses, os materiais, os usos e continuidades inerentes na aplicao do dinheiro pblico.

E como parte efetiva da materializao desse eixo programtico que comeo este novo Governo anunciando a criao do Conselho Estadual de Transparncia, ciente que a informao o grande instrumento de organizao de uma sociedade e que esta sociedade, mais que fiscalizar, tambm precisa ser coresponsvel pelos avanos e recuos ocorridos na esfera pblica e coletiva. Esse ser um instrumento que a populao tomar para si, como guardi direta dos seus interesses. Ao lado de outros rgos de monitoramento e fiscalizao, como o Tribunal de Contas do Estado, a Assembleia Legislativa, o Ministrio Pblico, a imprensa responsvel e as ouvidorias internas, o Conselho de Transparncia ir permitir que subamos mais um degrau tico, tcnico e poltico na conjuno de convivncias mais harmoniosas entre Governo e sociedade.

Estamos aqui para servir e no para nos servir.

A honraria que me cabe neste instante da mesma forma que presidenta Dilma, em Braslia, a quem eu peo uma salva de palmas pela nova investidura , em ostentar pela segunda vez a faixa de governante de seu povo, est na mesma proporo da ampliao das responsabilidades. Conclumos o primeiro mandato com obras e servios e iniciaremos o segundo com obras e servios. E para marcar essa nova maratona, nada mais adequado do que inaugurar nos prximos dias um dos maiores e melhores espaos para treinamento esportivo da Amrica Latina, a Vila Olmpica Parayba, o antigo Dede, cujo uso pelos atletas paraibanos garantir uma nova etapa nas conquistas desportivas e incluso social. Vem no somatrio dos investimentos realizados na rea, principalmente nas profundas reformas dos estdios Almeido e Amigo. J neste primeiro trimestre, a Paraba receber uma obra emblemtica, pelo que representou no passado e significado de futuro, a Barragem de Camar. Tambm receber a Adutora de Pocinhos e So Jos, estradas, escolas, o Cidade Madura de Campina Grande, entre inmeros outros espaos, aes e investimentos. At o final de maro, estaremos entregando a terceira e ltima etapa do Centro de Convenes de Joo Pessoa, inaugurando um dos trs maiores teatros do Brasil, o Ariano Suassuna, com mais de trs mil lugares. Os grandes espetculos locais, nacionais e internacionais tero, agora, um teto seguro, brilhando sob a forte luz que banha o extremo oriental das Amricas.

Isso, para as prximas semanas. J nos quatro anos de Governo, na rea de desenvolvimento humano, iremos construir mais condomnios Cidade Madura, por toda nossa querida Paraba; universalizar o acesso ao ensino fundamental em tempo integral; dobrar o nmero de escolas de Ensino Mdio, com educao integral; ir em busca, cada vez mais, de tornar a escola “til”, ao faz-l interagir com a realidade socioeconmica do Estado e de seus alunos; instituir o passe livre para estudantes de ensino mdio da rede estadual; construir o Hospital de Traumas do Serto e o Hospital da Mulher, na Maternidade Frei Damio; construir o Centro de Pesquisa e Diagnstico Neurocerebral, em Campina Grande; instalar o curso de Medicina na UEPB e criar novos campus; aumentar para R$ 50.00 o abono natalino das 504 mil famlias cadastradas no Bolsa Famlia; alm de instituir e ampliar vrios programas para a juventude, como o Jovem de Futuro (que so cursos gratuitos para concurseiros de baixa renda), Gira Mundo (programa de intercmbio para o exterior com estudantes da rede estadual), Atleta do Futuro (permitindo o deslocamento de atletas para treinamento em centros em outros Estados e pases) e Novos Valores (abrindo espao em reas do prprio Governo para absoro de estagirios).

Apenas com um olhar diferenciado, proporcionado pela educao e conhecimento, podem assegurar um amanh mais suave.

No campo da segurana hdrica, o Governo buscar construir, numa parceria com o Governo Federal, o Sistema Adutor da Borborema (que garantir gua para as regies do Cariri e Curimata/Serid), o terceiro eixo da Transposio do Rio So Francisco, no Vale do Pianc, e o esgotamento sanitrio nos municpios que recebero as guas da transposio. Estamos e continuaremos lidando de frente com os problemas de estiagem, essa mazela secular que s pode ser combatida com inteligncia, planejamento e solidariedade.

Na rea de segurana pblica iremos dobrar o nmero de UPS, adquirir mais 2 helicpteros, aumentar o efetivo, com a realizao de concurso, incorporar gradativamente a remunerao do ativo para o inativo e pagar a bonificao do risco de vida aos policiais. Tudo para garantir a continuidade do combate violncia por homens e mulheres treinados, equipados e estimulados a esse trabalho to essencial coletividade. Travamos uma guerra contra o crime organizado e no daremos trgua aos quem vivem margem da lei.

