Mesmo com um a menos, Flamengo vence Sport e mantém vivo sonho do título

O Flamengo conquistou uma importante e dramática vitória na tarde desse domingo (18) em cima do Sport Recife, na lotada Ilha do Retiro, em Pernambuco. Mesmo com a expulsão de Lucas Paquetá, os flamenguistas tiveram força para arrancar o placar de 1 a 0, graças a gol de Willian Arão.

O triunfo dos cariocas, aliado ao tropeço do Palmeiras, que só empatou com o Paraná, e a derrota do Inter para o Botafogo, fez com que a diferença do rubro-negro para o líder caísse para cinco pontos (66 a 71) a três rodadas do fim do Campeonato Brasileiro. Com a derrota de hoje o Inter fica atrás do Flamengo na tabela, com um ponto a menos. Já o Sport não sai dos 38 pontos, um ponto a mais que o América-MG, primeiro membro da zona de rebaixamento.

Dorival Júnior apostou em Geuvânio no duelo contra o Leão e deu nova chance a Vitinho e Henrique Dourado. Everton Ribeiro perdeu a titularidade, mas, o que se viu no primeiro tempo foi apenas um perde e ganha tremendo. Os goleiros Cesar e Mailson pouco trabalharam até o intervalo.

Na etapa final, o panorama mudou com a expulsão de Lucas Paquetá ainda aos 15 minutos. O meia do Flamengo conseguiu levar dois cartões amarelos em lances seguidos e deixou sua equipe com um jogador a menos.

Dorival Júnior, então, mandou a campo Berrio e Everton Ribeiro. Gauvênio e Dourado foram sacados, e o inesperado aconteceu. Com um jogador a mais, o Sport não soube o que fazer e, aos poucos, foi levando susto atrás de susto. Berrío chegou a acertar a trave pouco antes da bola, enfim, entrar.

Vitinho cobrou escanteio e Willian Arão aproveitou saída ruim do goleiro Mailson para marcar o único gol do jogo, de cabeça.

Daí para frente foi só segurar o resultado até o apito final. Na próxima rodada, os cariocas recebem o Grêmio, quarta-feira, enquanto o Sport visita a Chapecoense, no dia seguinte.

FICHA TÉCNICA

SPORT 0 X 1 FLAMENGO

Local: Estádio Ilha do Retiro, em Recife (PE)

Data: 18 de novembro de 2018, domingo

Horário: 17h00 (Brasília)

Árbitro: Raphael Claus (SP)

Assistentes: Danilo Ricardo Simon Manis (SP) e Rogerio Pablos Zanardo (SP)

Cartões amarelos: Cláudio Winck (SPO); Paquetá (2) (FLA)

Cartão vermelho: Paquetá (FLA)

Público: 26.005 pessoas.

Renda: R$ 283.760,00

GOL:

Flamengo: William Arão, aos 36 minutos do 2T

SPORT: Mailson; Cláudio Winck, Ronaldo Alves. Adryelson e Ernando; Marcão (Felipe Bastos), Jair, Gabriel, Mateus Gonçalves e Michel Bastos (Matheus Peixoto); Hernane (Marlone)

Técnico: Milton Mendes

FLAMENGO: Cesar; Léo Duarte, Rhodolfo, Réver e Renê; Cuéllar, Willian Arão, Lucas Paquetá, Geuvânio (Éverton Ribeiro) e Vitinho (Piris); Henrique Dourado (Berrío)

Técnico: Dorival Júnior

Com Portal Terra

Comentar


Cantor Aldair Playboy lembra dificuldades na carreira e cita CAC do Rangel

Em uma entrevista quarta-feira dia 14, ao programa The Noite, de veiculação nacional apresentado por Danilo Gentili no SBT, o cantor paraibano Aldair Playboy em um dos momentos que fala um pouco das suas dificuldades ao iniciar sua carreira, cita a casa de show muito conhecida na capital paraibana, o famoso CAC do Rangel. Em um determinado momento o humorista Murilo Couto que também faz parte do programa, reforça dizendo que já frequentou o CAC e só tem musica boa.

