Lula já trata Eduardo Campos como adversário e prepara confronto com socialista em Pernambuco

A disposição do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) para reforçar o palanque da presidente Dilma Rousseff (PT) – candidata à reeleição em 2014 – em Pernambuco é total. Para isso, ele promete deixar no passado todas as demonstrações públicas de afeto que fez ao governador Eduardo Campos (PSB), tratado agora como adversário.

Em vídeo publicado ontem pelo Blog de Jamildo, o ex-presidente promete vir a Pernambuco para fazer campanha para sua candidata, o que deve tornar complicada a vida eleitoral de Campos.

“Meus companheiros de Pernambuco podem me esperar!”, promete Lula, no vídeo feito na última terça-feira (29), após a sessão solene que comemorou os 25 anos da Constituição, no Senado Federal.

A recente pesquisa realizada pelo IPMN/JC apontou que o ex-presidente está nas cabeças dos eleitores quando o assunto é eleição. Ele é o preferido dos pernambucanos, vencendo o próprio governador.

Ontem, Lula atacou a principal aliada de Campos, a ex-senadora Marina Silva, afirmando que ela precisa receber lições de Economia.

Minimizando as declarações do ex-presidente, Eduardo Campos negou que estivesse preocupado com as investidas do ex-padrinho. Dizendo-se tranquilo, o governador assegurou que a relação com Lula permanece inabalável.

“Estou tranquilo. Tenho uma relação com o presidente Lula que vai além das relações políticas, conjunturais e eleitorais. Essa relação ficou inteiramente preservada quando vivemos a situação de palanques que não eram os mesmos e nem por isso nós deixamos de ter uma relação de grande respeito que continua viva”, disse Campos, referindo-se à campanha de 2012, quando ele bancou a eleição do prefeito do Recife, Geraldo Julio (PSB), e o PT teve como candidato o senador Humberto Costa.

Lula e Eduardo foram parceiros nas eleições de 2006 e 2010 em Pernambuco, quando o socialista foi eleito e reeleito. Em 2012, o ex-presidente não veio ao Estado reforçar o palanque de Humberto para evitar atritos com Campos.

Na época, a Executiva nacional do PT avaliou que seria melhor que Lula não viesse ao Estado para evitar “melindrar” Eduardo e garantir apoio à reeleição da presidente Dilma.

VENCER O SÉCULO

O governador Eduardo Campos também afirmou ontem que o Brasil precisa aproveitar o momento atual, propício ao crescimento, para não perder esse século. “O Brasil vive um momento importante da sua história. Nós temos 20 anos de janela demográfica para organizar as coisas no Brasil se a gente não quiser perder esse século”, disse.

Ao citar a “janela demográfica”, Campos fez referência ao período em que a população economicamente ativa do País supera a população dependente, fase considerada propícia ao crescimento econômico.

O governador disse ainda que não se pode mergulhar o País num debate “medíocre de ódios”, em referência às discussões políticas que deverão ocorrer até as eleições do próximo ano.

Com Jornal do Comércio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

O blog não se responsabiliza pelo conteúdo exposto neste espaço. O material é de inteira responsabilidade do seu autor