CRM faz nova visita ao Trauminha, constata permanncia de irregularidades e d mais 15 dias para PMJP resolver

Imagem: Edilane Ferreira

Imagem: Edilane Ferreira

O Conselho Regional de Medicina da Paraba realizou, na manh desta segunda-feira (30), nova fiscalizao no Ortotrauma de Mangabeira, o Trauminha. Na vistoria anterior, realizada no dia 4 de abril, o CRM constatou uma srie de irregularidades no hospital e concedeu um prazo de at 30 dias para que tudo fosse sanado pela Prefeitura Municipal de Joo Pessoa (PMJP) e fosse apresentado um relatrio detalhado com as medidas tomadas para resolver as deficincias na unidade de sade.

O prazo venceu no dia 4 de maio, mas a determinao do CRM-PB no foi cumprida pela PMJP. No ltimo dia 16, durante reunio entre a direo do Conselho e a Secretaria de Sade de Joo Pessoa, foi solicitada pela gesto municipal a prorrogao do prazo em mais uma semana, vencendo no dia 24.

O novo prazo concedido pelo CRM-PB foi mais uma descumprido e a Prefeitura solicitou mais trs dias, entregando finalmente o relatrio na ltima sexta-feira (27). A fiscalizao desta segunda-feira foi feita para averiguar se as melhorias no Trauminha foram realmente encaminhadas.

Em entrevista ao Paraba J, o mdico Joo Alberto Pessoa Morais, diretor de Fiscalizao do CRM-PB, revelou que na fiscalizao desta segunda-feira ainda foram constatadas irregularidades. De acordo com ele, entre outros problemas, foram detectadas pequenas quantidades de roupa, lentido na realizao de cirurgias de maior complexidade e falta de medicamentos.

Identificamos que existe uma lentido em alguns procedimentos cirrgicos, essas distores sero avaliadas no relatrio que ns vamos fazer e encaminhar diretoria do hospital, explicou.

O diretor do CRM-PB disse que foram dados PMJP entre 15 e 20 dias para que os problemas sejam sanados. Segundo ele, foram realizadas at o presente momento cerca de 50 ou 60 % das melhorias solicitadas pelo rgo.

Questionando se, nesse contexto, ainda h risco de interdio no Trauminha, Joo Alberto foi taxativo. Todo o hospital que trabalha fora dos padres necessrios sempre tem risco de interdio. No caso daqui, ns tentamos amenizar essa possibilidade para que o hospital possa atender o seu pblico, justificou.

Ele disso, no entanto, que a nica forma de sanar o quadro catico a construo de um outro hospital com o mesmo perfil, do contrrio o Trauminha ser sempre deficitrio. um hospital que vai ser sempre deficitrio pela quantidade de pacientes. O que ns precisamos em Joo Pessoa, na verdade, de um hospital a mais para diminuir essa quantidade enorme de pacientes atendidos no Trauminha, finalizou.

Com Paraibaja

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

O blog não se responsabiliza pelo conteúdo exposto neste espaço. O material é de inteira responsabilidade do seu autor