Para apenas assistir o momento que a casa de show foi citada, basta adiantar o vídeo e assistir dos 22:15 aos 23:00 minutos. O vídeo completo tem 27:00 minutos.

Assista ao vídeo:

Comentar


Sem “Mais Médicos” no Brasil, Cuba deve perder R$ 11 bilhões de dólares por ano

A saída de Cuba do programa Mais Médicos, recém-anunciada pelo governo cubano em resposta a críticas feitas pelo presidente eleito Jair Bolsonaro, vai representar um importante baque nas exportações de serviços de saúde da ilha socialista – sua principal fonte de renda internacional.

Bem mais lucrativo que a exportação de produtos produzidos na ilha, como açúcar, tabaco, rum ou níquel, o envio de profissionais de saúde para o exterior responde por 11 bilhões de dólares dos 14 bilhões de dólares que Havana arrecada por ano com exportações de bens e serviços, segundo dados da Organização Mundial do Comércio e da imprensa estatal cubana.

Com o fim do acordo selado na gestão da ex-presidente Dilma Rousseff, em 2013, o regime cubano deve perder 332 milhões de dólares (ou mais de R$ 1,1 bilhão) por ano. O valor supera as exportações de charutos (259 milhões de dólares por ano, segundo o Instituto de Tecnologia de Massachusetts) e cria mais um desafio econômico para o país, que há 56 anos sofre um duro embargo comercial dos Estados Unidos.

A estimativa do prejuízo é do economista cubano Mauricio De Miranda Parrondo, professor titular da Pontifícia Universidade Javeriana de Cali, na Colômbia.

“As alternativas (à perda econômica do Mais Médicos) são muito escassas”, diz Parrondo em entrevista à BBC News Brasil. “As opções mais visíveis aparecem no turismo cubano, mas não se espera que o vácuo deixado pela renda vinda do Brasil possa ser coberto com isso.”

Tradicionais carros-chefes do comércio local, as indústrias açucareira e de níquel amargam uma crise que vem se agravando nos últimos anos. O turismo rende atualmente 2,8 bilhões de dólares anuais para a ilha, mas está sob a mira do presidente americano Donald Trump, que incluiu na última sexta-feira (16) hotéis cubanos na lista de empresas cubanas com as quais os americanos não podem fazer negócios.

Para cobrir o buraco deixado pelo fim dos aportes do Mais Médicos, o turismo de Cuba precisaria crescer 10% – uma meta impossível enquanto houver sanções dos EUA, segundo especialistas.

Totalitarismo e Saúde Universal

Para a ONG americana Cuban Archive, o modelo de exportação de serviços médicos de Cuba “só é possível em um governo totalitário”.

“Com o Estado como único empregador, os profissionais de saúde estão proibidos de deixar o país sem permissão. Quando são enviados para uma missão estrangeira, eles devem deixar suas famílias para trás como reféns para seu retorno”, aponta a instituição, que faz oposição ao governo socialista.

Já Cristian Morales, representante em Havana da Opas, defende publicamente a proposta, argumentando que ela “permite a Cuba receber recursos internacionais importantes para garantir o funcionamento de seu próprio sistema de saúde universal”.

Entrevistado em 2016 por um conjunto de pesquisadores de universidades do Brasil, da Alemanha e da Espanha, um médico cubano ficou com o meio termo.

“Em Cuba tudo é de graça, a população não tem que pagar por estudos, esportes e nem mesmo por serviços saúde. Para conseguir tudo isso, o dinheiro precisa vir de algum lugar, então estamos comprometidos com o povo dessa maneira, para manter as coisas como estão no nosso país”, afirmou.

“Mas, falando claramente, nós podemos ter esse compromisso de ajudar o nosso povo, mas também não é justo receber 30% (do salário) pelo resto de nossas vidas […] Eu trabalhei no Haiti e ganhava 20% […] As pessoas também tem que entender que precisamos viver, nós também temos nossos sonhos.”