Na rea de mobilidade, j estamos articulando um novo financiamento de mais de 600 milhes de reais, para a segunda etapa do Programa Caminhos da Paraba. Obras que vo ampliar o leque de intervenes do primeiro Governo, como o Anel do Cariri, as Rodovia da Reintegrao, da Produo e do Minrio, o Trevo de Mangabeira, o Viaduto do Geisel, a duplicao da Avenida Cruz das Armas, Binrio da Avenida Liberdade, alm de pontes, travessias urbanas e passagens molhadas.

O turismo, neste segundo mandato, continuar a receber volumosos investimentos, consolidando um importante setor da economia, que vem ampliando a oferta de produtos, servios e empregos, a partir da abertura do Centro de Convenes de Joo Pessoa, o destravamento jurdico, aps quase trs dcadas, do Polo Turstico do Cabo Branco, e a revitalizao do Vale dos Dinossauros, em Sousa, em parceria com o Governo Federal. Entre outras aes relevantes para o setor, construiremos o Centro de Convenes de Campina Grande, equipamento estratgico para a cidade e o Estado. Vamos receber bem o turista, que ele volta. Embora antiga, a frase continua com a mesma eficcia de sempre, acrescida da lgica instalada desde a poca em que estivemos a frente da Prefeitura de Joo Pessoa, quando priorizamos a elevao da qualidade de vida do cidado e cidad, melhor indicador aos que desejam conhecer um lugar.

Nesse trabalho permanente de autoconhecimento, daremos prosseguimento ao estmulo s pesquisas em cincia e tecnologia, num Estado que o quinto lugar no ranking nacional em doutores por cada mil habitantes. Foram mais de R$ 47 milhes aplicados em projetos de pesquisa, alm da ampliao da rede de fibra tica, interligando 55 municpios entre Joo Pessoa e Cajazeiras. Nossa perspectiva dobrar recursos e aes, pois entendemos a funo estratgica do setor, garantindo as bases futuras do desenvolvimento atravs do conhecimento.

Mas nenhuma ao pragmtica, senhoras e senhores, nenhuma obra fsica, nenhum investimento volumoso em tecnologias e equipamentos seriam teis caso no fossem destinados ao crescimento do ser humano, permitindo que a histria de cada um, sua cultura, suas prticas artsticas, suas crenas, seus costumes e valores sejam preservados e exercidos plenamente, em espaos dignos e em prticas inclusivas, a exemplo deste Espao Cultural Jos Lins do Rgo, que recebeu sua primeira grande reforma, desde a inaugurao, bem como os teatros Santa Roza, racles Pires e Cine Teatro So Jos, casas do povo que voltam ao povo, para o exerccio do belo, do contemplativo, do controverso, do engenhoso… Espaos para o dilogo das razes e emoes, como o Programa de Incluso Atravs da Msica e das Artes, o Prima, que vem promovendo a formao de estudantes de escolas pblicas em reas carentes. Em quatro anos, o Prima atendeu 1.200 crianas em dez cidades paraibanas, com dezenove polos instalados. So orquestras espalhadas por todos os recantos, onde mais importante que aprender a tocar instrumentos, semear cidadania e direitos. Com a implantao do Sistema Estadual de Cultura, outro significativo item da pauta, estamos prontos para identificar, interagir e potencializar aptides e movimentos por todo o Estado, estimulando o surgimento de artistas, tcnicos e artesos envolvidos com um dos segmentos mais importantes na rea de desenvolvimento humano.

E com o esprito do dever parcialmente cumprido que agradeo a confiana do povo paraibano para completar essa honrosa misso. Gostaria imensamente e para isso trabalharei ainda com mais afinco de passar o cargo ao meu sucessor, em janeiro de 2019, deixando como legado s futuras geraes um Estado ativo, com uma economia vigorosa, mais desenvolvido, mais justo e inclusivo. Um Estado que mantenha e amplie programas como o Crculo do Corao e o Acolher, salvando e dignificando vidas. Humanizando as relaes entre o Poder e o Povo.

Serei um homem e um gestor feliz quando a democracia participativa estiver arraigada na sociedade, quando crianas, trabalhadores, estudantes, donas de casa, operrios, idosos, pessoas com deficincia, atletas, ndios, gays, ciganos, artistas, empresrios, agricultores, profissionais liberais e todos os inmeros segmentos que compem uma sociedade complexa e em permanente evoluo usufruam dos benefcios e respeito gerados pela experincia deste projeto democrtico popular. Nessa ocasio e apenas nessa circunstncia poderei afirmar com convico que a tarefa estar concluda.

Afinal, como vaticinou um dia o inesquecvel poeta Lcio Lins,

Voar preciso eu preciso embora de asas abertamente flechadas

Obrigado, Paraba! Sigamos ao futuro!

RICARDO COUTINHO Governador

Com Secom/PB

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

O blog não se responsabiliza pelo conteúdo exposto neste espaço. O material é de inteira responsabilidade do seu autor