Vereador da bancada de Cartaxo cobra explicações sobre “coincidências” envolvendo “marajá do Trauminha”

Imagem da Internet

O vereador Waldir Dowsler, o Dinho (PMN), cobrou do prefeito Luciano Cartaxo (PSD) explicações sobre “coincidências” envolvendo o diretor clínico do Hospital de Trauma Municipal, Jorge Augusto Cordeiro dos Santos, que está sendo chamado de “Marajá do Trauminha”, por ter um salário mensal de R$ 35.750,00.

Dinho sugeriu ao líder do prefeito, Fernando Milanez Neto (PMDB), que procure argumentos e documentos para rebater denúncia feita pelo líder da Oposição, Bruno Farias (PPS), que também apresentou dados do Sagres do Tribunal de Contas do Estado atestando diversas “coincidências” envolvendo o médico.

“Sei da seriedade do vereador Bruno Farias e seria bom que o vereador Fernando Milanez buscasse argumentos para rebater essa denúncia. Peço ao colega (Bruno) cópia desses documentos para eu analisar. Se isso (a denúncia) for verdade, é coisa muito séria”, afirmou Dinho.

Entre as coincidências, está na formação societária de uma empresa de pŕoteses ósseas, sediada em Recife. Um dos sócios se chama Marcus Augusto Cordeiro dos Santos. O empresário tem o mesmo sobrenome do diretor do Trauminha.

“Não sei se são parentes, irmãos, vizinhos ou aderentes, mas seria bom que essas coincidências fossem esclarecidas”, afirmou, de forma irônica, o líder da Oposição.

A empresa teria recebido, segundo Bruno Farias, mais de R$ 6 milhões da Prefeitura de João Pessoa.

Farias disse ainda que Jorge Augusto Cordeiro dos Santos recebe, desde de 2014, da Prefeitura de João Pessoa, sem nem ser ortopedista. O médico recebia, ainda de acordo com o vereador do PPS, R$ 15 mil e passou a ganhar R$ 35.750,00 quando assumiu o cargo no Trauminha.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

O blog não se responsabiliza pelo conteúdo exposto neste espaço. O material é de inteira responsabilidade do seu autor