‘Mobiliei toda a minha casa’

Se, no Brasil, a medicina é uma carreira de prestígio e seus profissionais podem ganhar salários bem mais altos que a média nacional, qual é o status social dos médicos em Cuba?

“Os médicos são profissionais altamente reconhecidos pela sociedade cubana”, responde o economista cubano Mauricio Parrondo. “Mas esse reconhecimento não está relacionado à sua renda por meio dos salários, que são insuficientes para cobrir necessidades essenciais, como acontece com os outros trabalhadores que recebem do Estado cubano. O alto prestígio tem a ver com a importância percebida pela população.”

O especialista diz que muitos dos profissionais que trabalham no exterior sob contratos estaduais acabam levando uma vida de “austeridade exagerada” para serem capazes de enviar recursos para familiares e melhorar o padrão de vida na ilha, “o que não seria possível com a renda de seus salários em Cuba”.

Em entrevista à BBC em 2013, ano de lançamento do programa, uma médica cubana ilustrou esta tese. “Não tinha absolutamente nada. Graças à missão, mobiliei toda minha casa.”

Paradoxo da saúde cubana

A importância da medicina na sociedade de Cuba retoma uma discussão conhecida como o “paradoxo da saúde cubana” e ilustrada frequentemente por um ditado popular da ilha: “Nós vivemos como pobres, mas morremos como ricos”.

É que, apesar do PIB modesto e do isolamento financeiro patrocinado pelos EUA, Cuba consegue manter uma expectativa de vida mais alta que a dos americanos (por volta de 80 anos), mesmo investindo menos de um décimo do que os americanos gastam com saúde. Segundo o Banco Mundial, Cuba investe 813 dólares por pessoa anualmente com serviços de saúde, enquanto os EUA gastam 9,4 mil dólares.

Mas a conta se inverte quando a avaliação leva em conta o percentual do PIB investido em saúde: Cuba investe 10,57% de sua riqueza no setor, valor muito superior ao dos americanos ou europeus como Alemanha e França.

Além do bem-estar da população, a prioridade no investimento também se justifica pela perspectiva diplomática da saúde como elemento de integração econômica e cultural entre Cuba e o resto do mundo, desde a Guerra Fria.

Ilustrada pela parceria que agora chega ao fim com o governo brasileiro, a “diplomacia médica” cubana garante a entrada de moedas fortes como o dólar, importantes para as reservas do país, além de poder de influência e legitimidade no exterior.

Nos últimos 55 anos, Cuba recebeu e treinou sem custos mais de 35 mil profissionais de saúde de 138 países. Segundo o ministério de Saúde Pública, a ilha realizou 600 mil missões de saúde pública em 164 países neste período, incluindo contribuições importantes na luta contra o vírus Ebola na Libéria, Serra Leoa e Guiné, contra a catarata na América Latina e no Caribe e contra a cólera no Haiti.

Em 1985, Cuba foi o primeiro país a desenvolver uma vacina efetiva contra a meningite B. Mais tarde, inovou novamente com uma vacina contra o câncer de pulmão.

Em 2015, se tornou a primeira nação do mundo a eliminar a transmissão materno-infantil de HIV e sífilis.

Hoje, 8.332 dos 16 mil médicos que atuam no Mais Médicos são cubanos. Enquanto o Brasil organiza uma força-tarefa para recrutar profissionais dispostos a substituí-los em regiões pobres e remotas do país e manter a qualidade do atendimento (aprovado por 95% dos pacientes, segundo pesquisa feita pela UFMG), Cuba se esforça para enfrentar mais um importante revés econômico em sua história recente – e encontrar outras fontes de renda para compensar o prejuízo do fim da lua de mel com o governo brasileiro.

Comentar


NA PARAÍBA: Cachorro é batizado com direito à música ao vivo e discurso de prefeito: “Momento histórico”

Com o desgaste acentuado que enfrenta, a classe política brasileira tem recorrido á tudo para recuperar o prestígio junto ao eleitorado. Na Paraíba, a situação não é diferente e ultrapassa a barreira do inusitado.

Prova mais recente é um vídeo que vem fazendo o maior sucesso na internet, onde um cachorro foi batizado (isso mesmo, batizado) em “evento” que contou com música ao vivo e a presença do prefeito da cidade, Alberto Ferreira (PR).

Os 13.300 habitantes de Mogeiro, no Vale do Paraíba, muito menos os convidados para a cerimônia, não contavam com tamanho “prestígio” do cãozinho. Muito á vontade, o prefeito fez questão de discursar. Ele disse que estava diante de um momento “histórico” e desejou muitos anos de vida ao animal que estava sendo batizado.

Apesar do nome pouco comum para um cão, Igor não teve direito a usar o microfone para agradecer pelos elogios e homenagens.

Mas, o prefeito entendeu.

Comentar


Aliados já falam em Manoel Júnior disputando Prefeitura de Pedras de Fogo

Imagem da Internet

Passadas as eleições de 2018, o foco agora passa para as eleições municipais de 2020. E uma das articulações mais fortes, no momento, seria para resolver os problemas do vice-prefeito de João Pessoa, Manoel Júnior (PSC).

Traído pelo PSC, nas eleições estaduais de 2018, Júnior ficou sem palanque para 2020. Não tem a confiança do MDB, de José Maranhåo, é adversário do “companheiro” Luciano Cartaxo e mantém distancia de Ricardo Coutinho (PSB).

Júnior terá que “pedir arrego” a alguém. Mas não na Capital. Aliados falam em Manoel disputar eleição em Pedras de Fogo.

Será?

Comentar


Temer avalia risco de “agravo econômico” e sinaliza para veto de aumento do STF

O presidente Michel Temer reforçou nesta sexta-feira (16) a informação de que o o governo brasileiro está tomando providências necessárias para preencher as vagas abertas com a saída dos profissionais cubanos do programa Mais Médicos.

Em entrevista coletiva após participar de uma sessão de debates da 26ª Cúpula Ibero-Americana de Chefes de Estado e de Governo, na Guatemala, Temer disse que o ministro da Saúde, Gilberto Occhi, está tomando providências para abrir vagas para médicos brasileiros.

“Estamos preparados para, imediatamente, colocar… [substitutos] e não só fazer concursos. Já falei com o ministro Gilberto Occhi com vistas à contratação de médicos para suprir a eventual falta dos médicos, falta dos médicos cubanos”, afirmou.

Nesta sexta-feira (16), o Ministério da Saúde informou que publicará, ainda neste mês, um edital para contratar profissionais brasileiros para preencher 8.332 vagas deixadas pelos cubanos. A expectativa do ministério é que os médicos brasileiros selecionados na nova etapa comecem a trabalhar nos municípios imediatamente após a seleção, o que deve ocorrer ainda neste ano.

O governo de Cuba anunciou, na última quarta-feira (14), a retirada de seus profissionais do programa, por não aceitar as novas exigências impostas aos médicos do país. Criado em 2013, no governo Dilma Rousseff, o programa tem o objetivo de levar assistência médica às periferias e às mais distantes regiões brasileiras.

Aumento para o STF

Temer falou também sobre o aumento para os ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) aprovado pelo Congresso Nacional e que aguarda sanção presidencial. Perguntado se já teria tomado posição sobre o aumento, o presidente disse que está analisando a questão e que mandou fazer um estudo econômico sobre o impacto do reajuste nos cofres públicos.

“Estou examinando, é claro, e sempre vem uma coisa, que não pode haver, digamos, um agravo econômico, ou seja, uma perda econômica, não só para a União Federal, como para os estados federados. Portanto, estou mandando primeiro fazer uma avaliação de natureza econômica – tenho mais tempo para sancionar ou vetar, para decidir mais para adiante”, acrescentou.

Ao ser perguntado sobre a indicação do diplomata Ernesto Araújo para o cargo de ministro das Relações Exteriores, no governo do presidente eleito Jair Bolsonaro, Temer respondeu que não tinha muitas informações a respeito, mas elogiou a escolha, dizendo que tinha ouvido falar muito bem do escolhido.

“O presidente eleito está se esmerando em receber, em escolher nomes da melhor qualidade, da melhor suposição. Essa questão – se vai haver mudança ou não – eu confesso que não estou acompanhando. E, mais uma vez, digo: ‘é uma decisão do presidente eleito’”, ressaltou.

Um pouco antes, Temer participou da primeira sessão de chefes de Estado e de Governo da 26ª Cúpula Ibero-Americana. Em seu discurso, o presidente disse que está trabalhando para que o processo de transição com a equipe de Jair Bolsonaro, para que o novo governo “siga trabalhando de maneira responsável”.

“O Brasil teve [recentemente] suas eleições superiores, onde vimos a eleição de um novo governo e sobretudo do novo presidente da República”, lembrou Temer. “Estamos passando agora por uma transição para que o novo governo possa conhecer de maneira muito branda e tranquila o que temos realizado, para que siga assim trabalhando de maneira responsável.”

Com Agência Brasil

Comentar


Prefeito demite, corta gratificações e suspende despesas para pagar pessoal

Imagem da Internet

O prefeito da cidade de Caaporã, no Litoral Sul paraibano, exonerou todos os cargos comissionados e prestadores de serviços. Os decretos assinados pelo prefeito Cristiano Ferreira Monteiro (PDT), mais conhecido como Kiko Monteiro, foram publicados no Diário Oficial dos Municípios desta sexta-feira (16).

Além das exonerações, o prefeito revogou a concessão de gratificações, bem como concessões de horas extras ou serviços extras, e determinou o retorno dos servidores que estejam à disposição de outros órgãos. Outra medida para equacionar as contas foi a suspensão de pagamentos das despesas empenhadas até o dia 9 de novembro deste ano, até que seja realizada revisão em todos os contratos firmados pelo município de Caaporã.

Segundo dados do novo sistema do Sagres OnLine do Tribunal de Contas do Estado da Paraíba (TCE-PB), referente ao mês de agosto (mais atualizado), a prefeitura de Caaporã registrou receita de R$ 5,09 milhões e despesas de R$ 6,06 milhões. Boa parte delas são provenientes de gastos com pessoal já que há na folha da prefeitura 131 contratados por excepcional interesse e 94 comissionados em seu quadro de pessoal. Juntos impactam a folha em R$ 438.56 mil.

No decreto, Cristiano Ferreira Monteiro justificou que “o grave problema desta edilidade para com o pagamento de sua folha de pessoal, bem como, a organização financeira que se impõe para que se honre os compromissos pretéritos com o próprio corpo de funcionários deste município, o Prefeito Constitucional”.

Com G1

Comentar


Usando o próprio cinto, homem comete suicídio dentro da delegacia de Monteiro

Um homem, identificado como Cicero Martins “Nino” de 50 anos, foi encontrado morto dentro de uma cela da delegacia de Monteiro na tarde desta sexta-feira (16). Ele havia sido detido após denúncia pela Polícia militar, por ameaçar uma mulher com uma lança artesanal.

Ele foi conduzido para a Delegacia Regional da Policia Civil, pouco tempo depois o homem foi encontrado enforcado na cela. Ainda de acordo com informações a vítima utilizou um cinto para tirar a própria vida.

Com portal O Pipoco

Comentar


Ladrão tenta roubar celular de jovem, leva golpe de jiu-jitsu e vai para cadeia

Faixa branca de jiu-jítsu, a jovem Sabrina Leite, de 22 anos, usou dos seus aprendizados nos tatames para imobilizar um homem de 18 anos que tentou roubar seu celular, em Manaus. O caso ocorreu na tarde desta terça-feira (13), no bairro Jorge Teixeira, na Zona Leste de Manaus. A aplicação da chave de braço foi filmada por populares e divulgada em redes sociais.

De acordo a jovem, ela estava em frente à sua casa no momento em que dois suspeitos em uma motocicleta se aproximaram. Um dos homens, de 18 anos, desceu do veículo, abordou Sabrina, anunciou o assalto, e pediu o celular dela.

“Eu percebi que eles estavam sem nada, só chegaram no susto dizendo ‘passa o celular’. Vi que eles não tinham nada e, por isso, reagi. Se eles estivessem armados, eu jamais tinha reagido”, disse.

Após a ação do suspeito, Sabrina jogou o aparelho celular para dentro da residência dela. O jovem se assustou e tentou fugir com o outro homem na motocicleta. No momento da ação, um vizinho de Sabrina que passava pela rua notou o suspeito correndo e o atingiu com um veículo. Foi então que ela o imobilizou.

“Meu vizinho ia passando na hora. Ele [suspeito] correu e tava fugindo. O vizinho foi de carro atrás dele e conseguiu alcançar. Então, eu corri, imobilizei ele com um mata-leão, deitei no chão e dei a chave de braço”, explicou.

Em entrevista ao G1, por conta do vídeo que circula nas redes sociais, Sabrina falou sobre sua técnica. Ela disse que é apenas praticante de jiu-jítsu.

“É tudo questão de técnica. Eu sou praticante. Eu treino há 4 anos, ainda sou faixa branca. Graduação, faixa, não significa muito pra mim. Não participo de campeonato nem nada”, afirmou.

A jovem conta que ficou mais de 20 minutos no chão com o suspeito imobilizado, até a polícia chegar ao local.

“Fiquei quase mais de 20 minutos com ele imobilizado, para ele não fugir. Meu primo chegou e outras meninos lá e ficaram ao redor dele, até a polícia chegar”, completa.

De acordo com a Polícia Civil, o caso foi registrado no 14° Distrito Integrado de Polícia (DIP), o suspeito de 18 anos foi preso em flagrante e deve responder na Justiça por roubo tentado. Ao término dos procedimentos cabíveis na delegacia, ele será levado para Audiência de Custódia no Fórum Ministro Henoch da Silva Reis, bairro São Francisco, zona sul da capital.

Comentar


Homem é condenado a três anos de cadeia por ejacular em mulher no metrô de São Paulo

Imagem da Internet

A Justiça de São Paulo condenou a três anos de prisão em regime fechado um homem por importunação sexual no Metrô de São Paulo. O crime aconteceu em outubro. A vítima estava em pé no vagão, a caminho do trabalho, quando o criminoso ejaculou em seu corpo. Cabe recurso.

A prisão atende à lei sancionada no dia 24 de setembro quando o presidente da República em exercício na época, ministro Dias Toffoli (STF), sancionou lei que torna crime a importunação sexual e aumenta a pena para estupro coletivo.

Pela lei sancionada, fica caracterizada importunação sexual o ato libidinoso praticado contra alguém, e sem a autorização, a fim de satisfazer desejo próprio ou de terceiro. A pena prevista é de um a cinco anos de cadeia.

Segundo a polícia, o homem teria alegado que sofre de problemas vasculares e, como o trem estava cheio, encostou na vítima e ficou excitado.

A juíza usou as justificativas do acusado em sua decisão. “Não bastasse, o acusado ainda imputa sua conduta a uma condição física, e ao que parece entente justificado e inevitável seu modo de agir. Nesse cenário, a culpabilidade, a conduta social, a personalidade do agente, os motivos, as consequências e as circunstâncias do delito impõem elevação severa da pena-base”, escreveu a juíza juíza Vanessa Strenger, da 3ª Vara Criminal.

Com G1

Comentar